A poesia de Ruy Duarte de Carvalho para além de fronteiras

Palavras-chave: poesia angolana, Ruy Duarte de Carvalho, travessias

Resumo

Neste trabalho, propomos uma leitura da obra Lavra, de Ruy Duarte de Carvalho, discutindo como o escritor faz da poesia lugar de passagem para o reencontro do sujeito com a palavra primordial. Consideramos o autor um poeta viajante, que revisitou o sul angolano e tradições orais da região, promovendo, em seus poemas, travessias e atravessamentos espaciais, culturais e linguísticos. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Claudia Fabiana de Oliveira Cardoso, UNIABEU - Centro Universitário
Doutora em Literatura Comparada pela Universidade Federal Fluminense, UFF. Professora da Faculdade de Letras do UNIABEU - Centro Universitário e da Fundação de Apoio à Escola Técnica do Rio de Janeiro. Membro do laboratório Identidade na Diferença - Laboratório Multidisciplinar de Estudos de Memória e Identidade, projeto financiado pela Faperj.
Publicado
2015-06-21
Como Citar
Cardoso, C. (2015). A poesia de Ruy Duarte de Carvalho para além de fronteiras. Via Atlântica, (27), 57-75. https://doi.org/10.11606/va.v0i27.98403
Seção
Dossiê 27: Literaturas Africanas de Língua Portuguesa e o Pós-Independência