Queer as a Zombie: metaforizações da homofobia na ficção televisiva

Autores

  • Anderson Lopes da Silva Universidade Federal do Paraná

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1982-677X.rum.2020.174440

Palavras-chave:

Zombie Studies, Séries, Metáfora, Sentimentalização, Zumbis

Resumo

Mais do que simplesmente apresentar uma tenebrosa e angustiante imagem, a figura dos mortos-vivos traz a possibilidade de múltiplas leituras metafóricas acerca do que esses seres podem falar sobre nossa sociedade e os seus mais diversos dilemas. Assim, a proposta deste artigo é discutir como a série britânica In the flesh metaforiza a homofobia a partir das questões de gênero e sexualidade nas relações afetivas de personagens zumbis e gays da trama. A metodologia baseiase no estudo da metaforização discursiva e, de maneira intrínseca a ela, utiliza-se do conceito de isotopia discursiva como o direcionador preponderante de análise. Finalmente, as considerações finais apontam que a trama da obra desvela exemplos de metaforização discursiva a partir da homofobia familiar, homofobia clínica, homofobia religiosa, homofobia institucionalmente persecutória e homofobia interiorizada.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Anderson Lopes da Silva, Universidade Federal do Paraná

Doutor em Ciências da Comunicação pelo Programa de Pós-Graduação em Ciências da Comunicação, da Escola de Comunicações e Artes, na Universidade de São Paulo (PPGCOM/ECA USP). Pesquisador do GELiDis (Grupo de Pesquisa Linguagens e Discursos nos Meios de Comunicação), vinculado à USP/CNPq, e do NEFICS (Núcleo de Estudos em Ficção Seriada e Audiovisualidades), vinculado à UFPR/CNPq. Tem interesses de pesquisas no campo dos estudos televisivos e do audiovisual, estudos da linguagem, estudos culturais, teorias do excesso e, finalmente, estudos sobre produção, circulação e consumo de ficção seriada em plataformas de streaming.

Referências

AIOSSA, E. The Subversive Zombie: Social Protest and Gender in Undead Cinema and Television. Jefferson: McFarland and Company, 2018.

ALLEN, R. H. The Classical Origins of Modern Homophobia. Jefferson: McFarland, 2006.

AKOTIRENE, C. Interseccionalidade. São Paulo: Sueli Carneiro; Pólen, 2019.

BISHOP, K. W. How Zombies Conquered Popular Culture: The Multifarious Walking Dead in the 21st Century. Jefferson: McFarland & Company, 2015.

BORRILLO, D. Homofobia: história e crítica de um preconceito. Belo Horizonte: Autêntica, 2010.

BUTLER, J. Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade. Rio deJaneiro, Civilização Brasileira, 2003.

CLOUGH, P. T. Introduction. In: CLOUGH, P. T.; CLOUGH, J. H. (orgs.). The Affective Turn: Theorizing the Social. Durham: Duke University Press, 2007.

COSTA, A. B.; NARDI, H. C. Homofobia e preconceito contra diversidade sexual: debate conceitual. Temas em Psicologia, v. 23, n. 3. Disponível em: http://dx.doi.org/10.9788/TP2015.3-15. Acesso em: 12 mar. 2020.

COUTINHO, R. S. Signos linguísticos e imagéticos da intolerância nos zumbis da série In the flesh. Tese (Doutorado). Universidade Federal de Goiás, 2016.

DENDLE, P. The zombie movie encyclopedia. Jefferson: McFarland & Co., 2001.

GARCÍA MARTÍNEZ, A. N.; GONZÁLEZ, A. M. Emotional Culture and TV Narratives. In: GARCÍA MARTÍNEZ, A. N. (org.). Emotions in Contemporary TV Series. New York: Palgrave Macmillan, 2016.

GARCÍA MARTÍNEZ, A. N. Prozac para zombis: La sentimentalización contemporánea del muerto viviente en la televisión. Brumal, v. IV, n. 1, primavera 2016.

