A construção de mundos na ficção televisiva e a questão do realismo: o caso de The Wire

Autores

  • João Eduardo Silva de Araújo Universidade Federal da Bahia
  • Maria Carmen Jacob de Souza Universidade Federal da Bahia

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1982-677X.rum.2020.174429

Palavras-chave:

Mundos ficcionais, Ficção televisiva, Realismo, Autoria, The Wire

Resumo

Este artigo busca contribuir com as discussões sobre as especificidades das séries ficcionais realistas, sobretudo no que concerne à capacidade que estas obras com frequência têm de gerar um efeito de crença que parece apagar a distinção entre o mundo da ficção e o mundo vivido. Abraçando a questão das diretrizes autorais que orientam uma obra como uma via importante para compreender as dimensões poéticas internas que promovem esses efeitos, este artigo explora como o impulso jornalístico que moveu o autor-criador de The Wire, David Simon, incitou a construção de um universo narrativo singular no seriado e a criação de uma forte ilusão de realidade por ele.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

João Eduardo Silva de Araújo, Universidade Federal da Bahia

Doutor em Comunicação e Cultura Contemporâneas pela Universidade Federal da Bahia. Professor nos cursos de formação de roteiristas Usina do Drama (Facom/UFBa) e Narrativas (Benditas produções). Membro Laboratório de Análise de Teleficção (a-tevê) da Facom/UFBa. eda rede de pesquisadores Obitel-Brasil, núcleo brasileiro do Observatório Iberoamericano de Ficção Televisiva. Estuda a criação de universos ficcionais no audiovisual.

Maria Carmen Jacob de Souza, Universidade Federal da Bahia

Professora permanente do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Cultura Contemporâneas da Universidade Federal da Bahia, onde coordena o Laboratório de Análise de Teleficção (a-tevê). Doutorado em Ciências Sociais (PUC/SP). Coordenadora pedagógica do programa de formação de roteiristas Usina do Drama.

Referências

ANG, I. Watching Dallas: soap opera and the melodramatic imagination. London: Methuen, 1985.

ARAÚJO, J. E. S. “Vale tudo no jogo”: a poiese de um mundo ficcional realista no seriado televisivo The Wire, 2019, Tese (Doutorado em Comunicação e Cultura Contemporâneas) – Faculdade de Comunicação, Universidade Federal da Bahia. Salvador, 2019.

AUMONT, J. A estética do filme. Campinas: Papirus, 1995.

BALOGH, A. M. O discurso ficcional na TV: sedução e sonho em doses homeopáticas. São Paulo: Edusp, 2000.

BARTHES, R. A câmara clara: notas sobre a fotografia. Rio de Janeiro, 1984.

BARTHES, R. O rumor da língua. São Paulo: Martins Fontes, 2012.

BAXANDALL, M. Padrões de intenção: a explicação histórica dos quadros. São Paulo: Schwarcz, 2005.

BAZIN, A. O cinema: ensaios. São Paulo: Brasiliense, 1991.

BLACKWELL, M. Fun comes down to The Wire. [s.l.]: The Daily Progress, 2007. Disponível em: https://www.dailyprogress.com/lifestyles/article_40cfad7f-8544-57a2-9109-3de44696c689.html. Acesso em: 02 set. 2020.

BENJAMIN, W. Origem do drama barroco alemão. São Paulo: Brasiliense, 1984.

BORDWELL, D. Historical poetics of cinema. In: PALMER, B. (ed.). The cinematic text: methods and approaches. New York: AMS, 1989.

BORDWELL, D. Figuras traçadas na luz: a encenação no cinema. Campinas: Papirus, 2008.

BOURDIEU, P. As regras da arte: gênese, estrutura e campo literário. 2a. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2005.

CALDWELL, J. T. Televisuality: style, crisis, and authority in American television. New Brunswick: Rutgers University Press, 1995.

DOLEŽEL, L. Heterocosmica: fiction and possible worlds. Baltimore: The Johns Hopkins University Press, 1998.

ECO, U. Seis passeios pelos bosques da ficção. São Paulo: Schwarcz, 2006.

ECO, U. Lector in fabula: a cooperação interpretativa nos textos narrativos. 2a. ed. São Paulo: Perspectiva, 2008.

FRYE, N. Anatomy of criticism: four essays. Princeton: Princeton University Press, 2000.

