“Please, come to Brazil!”: as práticas dos fãs brasileiros do reality show RuPaul’s Drag Race

Autores

  • Mayka Castellano Universidade Federal Fluminense (UFF)
  • Heitor Leal Machado Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1982-677X.rum.2017.116147

Palavras-chave:

Fãs, RuPaul’s Drag Race, camp.

Resumo

Neste artigo, analisamos as práticas dos fãs do reality show RuPaul’s
Drag Race, que promove uma disputa entre drag queens, por meio do monitoramento das interações que acontecem nas páginas de grupos brasileiros do Facebook dedicadas ao programa. Contextualizamos a articulação dessa ativa comunidade de fãs a partir da identificação de um momento político marcado pela radicalização dos discursos sobre a questão dos direitos LGBT+. Além disso, avaliamos a influência desse programa na criação e no fortalecimento de uma profícua cena de arte drag em cidades como Rio de Janeiro e São Paulo. Tal cena se estabelece a partir de festas e clubes noturnos especializados na performance desses artistas, que atraem cada vez mais interesse do público mainstream, o que também é problematizado no artigo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mayka Castellano, Universidade Federal Fluminense (UFF)

Professora do Departamento de Estudos Culturais e Mídia e do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal Fluminense (UFF). Mestre e doutora pelo Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Cultura da ECO/UFRJ, onde também realizou um pós-doutorado com bolsa FAPERJ.

Heitor Leal Machado, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Doutorando do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Cultura da Escola de Comunicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (ECO/UFRJ).

Referências

ABUJAMRA, A. A bancada de um homem só. Piauí, Rio de Janeiro, n. 110, nov. 2015. Disponível em: http://bit.ly/2s5L7PL Acesso em: 29 jun. 2017.

AMARAL, A.; SOUZA, R. V.; MONTEIRO, C. De Westeros no #vemprarua à shippagem do beijo gay na TV brasileira: ativismo de fãs: conceitos, resistências e práticas na cultura digital brasileira. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO, 37., 2014, Foz do Iguaçu. Anais… São Paulo: Intercom, 2014.

ANDERSON, C. The long tail: why the future of business is selling less of more. New York: Hyperion Books, 2008.

BERGAMO, M. Candidata transexual vai disputar eleição na cota das mulheres. Folha de São Paulo, 29 jul. 2016. Disponível em: http://bit.ly/2t5w9dT. Acesso em: 13 jun. 2017

BONDUKI, B. Elas são loucas por RuPaul’s Drag Race: conheça o que estas garotas já fizeram pelo reality show. Portal Vírgula, 13 fev. 2015. Disponível em: https://goo.gl/zUHHoV Acesso em: 7 jun. 2017.

BRASIL. Conselho Nacional de Justiça. Resolução nº 175, de 14 de maio de 2013. Brasília, DF, 15 maio 2013.

BROOKER, W. Television out of time: watching cult shows on download. In: PEARSON, R. (Ed.). Reading Lost: perspectives on a hit television show. London: I. B. Tauris, 2009. p. 51-72.

CHARLES, R. A. The transformer: RuPaul. Entrevistador: Jason Wu. [mar. 2013]. New York: Interview Magazine, 2013.

ÉBOLI, E. Comissão aprova estatuto que define família como relação apenas entre homem e mulher. O Globo, 24 set. 2016. Disponível em: https://glo.bo/2raXjhs Acesso em: 12 jun. 2017.

EDGAR, E.-A. “Xtravaganza!”: drag representation and articulation in “’RuPaul’s Drag Race”. Studies in Popular Culture, New York, v. 34, n. 1, p. 133-146, 2011.

FISKE, J. The cultural economy of fandom. In: LEWIS, L. A. (Ed.). The adoring audience. London: Routledge, 2001. p. 30-49.

FREIRE FILHO, J. Mídia, consumo cultural e estilo de vida na pós-modernidade. Revista Eco-Pós, Rio de Janeiro, v. 6, n. 1, p. 72-97, 2003.

FUREDI, F. Therapy culture: cultivating vulnerability in an uncertain age. London: Routledge, 2004.

GONÇALVES, G.; ARAÚJO, G. Com 17 trios elétricos, Parada Gay reúne multidão em São Paulo. G1, 29 maio 2016. Disponível em: https://goo.gl/EN78W3. Acesso em: 7 jun. 2017.

GRAY, J.; SANDVOSS, C.; HARRINGTON, C. L. (Eds.). Fandom: identities and communities in a mediated world. New York: New York University Press, 2007.

GRUPO GAY DA BAHIA. Assassinato de homossexuais (LGBT) no Brasil: relatório 2014. 2014. Disponível em: https://goo.gl/i1qD6y Acesso em: 7 jun. 2017.

JEAN Wyllys aumenta votação em dez vezes. Carta Capital, 5 out. 2014. Disponível em: http://bit.ly/2riPWbL Acesso em: 13 dez. 2015.

