'Liberdade, Igualdade, Fraternidade ou a Morte?': Extravios do post/al colonial em Nação Crioula”

  • Rui Gonçalves Miranda The University of Nottingham
Palavras-chave: Eça de Queiroz, José Eduardo Agualusa, Postal, Desinterrância, Communitas

Resumo

Este artigo visa contestar leituras de estrutura edipiana bem como a ênfase em simbologias (utópicas, heterotópicas) que reduzem a pluridimensionalidade do “postal” e de “política postal” na inscrição do espaçamento (pós-/neo) colonial do Atlântico Sul em Nação Crioula. Partindo dos inevitáveis extravios na(s) correspondência(s) do romance, aborda-se a impropriedade constitutiva de qualquer projecção e apropriação “comunitária”. A “destinerrância” rompe com genealogias e derivações, operando uma diversão para além dos limites e (de)limitações de predestinadas correspondências, triangulações e demais circuitos históricos, identitários, literários e políticos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rui Gonçalves Miranda, The University of Nottingham
Graduação em Português e Inglês pela  Universidade do Minho (Portugal). In 2010, PhD in Lusophone Studies pela University of Nottingham. Professor Assistente na University of Nottingham e Instrutor, pelo Instituto camões, no Queen Mary College, University of London.
Publicado
2014-07-24
Como Citar
Miranda, R. (2014). ’Liberdade, Igualdade, Fraternidade ou a Morte?’: Extravios do post/al colonial em Nação Crioula”. Via Atlântica, (25), 147-165. https://doi.org/10.11606/va.v0i25.69631
Seção
Dossiê 25: Triangulações Atlânticas - transnacionalidades em língua portuguesa