RuMoRes https://www.revistas.usp.br/Rumores <p><strong>RuMoRes – Revista Online de Comunicação, Linguagem e Mídias</strong> é um periódico científico semestral da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP) publicado por MidiAto – Grupo de Estudos de Linguagem e Práticas Midiáticas e voltado para a divulgação de artigos científicos, resenhas críticas e entrevistas que contribuam para o debate sobre comunicação, cultura, mídias e linguagem. Classificada como B1 no Qualis Periódicos da Capes, a revista aceita trabalhos originais e inéditos (de autoria individual ou coletiva) de autores(as) com titulação mínima de doutor(a) ou doutorando(a), vinculados a instituições de ensino superior, recebendo-os em sistema de fluxo contínuo. Os textos devem ser encaminhados em Word, fonte TNR 12, espaçamento 1,5, seguindo as orientações encontradas nas&nbsp;Normas de Publicação. A revista conta com Apoio do Programa de Pós-Graduação em Meios e Processos Audiovisuais e do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Comunicação da ECA-USP.</p> <p>Para conhecer o site acesse www.revistas.usp.br/rumores, outras informações podem ser obtidas pelo e-mail rumores@usp.br.</p> <p>Para conhecer o grupo MidiAto, acesse www.usp.br/midiato, outras informações sobre o grupo podem ser obtidas pelo email midiato@usp.br</p> Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo pt-BR RuMoRes 1982-677X <p>Declaro a total e irrestrita cessão de direitos autorais sobre o&nbsp;texto enviado para publicação na Rumores – Revista Online de Comunicação, Linguagem e Mídias. Entendo&nbsp;que o conteúdo do artigo é de minha inteira responsabilidade, inclusive cabendo a&nbsp;mim a apresentação de permissão para uso de imagens, ilustrações, tabelas, gráficos de&nbsp;terceiros que, porventura, venham a integrá-lo.</p> Para tempos de resistências político-midiáticas https://www.revistas.usp.br/Rumores/article/view/172225 Rosana de Lima Soares ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2020-07-16 2020-07-16 14 27 6 11 10.11606/issn.1982-677X.rum.2020.172225 Política, poder e comunicação em Debord e Arendt https://www.revistas.usp.br/Rumores/article/view/165210 <p class="p1">Guy Debord é reconhecido como o principal teórico da sociedade do espetáculo, além de ter sido também um importante militante político e agitador cultural. O artigo aqui apresentado, fruto de uma pesquisa de Pós-Doutorado, procura compreender os conceitos de poder deste autor e como eles estão relacionados com o seu projeto de transformação revolucionária da sociedade capitalista. Tendo em vista este objetivo, será realizada uma análise comparativa com o pensamento de Hannah Arendt, reconhecida como uma das mais significativas autoras do século XX e que também desenvolveu reflexões sobre temas presentes nos textos e na atuação de política e cultural de Debord.</p> Claudio Novaes Pinto Coelho ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2020-07-16 2020-07-16 14 27 12 34 10.11606/issn.1982-677X.rum.2020.165210 Travessia do herói e pertencimento à ordem do coletivo https://www.revistas.usp.br/Rumores/article/view/165405 <p class="p1">O filme <em>Lost, lost, lost </em>(1976), de Jonas Mekas, recompõe o percurso de uma travessia iniciada com um involuntário processo de distanciamento de um território de origem. Discuto as heterogêneas estratégias de registro escolhidas e os modos privilegiados de composição dos materiais, no processo de construção do relato, para dar conta de vivências afetivas e sócio-históricas evocadas pelo narrador-diretor. Em função do entrelaçamento enigmático das matérias de expressão, pontuamos que é árdua a análise da narrativa, mas que podemos, entretanto, apreender o sentido do desenho proposto da travessia. E mostramos que a apontada recomposição final pelo narrador do seu próprio eu está relacionada à emergência de sentimentos de pertencimento que remetem à dimensão do coletivo.</p> Henri Pierre Arraes Gervaiseau ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2020-07-16 2020-07-16 14 27 35 56 10.11606/issn.1982-677X.rum.2020.165405 Resistência e dissonância nas narrativas em disputa https://www.revistas.usp.br/Rumores/article/view/165963 <p class="p1">Esse artigo analisa as narrativas produzidas pela mídia e pelos segmentos juvenis durante os movimentos de ocupação nas escolas e universidades no segundo semestre do ano de 2016. O exame dessas narrativas em disputa revela estratégias discursivas específicas: no âmbito das ocupações, o agendamento de temas destinados à formação de certos enquadramentos propostos pelos jovens estudantes, interessados em: (1) “furar” a narrativa dominante inaugurada pelos meios de comunicação televisivos; e (2) escapar às estratégias de silenciamento por meio dos atos de resistência. No âmbito midiático, tem-se o agendamento de temas destinados à formação de enquadramentos centrados na: (1) deslegitimação do movimento (a partir de chaves de <em>oposição </em>e <em>contrafacção </em>no campo semântico); na (2) estigmatização do discurso da resistência; e (3) na criminalização dos atos de resistência.