Malhação - Viva a diferença: ampliação e ressignificação do shipp Limantha no Twitter

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1982-677X.rum.2020.174323

Palavras-chave:

Literacia midiática, Cultura de fãs, Twitter, Malhação – Viva a diferença, Limantha

Resumo

Este artigo tem como objetivo analisar as dimensões da literacia midiática propostas por Mihailidis (2014) presentes nos conteúdos compartilhados no Twitter pelos fãs do shipp Limantha, da telenovela infanto-juvenil Malhação – Viva a diferença (2018-2019). Além de serem compostas por diversas camadas interpretativas, as produções criativas ressaltam o domínio e a compreensão crítica dos fãs em relação às nuances narrativas da telenovela e à arquitetura informacional do Twitter, bem como a criação de estratégias de mobilização em torno de tópicos específicos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gabriela Borges, Universidade Federal de Juiz de Fora

Professora e vice-coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da UFJF. Coordenadora do Observatório da Qualidade no Audiovisual e integrante da Rede Interinstitucional Euroamericana de Competência Midiática para a Cidadania (Alfamed), sendo coordenadora da equipe brasileira.

Daiana Sigiliano, Universidade Federal de Juiz de Fora

Doutoranda e mestre em Comunicação pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). Membro do grupo do Grupo de Pesquisa em Comunicação, Arte e Literacia Midiática da UFJF e pesquisadora do Observatório da Qualidade no Audiovisual.

Referências

ALVERMANN, D.; HAGOOD, M. Fandom and Critical Media Literacy. Journal of Adolescent & Adult Literacy, v. 43, n. 5, 2000. Disponível em: https://bit.ly/3chCEzj. Acesso em: 14 abr. 2020

BORGES, G. et al. construção de mundos ficcionais pelo fandom Limantha, de Malhação – Viva a diferença. LOPES, M. I. V. (org.). A construção de mundos na ficção televisiva brasileira. Porto Alegre: Sulina, 2019, v.6.

BORGES, G. et al. Fãs de Liberdade, Liberdade: curadoria e remixagem na social TV. LOPES, M. I.V. de (org.). Por uma teoria de fãs da ficção televisiva brasileira II: práticas de fãs no ambiente da cultura participativa. Porto Alegre: Sulina, 2017.

BRANDÃO, C. et al. Cultura participativa na esfera ficcional de O Rebu. Lopes, M. I.V. de (org.). Por uma teoria de fãs da ficção televisiva brasileira. Porto Alegre: Sulina, 2015.

BRUNS, A.; MOE, H. Structural layers of communication on Twitter. WELLER, K. et al. (orgs.). Twitter and Society. Peter Lang: Nova York, 2013.

COPPA, F. An archive o for own – Um arquivo só nosso (Escritores de Fanfiction, Uni-vos). JAMISON, A. Fic – Por que a fanfiction está dominando o mundo. Rocco: Rio de Janeiro, 2017.

DINEHART, S. Transmedial Play: cognitive and cross-platform narrative, online, 2008. Disponível em: https://bit.ly/2s169jv. Acesso em: 14 abr. 2020

Fãs de casal lésbico de Malhação receiam término e protestam contra a novela. OBSERVATÓRIO DO CINEMA, Online, 2018. Disponível em: https://bit.ly/2ycapUe. Acesso em: 14 abr. 2020.

FECHINE, Y.; CAVALCANTI, G. TV Social em telenovelas da Rede Globo: estratégias e papéis. Lumina, v. 11, n.2, 2017. Disponível em: https://bit.ly/2Pgtv0C. Acesso em: 14 abr. 2020.

FRAGOSO, S.; RECUERO, R.; AMARAL, A. Métodos de pesquisa para internet. Porto Alegre: Sulina, 2011

GILSTER, P. Digital Literacy. Nova York: John Wile, 1997.

Globo quer 'pegar leve' com Malhação. TV Folha, online, 1995. Disponível em: https://bit.ly/2DdHSQK. Acesso em: 14 abr. 2020.

GREENHOW, C.; GLEASON, B. Twitteracy: Tweeting as a New Literacy Practice. In The Educational Forum, v. 76 n. 4, 2012. Disponível em: https://bit.ly/2N0Mav1. Acesso em: 14 abr. 2020.

HERRERO-DIZ, P. et al. Estudio de las competencias digitales en el espectador fan español. Palabra Clave, v. 20, n. 4, 2017. Disponível em: https://bit.ly/2uMbGPz. Acesso em: 14 abr. 2020.

