Temporalidade e cronotopo na minissérie televisiva Se eu fechar os olhos agora

Autores

  • Maria Cristina Palma Mungioli Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1982-677X.rum.2020.176429

Palavras-chave:

Poética de séries de televisão, Discurso e temporalidade, Cronotopo, Minissérie

Resumo

O presente artigo discute elementos da poética das séries de televisão (Mittell, 2015) a partir da construção discursiva de sua temporalidade. Após discussão baseada em aspectos da narratologia (RICOEUR, 1983; ECO, 1997; BARONI, 2016; GENETTE, 2017), dos estudos de linguagem televisiva (Mittell (2015; JOST (2016) e dos estudos de linguagem de Bakhtin (2010), analisamos aspectos da construção da temporalidade no primeiro capítulo da minissérie. Destacamos o uso de flashbacks e flashforwards como procedimentos narrativos e estilísticos que caracterizam uma arquitetura de puzzle na qual personagens e motivações se configuram e se reconfiguram ao longo da trama por meio da construção da temporalidade. A análise dos cronotopos mostra trama, personagens e conflitos em situações que desnudam os embates sociais e tensionam visões de mundo e conflitos inerentes à vida social em sua perspectiva de construção histórica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Cristina Palma Mungioli, Universidade de São Paulo

Professora Doutora, na Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo. Professora do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Comunicação na mesma Universidade. Líder do Grupo de Pesquisa GELiDis.

Referências

BAKHTIN, M. Questões de literatura e estética: a teoria do romance. São Paulo: Hucitec Editora, 2010.

BARONI, R. The many ways of dealing with sequence in contemporary narratology. In: BARONI, R.; REVAZ, F. (orgs.). Narrative sequence in contemporary narratology. Columbus: Ohio State University Press, 2016.

BORDWELL, D. Poetics of cinema. New York: Routledge, 2008.

CLARK, K.; HOLQUIST, M. Mikhail Bakhtin. São Paulo: Perspectiva, 1998.

ECO, U. Lector in fabula. São Paulo: Perspectiva, 1986.

ECO, U. Seis passeios pelos bosques da ficção. São Paulo: Companhia das Letras, 1997.

ESQUENAZI, J.-P. As séries televisivas. Lisboa: Texto & Grafia, 2011.

FORSTER, E. M. Aspectos do romance. São Paulo: Globo, 1998.

GAUDREAULT, A.; JOST, F. Le récit cinématographique: films et séries télévisées. Paris: Armand Colin, 2017.

GENETTE, G. Figuras III. São Paulo: Estação Liberdade, 2017.

IANNI, O. A idéia de Brasil moderno. São Paulo: Brasiliense, 2004.

JOST, F. De quoi les séries américaines sont-elles le symptôme. Paris: CNRS Éditions, 2011.

JOST, F. Repenser le futur avec les séries. Essai de narratologie comparé. Television, numéro 7. Paris: CNRS, 2016.

KUHN, A.; WESTWELL, G. Oxford Dictionary of Film Studies. Oxford: Oxford University Press, 2012.

LINHARES, J. Marcela Temer: bela, recatada e “do lar”. Revista Veja, 18 de abril de 2016. Disponível em: https://veja.abril.com.br/brasil/marcela-temer-bela-recatada-e-do-lar/. Acesso em: 15 out. 2020.

MARTÍN-BARBERO, J. Dos meios às mediações: comunicação, cultura e hegemonia. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2001.

MARTÍN-BARBERO, J. América Latina e os anos recentes: o estudo da recepção em comunicação social. In: SOUSA, M. W.(org.). Sujeito: o lado oculto do receptor. São Paulo: Brasiliense, 1995.

METZ, C. A significação no cinema. São Paulo: Perspectiva, 2010.

MITTELL, J. Narrative Complexity in Contemporary American Television. The velvet light trap. Number 58, University of Texas Press, 2006.

MITELL, J. Complex TV: the poetics of contemporary television storytelling. New York: New York University Press, 2015.

MUNGIOLI, M. C. P. Poética das Séries de Televisão: elementos para conceituação e análise. Anais. Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação, 2017. Disponível em: http://portalintercom.org.br/anais/nacional2017/resumos/R12-2621-1.pdf. Último acesso em: 13 out. 2017.

MUNGIOLI, M. C. P. A dupla articulação gênero-formato ficcional como instância de mediação local. In: TRINDADE, E.; LACERDA, J. S.; FERNANDES, M. (orgs.). Entre comunicação e mediações: visões teóricas e empíricas. São Paulo: ECA-USP, 2019; Paraíba: UEPB, 2019.

MUNGIOLI, M. C. P. Entre o ético e o estético: o carnavalesco e o cronotopo na construção do narrador da minissérie Capitu. Revista Líbero, v. 16, n. 31, jan.-jun. de 2013.

MUNGIOLI, M. C. P.; PELEGRINI, C. Narrativas complexas na ficção televisiva. Revista Contracampo, v. 26, 2013.

PALLOTTINI, R. Dramaturgia de televisão. São Paulo: Moderna, 1998.

RICOEUR, P. Temps et récit. Tome I: L’intrigue et le récit historique. Paris: Éditions du Seuil, 1983.

RYAN, M-L. Paradoxes temporels dans le récit. A contrario, vol. 13, no. 1, 2010.

SILVA, M. V. B. Cultura das séries: forma, contexto e consumo de ficção seriada na contemporaneidade. Revista Galáxia, n. 27, 2014. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/1982-25542014115810. Acesso em: 10 jul. 2017.

SEPULCHRE, S. Décoder les séries télévisées. Bruxelas: Éditions De Boeck Université, 2011.

TODOROV, T. Mikhail Bakhtine: le principe dialogique suivi de écrits du cercle de Bakhtine. Paris: Seuil, 1981.

TOMACHEVSKI, B. Temática. In: Toledo, D. O. (org.) Teoria da literatura: formalistas russos. Porto Alegre: Globo, 1976.

WILLIAMS, R. Televisão: tecnologia e forma cultural. São Paulo: Boitempo; Belo Horizonte: PUC Minas, 2016.

Downloads

Publicado

2020-12-21

Como Citar

MUNGIOLI, M. C. P. Temporalidade e cronotopo na minissérie televisiva Se eu fechar os olhos agora. RuMoRes, [S. l.], v. 14, n. 28, p. 245-266, 2020. DOI: 10.11606/issn.1982-677X.rum.2020.176429. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/Rumores/article/view/176429. Acesso em: 20 abr. 2021.

Edição

Seção

Dossiê