A memória da Comunicação em instituições biomédicas: considerações sobre os efeitos da comunicação organizacional em mudanças na relação biomédico-paciente

  • Simone Vaisman Muniz Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro
Palavras-chave: Comunicação institucional, saúde, memória social.

Resumo

Um dos efeitos que vêm surgindo na sociedade contemporânea atribuído à Comunicação Institucional – ainda que não apenas a ela – é uma transformação no modo como as pessoas consideram as fontes oficiais de informação da Biomedicina. A Comunicação Institucional em sua história produziu enunciados em relação à realidade social que parecem hoje impor um modelo hegemônico de cognição às atividades de pesquisa, de produção de políticas da biomedicina e também no dia-a-dia do relacionamento entre biomédico e paciente. Qual a relação entre esses efeitos de tematização do cotidiano biomédico pela Comunicação Institucional e as condições sociais e históricas que permitiram a emergência dessa área como a instância que transforma os acontecimentos da Biomedicina e os eleva à condição de socialmente importantes?

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Simone Vaisman Muniz, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro
Jornalista, especialista em Comunicação e Saúde pela Fundação Oswaldo Cruz e mestre em Memória Social pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UniRio), atualmente trabalha no Ministério da Cultura (Funarte). simonemuniz@hotmail.com
Publicado
2008-12-13
Como Citar
MUNIZ, S. A memória da Comunicação em instituições biomédicas: considerações sobre os efeitos da comunicação organizacional em mudanças na relação biomédico-paciente. RuMoRes, v. 2, n. 3, 13 dez. 2008.
Seção
Artigos