GOMBRICH, E. Arte e ilusão: um estudo sobre a psicologia da representação pictórica. 2ª. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1995.

GOMES, W. Estratégias de produção de encanto: o alcance contemporâneo da poética de Aristóteles. Textos de cultura e comunicação, Salvador, v. 35, n. 1, 1996.

GOODMAN, N. Modos de fazer mundos. Porto: Asa, 1995.

GREIMAS, A. J. Semântica estrutural. 2a. ed. São Paulo: Cultrix, 1976.

HERMAN, D. Narrative ways of worldmaking. In: HEINEN, S.; SOMMER, R. (eds.). Narratology in the age of cross-disciplinary narrative research. Berlin: De Gruyter, 2009.

LUKÁCS, G. Realismo crítico hoje. Brasília: Coordenada, 1969.

MITTELL, J. Complex TV: the Poetics of contemporary television storytelling. New York: New York University Press, 2015.

NICHOLS, B. Representing reality. Bloomington: Indiana University Press, 1991.

PAVEL, T. Fictional Worlds. Cambridge: Harvard University Press, 1986.

RICOEUR, P. Tempo e narrativa. Vol. 1. Campinas: Papirus, 1994.

RICOEUR, P. “The function of fiction in shaping reality”. Man and world, New York, v. 12, n. 2, 1979.

RONEN, R. Possible worlds in literary theory. Cambridge: Cambridge University Press, 1994.

RYAN, M. L. Possible worlds, artificial intelligence, and narrative theory. Indiana: University Bloomington & Indiana Press, 1991.

SIMON, D. A final thank you to The Wire fans, from show creator David Simon. [s.l.]: HBO, 2008a. Disponível em: https://www.hbo.com/the-wire/a-final-thank-you-to-the-wire-fans. Acesso em: 02 set. 2020.

SIMON, D. Introduction. In: ALVAREZ, R. (ed.). The Wire: truth be told. New York: Pocket Boos, 2004.

SIMON, D. The Wire’s final season and the story everyone missed. [s.l.]: The Huffington Post, 2008b. Disponível em: https://www.huffingtonpost.com/david-simon/the-wires-final-season-an_b_91926.html. Acesso em: 02 set. 2020.

SIMON, D. et al. Exclusive David Simon Q&A. [s.l.]: The Wire on HBO: play or get played on David Simon’s Baltimore, 2006. Disponível em: http://www.borderline-productions.com/TheWireHBO/exclusive-1.html. Acesso em: 02 set. 2020.

SIMON, D. et al. I’m David Simon, creator of HBO’s The Wire, The Corner, Show Me A Hero, now working on The Deuce. I’m also a 2010 MacArthur Fellow. Go ahead and AMA. [s.l.]: Ask Me Anything, 2016. Disponível em: https://www.reddit.com/r/IAmA/comments/51lz1y/im_david_simon_creator_of_hbos_the_wire_the/. Acesso em: 02 set. 2020.

THOMPSON, K. Breaking the glass armor: neoformalist film analysis. Princeton: Princeton University Press, 1988.

TOUS-ROVIROSA, A. El concepto de autor en las series norteamericanas de calidad. In: SERAFIM, J. F. (org.). Autor e autoria no cinema e na televisão. Salvador: Editora da UFBA, 2009.

TSOURGIANNIS, Yorgos. Documentaries, realism and fiction: how real is real in the work of David Simon. [s.l.]: Film Parlato, 2016. Disponível em: http://filmparlato.com/index.php/numeri/6/item/143-serial-filmmakers-david-simon. Acesso em: 02 set. 2020.

WILLIAMS, L. On the Wire. Durham (North Carolina): Duke University Press, 2014.

WILSON, G. “The bigger the lie, the more they believe”: cinematic realism and the anxiety of representation in David Simon’s The Wire. South Central Review, Baltimore, v. 31, n. 2, 2014.

Downloads

Publicado

2020-12-21

Como Citar

ARAÚJO, J. E. S. de; SOUZA, M. C. J. de . A construção de mundos na ficção televisiva e a questão do realismo: o caso de The Wire. RuMoRes, [S. l.], v. 14, n. 28, p. 126-148, 2020. DOI: 10.11606/issn.1982-677X.rum.2020.174429. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/Rumores/article/view/174429. Acesso em: 16 maio. 2021.

Edição

Seção

Dossiê