A espacialização utópica em Al Berto e João Gilberto Noll

  • Gustavo Cerqueira Guimarães Faculdade de Ciências Sociais Aplicadas de Belo Horizonte (FACISA-BH).
Palavras-chave: Literatura Comparada, Espaço, Sujeito, Michel Foucault

Resumo

Este artigo desenvolve uma reflexão acerca das espacializações utópicas dos personagensnas obras de Al Berto (1948-1997) e de João Gilberto Noll (1946). Para tanto, a análise recai sobre todos os romances do autor brasileiro, em determinado momento o foco incide em "Lorde", e nas obras do lusitano em que há maior figuração de personagens, a exemplo de "Lunário".

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gustavo Cerqueira Guimarães, Faculdade de Ciências Sociais Aplicadas de Belo Horizonte (FACISA-BH).
Doutor e Mestre em Teoria da Lit. e Lit. Comparada pela Faculdade de Letras da UFMG. Graduado em Letras e Psicologia pela Puc-Minas. Atualmente é Editor do periódico "Em Tese", do Programa de pós-graduação em Estudos Literários da UFMG (Biênio 2013-2014); membro do FULIA da FALE/UFMG (Núcleo de Estudos sobre Futebol, Linguagem e Artes), e, professor de Literatura de Expressão Portuguesa e Teoria da Literatura da FACISA-BH
Publicado
2013-12-24
Como Citar
Guimarães, G. (2013). A espacialização utópica em Al Berto e João Gilberto Noll. Via Atlântica, (24), 101-116. https://doi.org/10.11606/va.v0i24.58062
Seção
Dossiê 24: Gênero, Sexualidades e novas subjetividades nas Literaturas de Língua Portuguesa