HIRSJÄRVI,I. Alfabetización mediática, fandom y culturas participativas. Un desafío global. Anàlisi Monogràfic, 2013. Disponível em: https://ddd.uab.cat/record/112869. Acesso em: 14 abr. 2020.

JAMISON, A. Fic – Por que a fanfiction está dominando o mundo. São Paulo: Rocco, 2017.

JENKINS, H; et al. Cultura da Conexão – Criando Valor e Significado por Meio da Mídia Propagável. São Paulo: Aleph, 2014.

JENKINS, H. et al. Confronting the challenges of participatory culture media education for the 21st century. Massachusetts: MIT Press, 2009.

KELLNER, D.; SHARE, J. Toward Critical Media Literacy: Core concepts, debates, organizations, and policy. Journal Discourse: Studies in the Cultural Politics of Education, v. 26, n. 3, 2005. Disponível em: https://bit.ly/3gyd7op. Acesso em: 14 abr, 2020.

LIVINGSTONE, S. Making Sense of Television – The psychology of audience interpretation. 2ª. ed. Nova York: Routledge, 2007.

MASSAROLO, J.; MESQUISA, D. Narrativa transmídia e a Educação: panorama e perspectivas. Revista Ensino Superior Unicamp, n. 9, 2013. Disponível em: https://bit.ly/2uRaZ51. Acesso em: 14 abr. 2020.

MIHAILIDIS, P. Media literacy and the emerging citizen: Youth, engagement and participation in digital culture. Nueva York: Peter Lang, 2014.

OBSERVATÓRIO DA QUALIDADE NO AUDIOVISUAL. Análise das fanfictions da temporada Viva a diferença de Malhação, online, 2019. Disponível em: https://tinyurl.com/y28j6lt4. Acesso em: 7 jul. 2019.

PASSARELLI, B.; AZEVEDO, J. (orgs.). Atores em rede: olhares luso-brasileiros. São Paulo: Editora Senac, 2010.

PECCOLI, V. Malhação – Viva a diferença chega ao fim com maior ibope desde 2009. TV Foco, Online, 2018. Disponível em: https://bit.ly/2IciMyn. Acesso em: 14 abr. 2020.

RECUERO, R. BASTOS, M; ZAGO, G. Análise de redes para mídia social. Porto Alegre: Sulina, 2015.

RECUERO, R. Redes sociais na Internet. Porto Alegre: Sulina, 2009.

RECUERO, R. A conversação em rede: comunicação mediada pelo computador e redes sociais na Internet. 2ª. ed. Porto Alegre: Sulina, 2014.

ROJO, R. Multiletramentos na escola. São Paulo: Parábola, 2012.

SANDVOSS, C. Quando a estrutura e a agência se encontram: os fãs e o poder. Ciberlegenda, v. 1, n. 38, 2013. Disponível em: http://bit.ly/2OeTbty. Acesso em: 14 abr. 2020.

SCOLARI, C. Literacia transmedia na nova ecologia mediática – Livro Branco. Barcelona: Europen Union Funding for Research &Innovasion, 2018.

SCOLARI, C. Transmedia literacy: informal learning strategies and media skills in the new ecology of communication. Revista Telos, v. 193, n. 1, 2016. Disponível em: https://goo.gl/1KtnZD. Acesso em: 14 abr. 2020.

SIGILIANO, D; BORGES, G. A Rede Globo no ecossistema da Social TV: uma análise sobre as postagens do perfil @redeglobo no Twitter. Intexto, Porto Alegre, n. 36, 2016. Disponível em: https://bit.ly/2EHAg9L. Acesso em: 14 abr. 2020,

SIGILIANO, D. BORGES, G. As discussões sobre The X-Files na Social TV: uma análise do backchannel da décima temporada. Contemporânea, v. 17, n. 1, 2019. Disponível em: https://tinyurl.com/y3j34xhb. Acesso em: 14 abr. 2020.

THOMAS, A. Blurring and Breaking through the Boundaries of Narrative, Literacy, and Identity in Adolescent Fan Fiction. MICHELE, K; COLIN, L (eds.). A new literacies sampler. Nova York: Peter Lang Publishing, 2017.

Downloads

Publicado

2020-12-21

Como Citar

BORGES, G.; SIGILIANO, D. Malhação - Viva a diferença: ampliação e ressignificação do shipp Limantha no Twitter. RuMoRes, [S. l.], v. 14, n. 28, p. 77-102, 2020. DOI: 10.11606/issn.1982-677X.rum.2020.174323. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/Rumores/article/view/174323. Acesso em: 20 abr. 2021.

Edição

Seção

Dossiê