A poesia de Drummond: entre a magia e o desconcerto do mundo

  • Antônio Jackson de Souza Brandão Universidade de Santo Amaro (UNISA/SP)
  • Álvaro Cardoso Gomes FFLCH/USP e Universidade de Santo Amaro (UNISA/SP)
  • Maria Auxiliadora Baseio Universidade de Santo Amaro (UNISA/SP)
Palavras-chave: poesia, função, mimese, pragmatismo

Resumo

O presente artigo tem como objetivo tratar da função da poesia, mais especificamente na obra de Carlos Drummond de Andrade. Concebida como “objetiva”, no sentido de voltar-se para si própria, a poética drummondiana, libertando-se de clichês clássicos e românticos, por meio da ironia, tem como escopo modificar a atitude do leitor frente ao mundo, aguçando nele sentimentos e emoções reprimidas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Antônio Jackson de Souza Brandão, Universidade de Santo Amaro (UNISA/SP)
Antônio Jackson de Souza Brandão é mestre e doutor em Literatura alemã e fotografia, ambos pela Universidade de São Paulo. Sua área de pesquisa é a recepção imagética de textos extemporâneos, em especial o conceito de iconofotologia. Atualmente é docente do mestrado da Universidade de Santo Amaro (UNISA/SP)
Álvaro Cardoso Gomes, FFLCH/USP e Universidade de Santo Amaro (UNISA/SP)
Livre-docente da Universidade de São Paulo (USP) e Coordenador do Mestrado Interdisciplinar da Universidade de Santo Amaro (UNISA/SP).
Maria Auxiliadora Baseio, Universidade de Santo Amaro (UNISA/SP)
Pofessora do Mestrado Interdisciplinar da Universidade de Santo Amaro (UNISA/SP).
Publicado
2015-06-21
Como Citar
Brandão, A., Gomes, Álvaro, & Baseio, M. A. (2015). A poesia de Drummond: entre a magia e o desconcerto do mundo. Via Atlântica, (27), 285-300. https://doi.org/10.11606/va.v0i27.97787
Seção
Outros Textos