Estratégias discursivas do pathos na Folha de S. Paulo: a emoção como argumento no jornalismo

Autores

  • Adélia Barroso Fernandes Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e Centro Universitário de Belo Horizonte (UniBH).

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1982-677X.rum.2012.51292

Palavras-chave:

Jornalismo, argumentação, emoção, pathos, Folha de S. Paulo.

Resumo

pathos, ou a emoção, é uma condição necessária (e não uma contradição aparente) do discurso jornalístico e promove uma ligação entre os interlocutores num contrato de comunicação. O jornalismo impresso pode utilizar-se dos efeitos da dramatização e do ludismo, por exemplo, buscando tocar o afeto do receptor, provocar nele certo estado emocional que seja favorável a uma visada de influência do produtor da notícia. Explicitaremos algumas formas de patemização, tentando recuperar pistas da emoção em alguns dados lexicais e sintáticos e no uso de termos comuns partilhados na nossa cultura. Para isso, tomaremos dois corpora publicados no jornal Folha de S.Paulo: uma matéria de 2008, intitulada “Aluna com paralisia depende da mãe para assistir à aula”, e uma crítica do ombudsman a essa notícia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adélia Barroso Fernandes, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e Centro Universitário de Belo Horizonte (UniBH).

Doutoranda em linguística pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) e professora do UniBH (Centro Universitário de Belo Horizonte). adeliabfernandes@gmail.com.

Downloads

Publicado

2012-08-06

Como Citar

FERNANDES, A. B. Estratégias discursivas do pathos na Folha de S. Paulo: a emoção como argumento no jornalismo. RuMoRes, [S. l.], v. 6, n. 11, p. 108-122, 2012. DOI: 10.11606/issn.1982-677X.rum.2012.51292. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/Rumores/article/view/51292. Acesso em: 16 abr. 2021.

Edição

Seção

Artigos