Ler - necessidade, obrigação ou prazer

Autores

  • Regina Zilberman Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRS)

DOI:

https://doi.org/10.11606/va.v0i26.88468

Palavras-chave:

Prazer da leitura, Leitura, Recepção, Emancipação, Vidas secas

Resumo

O prazer da leitura parece negado pela escola, quando essa lida com textos literários. Por sua vez, o prazer propriamente dito nem sempre é avaliado de modo positivo pelos filósofos. Contudo, enquanto prazer estético, ele sintetiza, desde Aristóteles, a reação sensorial aos produtos artísticos. Recentemente, a leitura, enquanto forma de prazer, foi matéria do pensamento de Roland Barthes e Hans Robert Jauss, que, desde perspectivas distintas, a descrevem enquanto liberação ou emancipação. Examina-se trecho de Vidas secas para verificar em que medida o prazer da leitura decorre da revelação, pela linguagem, de um conhecimento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2014-11-04

Como Citar

Zilberman, R. (2014). Ler - necessidade, obrigação ou prazer. Via Atlântica, (26), 257-272. https://doi.org/10.11606/va.v0i26.88468

Edição

Seção

Dossiê 26: Literatura, cultura e juventude