Portal da USPPortal da USP
Estudo apresenta motivações de alunos de Ciências Contábeis e de Ciências Econômicas para o Mestrado acadêmico

Por Guilherme Viana, Revista Contabilidade & Finanças, São Paulo, Brasil

A Pós-Graduação parece um caminho natural a ser seguido pelos estudantes da graduação, mas existem muitas variáveis que podem levá-los a embarcar ou desistir do Mestrado acadêmico, como, por exemplo, o próprio curso de graduação. É a partir deste questionamento que o estudo de Samuel de Oliveira Durso, Jacqueline Veneroso Alves da Cunha, Patrícia Antonacci Neves e Joana Darc Vilaça Teixeira, publicado na Revista Contabilidade & Finanças, busca “identificar o nível motivacional dos estudantes de Ciências Contábeis e Ciências Econômicas com relação à busca por uma pós-graduação stricto sensu”. Para tanto, os autores criaram um questionário tomando como base a Teoria da Autodeterminação de Motivação (IAM) e a Escala de Motivação Acadêmica, que permitiu verificar, ainda, quais variáveis são essas e como elas podem influenciar os estudantes.

Os autores apresentam um modelo de teste não paramétrico de médias, o cálculo das correlações entre o IAM e as características individuais dos estudantes e a estimação de regressões lineares múltiplas, que ajudam a entender quais são as motivações intrínsecas e extrínsecas aos alunos na tomada de decisão para seguir o Mestrado. O estudo contou com 173 respostas aos questionários, provindas de estudantes de instituições públicas de Minas Gerais. Dentre as variáveis, estão “curso, gênero, idade, estado civil, renda, escolaridade da mãe, escolaridade do pai, vínculo empregatício, bolsa de iniciação científica e desempenho acadêmico”.

O principal resultado da pesquisa evidencia que não há diferença motivacional entre estudantes de Ciências Contábeis e de Ciências Econômicas na busca pelo Mestrado, como explicam os autores: “Por possuírem um perfil mais voltado para o mercado de trabalho (62% dos estudantes de Ciências Contábeis da amostra trabalhavam, contra 29% dos estudantes de Ciências Econômicas), pode-se considerar que os discentes de Ciências Contábeis acabam adiando o objetivo de obter um grau acadêmico mais elevado e, assim, ao ingressar de vez no mercado de trabalho, enfrentam barreiras que os impedem de realizar um mestrado acadêmico.” Além disso, a educação da mãe dos discentes, bem como a existência de bolsas de iniciação científica, são fatores que influenciam positivamente a entrada deles no Mestrado.

Cumpre destacar a relevância desse estudo ao trazer à luz os fatores que legitimam a diferença no número de entrada de estudantes de Ciências Contábeis e Ciências Econômicas no Mestrado: não se trata apenas de uma questão motivacional, mas, principalmente, da diferença de oportunidades na área acadêmica e, também, profissional dos estudantes.

_______________________________________

Artigo

DURSO, Samuel de Oliveira et al. Fatores Motivacionais para o Mestrado Acadêmico: uma Comparação entre Alunos de Ciências Contábeis e Ciências Econômicas à luz da Teoria da Autodeterminação, . Revista Contabilidade & Finanças, São Paulo, v. 27, n. 71, p. 243-258, aug. 2016. ISSN 1808-057X. Disponível em: <http://www.revistas.usp.br/rcf/article/view/117303/114940>. Acesso em: 03 oct. 2016. doi:http://dx.doi.org/10.1590/1808-057×201602080.

Contato

Samuel de Oliveira Durso. Departamento de Contabilidade e Atuária, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil. E-mail: sodurso@gmail.com





© 2012 SIBiUSP - Departamento Técnico - SIBi/DT