Claudia Leitte e a indiferença na pandemia: jornalismo e celebridades na ambiência de um ciberacontecimento

Autores

  • Denise Figueiredo Barros do Prado Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP)
  • Frederico de Mello Brandão Tavares Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP)

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1982-677X.rum.2022.200400

Palavras-chave:

Celebridade, ciberacontecimento, Claudia Leitte, política, pandemia covid-19

Resumo

A partir de uma fala insensível de Claudia Leitte com relação ao contexto brasileiro durante a pandemia de covid-19 no programa Altas Horas (Rede Globo), em maio de 2021, houve intensa reverberação nas redes sociais, seguida de retratação da artista e cobertura noticiosa. Estimulados por essa ocorrência, neste artigo, problematizamos como o cenário de reverberações e afetações do evento na cobertura noticiosa é capaz de revelar traços associados às formas de presença, ao posicionamento político dos célebres no contexto brasileiro e às relações entre jornalismo e ciberacontecimentos na contemporaneidade. Mapeamos e analisamos 19 publicações relacionadas ao tema, coletadas entre 22 de maio de 2021 e 29 de maio de 2021, período de emergência do caso, nas quais observamos como o processo interacional entre artista e público é estabelecido e se constitui como fenômeno no âmbito jornalístico.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Denise Figueiredo Barros do Prado, Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP)

    Docente e pesquisadora da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), onde atua no curso de Graduação em Jornalismo e no Programa de Pós-Graduação em Comunicação (PPGCOM). É Doutora em Comunicação pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), com estágio doutoral na École des Hautes Études en Sciences Sociales (EHESS, França). Realizou Pós-Doutorado em Comunicação junto à Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), com bolsa concedida pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). É líder do GIRO – Grupo de Pesquisa em Mídia e Interações Sociais (UFOP/CNPq).

  • Frederico de Mello Brandão Tavares, Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP)

    Docente e pesquisador da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), onde atua no curso de Graduação em Jornalismo e no Programa de Pós-Graduação em Comunicação (PPGCOM). Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq – Nível 2. É líder do GIRO – Grupo de Pesquisa em Mídia e Interações Sociais (UFOP/CNPq). Realizou Pós-Doutorado junto à Universidad Nacional de La Plata (UNLP, Argentina). Doutor em Ciências da Comunicação pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos).

Referências

APÓS críticas, Claudia Leitte admite que errou no Altas Horas: ‘Quero me redimir’. Notícias da TV, São Paulo, 25 maio 2021. Disponível em: https://bit.ly/3ajUIO0. Acesso em: 27 mar. 2022.

AQUINO BITTENCOURT, M. C. As narrativas colaborativas nos protestos de 2013 no Brasil: midiatização do ativismo, espalhamento e convergência. Revista Latinoamericana Comunicación Chasqui, Quito, v. 1, p. 325-343, 2015b.

AQUINO BITTENCOURT, M. C. Ciberacontecimento e jornalismo digital: o impacto do compartilhamento e da produção de sentidos nas práticas jornalísticas. Estudos em Jornalismo e Mídia (UFSC), Florianópolis, v. 12, p. 342-358, 2015a.

ARIAS, R. D. La formalización de la realidad: noticia, acontecimiento mediático, ciberacontecimiento. In: CONGRESSO DE PERIODISMO EN LA RED, 3., 2008, Madrid. Anais […]. Madrid: Universidade Complutense de Madrid, 2008.

CLAUDIA Leitte fala em “pacificação” na pandemia e irrita internautas. NaTelinha, São Paulo, 23 maio 2021a. Disponível em: https://bit.ly/3yLaWJw. Acesso: 27 mar. 2022.

CLAUDIA Leitte pede desculpas após “Altas Horas” e lista motivos para indignação no Brasil. O Globo, Rio de Janeiro, 25 maio 2021b. Disponível em: http://glo.bo/3OPhn3K. Acesso em: 27 mar. 2022.

CLAUDIA Leitte se defende de críticas por se isentar no “Altas Horas”: “Quero me redimir”. Quem, Rio de Janeiro, 25 maio 2021c. Disponível em: http://glo.bo/3OTZzo4. Acesso em: 27 mar. 2022.

CLAUDIA Leitte se defende de críticas: “Quero me redimir”. Istoé Gente, São Paulo, 25 maio 2021d. Disponível em: https://bit.ly/3RaUDga. Acesso em: 27 mar. 2022.

FAUSTO NETO, A. Como as linguagens afetam e são afetadas na circulação? In: BRAGA, J. L.; FERREIRA, J.; FAUSTO NETO, A.; GOMES, P. G. (Orgs.). Dez perguntas para a produção de conhecimento em comunicação. São Leopoldo, RS: Unisinos, 2013. p. 43-64.

GOMES, K. Claudia Leitte é criticada por resposta ‘gratidão’ em pergunta sobre pandemia. Hypeness, São Paulo, 24 maio 2021a. Disponível em: https://bit.ly/3c14sxn. Acesso em: 27 mar. 2022.

GOMES, Karol. Claudia Leitte pede desculpas por fala vazia sobre Brasil e lista o que lhe causa indignação. Hypeness, São Paulo, 25 maio 2021b. Disponível em: https://bit.ly/3AwVH8a. Acesso em: 27 mar. 2022.