</p> Hila Rodrigues Juarez Rocha Guimarães ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2020-07-16 2020-07-16 14 27 54 74 10.11606/issn.1982-677X.rum.2020.165963 Futebol, povo e poder https://www.revistas.usp.br/Rumores/article/view/159671 <p class="p1">Este estudo analisa os documentários <em>Garrincha, alegria do povo </em>(1963), de Joaquim Pedro de Andrade, e <em>Isto é Pelé </em>(1974), de Eduardo Escorel e Luiz Carlos Barreto, com intuito de identificar, tanto no contexto histórico quanto na estrutura das obras, questões que façam referência à relação entre futebol, povo e poder. Os elementos identificados na análise apontaram marcas características da época de produção dos filmes, cujas mensagens transmitidas ao público resultaram, apesar da abordagem sobre dois ídolos do mesmo esporte, em visões opostas no que diz respeito a apoio e resistência aos governos do período.</p> Bruno Navarini Rosa José Carlos Marques ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2020-07-16 2020-07-16 14 27 75 97 10.11606/issn.1982-677X.rum.2020.159671 Música, afeto e política dos corpos no New Queer Cinema de Karim Aïnouz https://www.revistas.usp.br/Rumores/article/view/159605 <p class="p1">Utilizando o conceito de valor acrescentado, tal como proposto por Michel Chion, e estudos recentes sobre o uso de música nos filmes como mediadores teórico-metodológicos, este artigo analisa os projetos musicais de dois longas-metragens protagonizados por personagens gays dirigidos por Karim Aïnouz: <em>Madame Satã </em>(2002) e <em>Praia do Futuro </em>(2014). O processo analítico nos conduziu à conclusão de que nas duas obras a música, especialmente a canção popular, opera aderida aos encontros e desencontros amorosos dos protagonistas, e presta reverência aos ideais de representação de personagens homossexuais defendidos pelo New Queer Cinema.</p> Guilherme Maia Everaldo Asevedo ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2020-07-16 2020-07-16 14 27 98 123 10.11606/issn.1982-677X.rum.2020.159605 Bela, recatada e do bar https://www.revistas.usp.br/Rumores/article/view/163686 <p class="p1">Neste artigo, a partir da observação das reações nos sites de redes sociais à reportagem publicada pela <em>Veja</em>, em 18 de abril de 2016, intitulada “Bela, recatada e do lar”, interessa-nos compreender como as internautas operacionalizaram crítica ironizando os adjetivos empregados para qualificar Marcela Temer. As cenas discursivas, construídas pelas mulheres que acionam a tríade de palavras da manchete, mobilizam questões caras ao feminismo, como o debate sobre a relação público/ privado e horizontes em que a autonomia e autodeterminação das mulheres se constroem. Para testar essa hipótese, foram coletadas e analisadas imagens publicadas no Tumblr.</p> Rayza Sarmento Viktor Chagas ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2020-07-16 2020-07-16 14 27 124 149 10.11606/issn.1982-677X.rum.2020.163686 Miriam Hansen e as contribuições da Escola de Frankfurt para a teoria do cinema https://www.revistas.usp.br/Rumores/article/view/160062 <p class="p1">Historiadora do cinema, Miriam Hansen examinou e sistematizou as contribuições de Siegfried Kracauer, Walter Benjamin e Theodor Adorno para a teorização do cinema. Nesta pesquisa bibliográfica, buscamos sintetizar e apresentar aos leitores de língua portuguesa o desenvolvimento de sua investigação sobre o tema. Mostramos como Hansen foi capaz de identificar as principais diferenças entre os teóricos frankfurtianos, bem como evidenciar que eles, em comum, pensaram este fenômeno cultural contemporâneo em relação às condições sociais e econômicas de produção. Em suas reflexões, o cinema aparece como expressão da sociedade urbano-industrial, como um elemento sintomático da cultura de massa.</p> Otávio Daros ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2020-07-16 2020-07-16 14 27 150 168 10.11606/issn.1982-677X.rum.2020.160062 A publicidade sem caráter e a estética do velamento https://www.revistas.usp.br/Rumores/article/view/165782 <p class="p1">A expansão tecnológica das últimas décadas no campo midiático levou as agências de publicidade a adotarem novas formas de produzir e veicular mensagens para as marcas anunciantes e seus produtos e serviços, como o <em>embalde marketing</em>, <em>o branded content</em>, <em>a live experience</em>, entre outras. Discutiremos a utilização de uma dessas estratégias publicitárias frequentemente exploradas nos tempos atuais, o <em>product placement</em>, apoiando-nos nas reflexões de Byung-Chul Han em sua obra <em>A salvação do belo </em>(2019). Nossa “tese” sinaliza que a publicidade, para atender ao consumidor sem caráter (aquele no qual nada se esculpe ou se fixa), tornou-se também “lisa”, graças sobretudo à sua “estética de velamento”.