KELLNER, D. A cultura da mídia: estudos culturais: identidade e política entre o moderno e o pós-moderno. Bauru: Edusc, 2001.

LEMASTER, B. Discontents of being and becoming fabulous on RuPaul’s Drag U: queer criticism in neoliberal times. Women’s Studies in Communication, Indianapolis, v. 38, n. 2, p. 167-186, 2015.

LOGO saying GOODBYE to gay-themed programming. Perez Hilton, 5 mar. 2012. Disponível em: http://bit.ly/2sr0eCt. Acesso em: 13 jun. 2017.

LOURO, G. L. Um corpo estranho: ensaios sobre sexualidade e teoria queer. São Paulo: Autêntica, 2004.

MACIEL, E. A cada hora, 1 gay sofre violência no Brasil; denúncias crescem 460%. O Estado de S. Paulo, 21 nov. 2014. Disponível em: https://goo.gl/qAVcyj Acesso em: 7 jun. 2017.

MEDEIROS, E.; FONSECA, B. As bancadas da Câmara. Agência Pública, 18 fev. 2016. Disponível em: http://bit.ly/1RbXII4. Acesso em: 13 jun. 2017.

MEINICKE, T. Drag queens internacionais são atrações em festas da cidade. Veja Rio, 21 fev. 2015. Disponível em: https://goo.gl/RMYMYW Acesso em: 7 jun. 2017.

MEYER, M. The politics and poetics of camp. London: Routledge, 2005.

MORRISON, J. Draguating to normal. In: DAEMS, J. The makeup of RuPaul’’s Drag Race: essays on the queen of reality shows. Jefferson: McFarland, 2014. p. 124-148.

PESSOA, G. S. RuPaul estreia 7ª temporada de reality show e celebra coragem de participantes. Folha de S.Paulo, 11 jan. 2015. Disponível em: https://goo.gl/0pHEtA Acesso em: 7 jun. 2017.

PIRAJÁ, T. Das calçadas à tela da TV: representações de travestis em séries da Rede Globo. 2011. 179 f. Dissertação (Mestrado em Comunicação Social) – Faculdade de Comunicação, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2011.

RAMALHO, R. STF rejeita recurso e mantém Bolsonaro réu por suposta incitação ao estupro. G1, 7 mar. 2017. Disponível em: https://glo.bo/2mgevR6 Acesso em: 13 jun. 2017.

REIS, T. Campanha “Voto contra a LGBTfobia, defendo a cidadania”. Congresso em Foco, 30 jul. 2016. Disponível em: http://bit.ly/2tqiqjP Acesso em: 13 jun. 2017.

REVISTA elege Jean Wyllys um dos 50 nomes que defendem diversidade. G1, 6 nov. 2015. Disponível em: https://goo.gl/jVbYW6 Acesso em: 7 jun. 2017.

RUPAUL, C. Workin’it: RuPaul’s guide to life, liberty, and the pursuit of style. New York: Harper Collins, 2010.

RUSSOMANO e Datena disputariam segundo turno em São Paulo, diz pesquisa. Veja São Paulo, 1º jun. 2017. Disponível em: http://abr.ai/2srdt62 Acesso em: 13 jun. 2017.

SCRIVANO, R.; SORIMA NETO, J. Potencial de compras LGBT é estimado em R$ 419 bilhões no Brasil. O Globo, 6 abr. 2016. Disponível em: https://glo.bo/2rDJDiF Acesso em: 12 jun. 2017.

SILVA, M. V. B. Cultura das séries: forma, contexto e consumo de ficção seriada na contemporaneidade. In: ENCONTRO ANUAL DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM COMUNICAÇÃO, 22., 2013, Salvador. Anais… Salvador: Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Comunicação, 2013.

SONTAG, S. Notas sobre o camp. In: ______. Contra a interpretação. Porto Alegre: L&PM, 1987. p. 318-337.

THAMMY Miranda, 2º mais votado do PP, não se elege vereador e diz que “sonho não acabou”. Folha de S.Paulo, 3 out. 2016. Disponível em: http://bit.ly/2tq1fPo Acesso em: 13 jun. 2017.

VIEIRA, W. Graças a RuPaul, drag queens estão na moda. Carta Capital, 22 mar. 2015. Disponível em: https://goo.gl/cbCFZs Acesso em: 7 jun. 2017.

WHITNEY, E. Capitalizing on camp: greed and the queer marketplace. Text and Performance Quarterly, Columbia, v. 26, n. 1, p. 36-46, 2006.

Downloads

Publicado

2017-07-13

Como Citar

CASTELLANO, M.; MACHADO, H. L. “Please, come to Brazil!”: as práticas dos fãs brasileiros do reality show RuPaul’s Drag Race. RuMoRes, [S. l.], v. 11, n. 21, p. 25-48, 2017. DOI: 10.11606/issn.1982-677X.rum.2017.116147. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/Rumores/article/view/116147. Acesso em: 29 jun. 2022.

Edição

Seção

Dossiê