GUIMARÃES, C. Não sou isentona: Claudia Leitte pede desculpas por não se indignar na TV. Veja Rio, Rio de Janeiro, 25 maio 2021. Disponível em: https://bit.ly/3IpVfe6. Acesso em: 27 mar. 2022.

HALL, Stuart. Da diáspora: identidades e mediações culturais. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2003.

HAROCHE, C. A invisibilidade proibida. In: AUBERT, N.; HAROCHE, C. Tiranias da visibilidade: o visível e o invisível nas sociedades contemporâneas. São Paulo: Fap-Universp, 2013. p. 85-110.

HENN, R. C. O ciberacontecimento. In: VOGEL, D.; MEDITSCH, E.; SILVA, G. (Orgs.). Jornalismo e acontecimento: tramas conceituais. 1. ed. Florianópolis: Insular, 2013. v. 4. p. 31-48.

HJARVARD, S. Midiatização: conceituando a mudança social e cultural. MATRIZes, São Paulo, v. 8, n. 1, p. 21-44, 2014.

HÖEHR, K. M. A construção de notícias no twitter: ciberacontecimentos, fluxos e apropriações jornalísticas. 2013. Dissertação (Mestrado em Ciências da Comunicação) – Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo, 2013.

MARWICK, A.; BOYD, D. To see and be seen: celebrity practice on Twitter. Convergence: the international journal of Research into New Media Technologies, [S. l.], v. 17, n. 2, p. 139-158, 2011.

OLIVEIRA, F. M.; HENN, R. C. Movimentos em rede e ocupação do espaço público: limites e possibilidades ante a crise do jornalismo. Contemporânea, Salvador, v. 12, p. 39, 2014.

PAIXÃO-ROCHA, P.; SIMÕES, P. G. Celebridade é política? Revista Eco-Pós, Rio de Janeiro, v. 24, p. 201-225, 2021.

POSTINGUEL, D.; GONZATTI, C.; ROCHA, R. M. #AnittalsOverParty: a celebridade como mobilizadora de ciberacontecimentos, os consumidores-fiscais e a cultura do cancelamento em redes digitais. Revista E-Compós, Brasília, DF, v. 23, p. 1-27, 2020.

PRADO, D. F. B.; MONTEIRO, L. A. C.; SARMENTO, R. Anitta, #elenao e as cobranças por representatividade e coerência. Revista Tropos: Comunicação, Sociedade e Cultura, Rio Branco, v. 9, n. 2, p. 1-28, 2020.

RECUERO, R.; ZAGO, G.; SOARES, F. B. Circulação jornalística no Twitter: A cobertura do impeachment de Dilma Rousseff. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISADORES EM JORNALISMO, 15., 2017, São Paulo. Anais […]. São Paulo:

Universidade de São Paulo, 2017. p. 1-20.

RINCÓN, O. Lo popular en la comunicación. Culturas bastardas + ciudadanías celebrities. In: AMADO, A.; RINCÓN, O. La comunicación en mutación. Bogotá: Centro de Competencia en Comunicación para América Latina, 2015. p. 23-42.

SAFNER, C. No Altas Horas, falta de opinião faz Claudia Leite ser escorraçada na internet. Observatório da TV, São Paulo, 23 maio 2021. Disponível em: https:// bit.ly/3akrJJY. Acesso em: 27 mar. 2022.

SIBILIA, P. Autenticidade e performance: a construção de si como personagem visível. Revista Fronteiras – Estudos Midiáticos, São Leopoldo, v. 17, n. 3, p. 353-364, 2015.

SIMÕES, P. G. O poder de afetação das celebridades. In: FRANÇA, V.; FREIRE FILHO, J.; LANA, L.; SIMÕES, P. (org.). Celebridades do século XXI: transformações no estatuto da fama. Porto Alegre: Sulina, 2014. p. 209-225.

TEIXEIRA, L. Claudia Leitte pede desculpas após se isentar sobre situação do Brasil em entrevista. Tenho Mais Discos que Amigos!, [s. l.], 25 maio 2021. Disponível em: https://bit.ly/3bT37IK. Acesso em: 27 mar. 2022.

ZAGO, G. A Participação dos interagentes nos sites de redes sociais como uma dimensão do acontecimento jornalístico. Intexto, Porto Alegre, n. 28, p. 156-170, 2013.

ZAGO, G. Ressignificações do acontecimento no jornalismo em rede. Revista Observatório, Palmas, v. 3, n. 3, p. 305-326, 2017.

ZAGO, G.; RECUERO, R. Jornalismo em Microblogs: um estudo das apropriações jornalísticas do Twitter. In: ALBUQUERQUE, A.; KÜNSCH, D. A.; BERGER, C.; SILVA, G. (org.). Jornalismo contemporâneo: figurações, impasses e perspectivas.

Salvador: EDUFBA, 2011. v. 1. p. 243-266.

Downloads

Publicado

2022-06-30

Edição

Seção

Dossiê

Como Citar

Claudia Leitte e a indiferença na pandemia: jornalismo e celebridades na ambiência de um ciberacontecimento. RuMoRes, [S. l.], v. 16, n. 31, p. 161–183, 2022. DOI: 10.11606/issn.1982-677X.rum.2022.200400. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/Rumores/article/view/200400.. Acesso em: 18 abr. 2024.