HANDERSON, J. Vodu no Haiti – Candomblé no Brasil: identidades culturais e sistemas religiosos como concepções de mundo Afro-Latino-Americano. Dissertação (Mestrado). Universidade Federal de Pelotas, 2010.

HURSTON, Z. N. Tell My Horse: Voodoo and Life in Haiti and Jamaica. New York: Harper Collins, 1938.

JUNQUEIRA, R. D. Homofobia: limites e possibilidades de um conceito em disputa. Bagoas – estudos gays: gênero e sexualidades, v. 1, n. 1, jul.-dez. 2007. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/bagoas/issue/view/187. Acesso em: 23 abr. 2020.

KRISTEVA, J. Powers of horror: an essay of abjection. Nova York: Columbia University Press, 1985.

LEITE. R. L. Metaforização textual: a construção discursiva do sentido metafórico no texto. Tese (Doutorado). Universidade Federal do Ceará, 2007.

LEITE, R. L. Cognição e metaforização textual. In: MACEDO, A. C. P.; FELTES; Heloísa. P. M.; FARIAS, E. M. P. (orgs.). Cognição e lingüística: explorando territórios, mapeamentos e percursos. Caxias do Sul/Porto Alegre: Educs/Edipucrs, 2008.

LEITE, R. L. Isotopia e metaforização textual. Gragoatá, v. 14, n. 26, 1º sem. 2009.

LOURO, G. L. Gênero, sexualidade e educação: uma perspectiva pós-estruturalista. Petrópolis: Vozes, 1997.

McDANIEL, J. You Can Point a Finger at a Zombie. Sometimes They Fall Off: Contemporary Zombie Films, Embedded Ableism, and Disability as Metaphor. The Midwest Quarterly, v. 57, n. 4, 2016.

McGLOTTEN, S.; JONES, S. Zombies and Sexuality: Essays on Desire and the Living Dead. Jefferson: McFarland and Company, 2014.

MONTES, A. De los cuerpos travestis a los cuerpos zombis: la carne como figura de la historia. Buenos Aires: Argus-a, 2017.

REIS FILHO, L.; SUPPIA, A. Dos cânones sagrados às alegorias profanas: a laicização do Zumbi no cinema. Mneme, v. 12, n. 29, jul. 2011. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/mneme/article/view/1013. Acesso em: 31 maio 2020.

SILVA, A. L.; GARCÍA MARTINEZ, A. N. Um espectador-pesquisador: Alberto Nahum García Martínez e o estudo acadêmico sobre séries televisivas na Espanha (Entrevista). Ação Midiática, n. 13, jan.-jun. 2017. Disponível em: http://encurtador.com.br/ADI46. Acesso em: 23 abr. 2020.

SUPPIA, A.; REIS FILHO, L. Marharhahar Z!namabarn: Breve panorama do cinema de zumbi na América Latina. Revista Rumores, v. 7, n. 13, jul. 2013. Disponível em: http://migre.me/w3NVy. Acesso em: 11 mar. 2020.

SZANTER, A.; RICHARDS, J. K. Romancing the Zombie: Essays on the Undead as Significant “Other”. Jefferson: McFarland and Company, 2017.

VERVAEKE, J.; MASTROPIETRO, C.; MISCEVIC, F. Zombies in Western Culture: A Twenty-First Century Crisis. Cambridge: Open Books Publishers, 2017.

WRIGHT, K. Disgust and desire: the paradox of the monster. Amsterdam: Brill/Rodopi, 2018.

Downloads

Publicado

2020-12-21

Como Citar

SILVA, A. L. da . Queer as a Zombie: metaforizações da homofobia na ficção televisiva. RuMoRes, [S. l.], v. 14, n. 28, p. 149-177, 2020. DOI: 10.11606/issn.1982-677X.rum.2020.174440. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/Rumores/article/view/174440. Acesso em: 20 abr. 2021.

Edição

Seção

Dossiê