Os ritornelos da canção cinematográfica: escuta, imaginário e imaginação

Autores

  • Rodrigo Fonseca Rodrigues Universidade Nova de Lisboa

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1982-677X.rum.2013.69441

Palavras-chave:

Cinema, canção, escuta, ritornelo.

Resumo

A empática ressonância entre a canção e o cinema fornece um manancial expressivo para a exploração de diferentes imbricações entre a dramaturgia, os ritmos pictóricos e o universo da palavra cantada nos filmes. Este artigo examina a singularidade formal da canção e sua consubstanciação criativa entre as sonoridades, a visualidade e a narrativa cinematográficas. O debate teórico é apoiado pelas ideias de Michel Chion acerca de como a canção diversifica o prisma expressivo do cinema e o conceito de ritornelo desenvolvido por Gilles Deleuze e Félix Guattari (1997) para se conceber a escuta cinematográfica da canção como uma implicação de ritmos do tempo – memórias e devires – materializados como ritmos da imagem, das sonoridades, da ficção e da palavra cantada.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rodrigo Fonseca Rodrigues, Universidade Nova de Lisboa

Pós-doutorando em ciências da linguagem (U. N. de Lisboa), doutor em comunicação e semiótica (PUC-SP, 2007), mestre em comunicação social (UFMG, 2002). Graduado em história (UFMG, 1999), professor de cinema e vídeo, comunicação, arte e estética na Universidade FUMEC. É autor do livro Música Eletrônica: a textura da máquina (Annablume, 2005). rfonseca@fumec.br.

Downloads

Publicado

2013-12-27

Como Citar

RODRIGUES, R. F. Os ritornelos da canção cinematográfica: escuta, imaginário e imaginação. RuMoRes, [S. l.], v. 7, n. 14, p. 239-252, 2013. DOI: 10.11606/issn.1982-677X.rum.2013.69441. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/Rumores/article/view/69441. Acesso em: 27 jan. 2022.

Edição

Seção

Artigos