Urdiduras do diverso em horizontes éticos e estéticos na literatura para a juventude

  • Maria Zilda da Cunha Universidade de São Paulo;Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Palavras-chave: Literatura para crianças e jovens, Estudos comparados de literaturas de língua portuguesa, Questões de identidade

Resumo

Neste artigo, coloca-se em discussão como histórias míticas, endereçadas ao público adulto, podem dinamizar a literatura para crianças e jovens, contribuindo para a formação da identidade cultural, como postulado por Stuart Hall. Para tanto, toma-se o conto As Mãos dos Pretos de Luís Bernardo Honwana, narrativa que desconstrói o mito bíblico da criação do homem e que interpõe a questão identitária do negro. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Zilda da Cunha, Universidade de São Paulo;Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Professora Doutora das Áreas de Literatura Infantil e Juvenil, Estudos Comparados de Literaturas de Língua Portuguesa na Universidade de São Paulo.
Publicado
2014-11-04
Como Citar
Cunha, M. Z. (2014). Urdiduras do diverso em horizontes éticos e estéticos na literatura para a juventude. Via Atlântica, (26), 29-41. https://doi.org/10.11606/va.v0i26.88467
Seção
Dossiê 26: Literatura, cultura e juventude