</p> João Anzanello Carrascoza ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2020-07-16 2020-07-16 14 27 169 188 10.11606/issn.1982-677X.rum.2020.165782 Joaquim, Vazante e O nó do diabo https://www.revistas.usp.br/Rumores/article/view/159870 <p class="p1">O cinema brasileiro recente tem se atentado ao tema do trabalho escravo, ou, ainda, ao trabalho precarizado e do passado escravocrata do país, há algum tempo, tendência que possivelmente se acentuou após os eventos políticos de 2016, notadamente o impeachment de Dilma Rousseff. O objetivo deste artigo é, através da análise de <em>Vazante</em>, de Daniela Thomas (2017), <em>Joaquim</em>, de Marcelo Gomes (2017) e <em>O nó do diabo </em>(projeto coletivo com direção de Ian Abé, Gabriel Martins, Ramon Porto Mota e Jhésus Tribuzi, em 2018), buscar a compreensão dos fatos políticos recentes, bem as possíveis razões da reiteração do assunto da escravidão e sua relação com o contexto político brasileiro atual.</p> Genio de Paulo Alves Nascimento André de Paula Eduardo ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2020-07-16 2020-07-16 14 27 189 215 10.11606/issn.1982-677X.rum.2020.159870 Narrativas audiovisuais e mitologia https://www.revistas.usp.br/Rumores/article/view/164987 <p class="p1">Considerando os estudos sobre consumo ritualístico no cinema e a presença de conteúdos míticos em narrativas contemporâneas, esse artigo busca aplicar a teoria da quaternidade mítica proposta por Canevacci em três animes através da metodologia de análise fílmica proposta por Vanoye e Goliot-Lété. Examinando representações arquetípicas em <em>Sakura Card Captors</em>, <em>Code Geass </em>e <em>The Seven Deadly Sins</em>, concluímos que tais elementos fundamentam a diegese dos animes através de uma estrutura que movimenta a narrativa ao perpetuar e ressignificar conteúdos presentes no inconsciente coletivo. Assim, a ritualização dos arquétipos apresentados por Canevacci lida com estruturas inconscientes não específicas apenas de uma cultura, mas consolidadas no indivíduo e constantemente reapresentadas com diferentes roupagens nas narrativas midiáticas.</p> Arthur Carlos Franco Oliveira Hertz Wendel de Camargo ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2020-07-16 2020-07-16 14 27 216 237 10.11606/issn.1982-677X.rum.2020.164987 Anacronismo, choque e verossimilhança https://www.revistas.usp.br/Rumores/article/view/161198 <p class="p1">O intuito deste artigo é analisar a presença de elementos narrativos e estilísticos da Ficção Científica na telenovela <em>O tempo não para</em>, exibida pela TV Globo entre 2018 e 2019. Nosso objetivo é compreender como aspectos da contemporaneidade do Brasil são apresentados a partir de três desdobramentos narrativos típicos da Ficção Científica: a presença anacrônica dos personagens do século XIX no Brasil do século XXI; o choque subjetivo dos personagens com o “novo mundo”; a sensação de verossimilhança através da suspenção de qualquer efeito distópico no universo diegético. Para realizar este estudo, recortamos os quinze primeiros capítulos da telenovela, elegendo como corpus quatro cenas em que os personagens “do passado” questionam os personagens “do futuro” sobre as mudanças sociais ocorridas no país em mais de 130 anos.</p> Marcel Vieira Barreto Silva Esmejoano Lincol da Silva de França ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2020-07-16 2020-07-16 14 27 238 260 10.11606/issn.1982-677X.rum.2020.161198 O acontecimento João de Deus e os enquadramentos na mídia televisiva https://www.revistas.usp.br/Rumores/article/view/160698 <p class="p1">Este artigo analisa a construção de sentidos, o acionamento de valores sociais e os posicionamentos assumidos pelos sujeitos em torno do caso de denúncias contra o médium João de Deus. Tomando por objeto empírico o programa <em>Fantástico</em>, da TV Globo, analiso três edições a fim de captar as fases do acontecimento e suas reverberações na televisão. A partir das análises, foi possível apreender tensionamentos em torno dos papéis sociais “pai”, “médium” e “criminoso”, bem como os valores evocados para cada um destes elementos. Por fim, o acontecimento já em fase de normalização se consagra numa espécie de compensação simbólica com a manutenção da prisão do médium.</p> Marcos Vinicius Meigre e Silva ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2020-07-16 2020-07-16 14 27 261 285 10.11606/issn.1982-677X.rum.2020.160698 O uso do storytelling no radiojornalismo narrativo https://www.revistas.usp.br/Rumores/article/view/167321 <p class="p1">Essa pesquisa pretende iniciar um debate acerca do uso da técnica <em>storytelling </em>para <em>podcasts </em>que se enquadram na categoria de radiojornalismo narrativo. Recorremos à revisão bibliográfica para refletir sobre o uso de tal estratégia na composição de narrativas e aplicamos a análise de conteúdo no primeiro episódio da quarta temporada do Projeto Humanos, “O Caso Evandro”, para aprofundar as discussões. Como principal resultado, observamos que, com base nas características do rádio e da mídia sonora, há um terreno propulsor para o desenvolvimento do <em>storytelling. </em></p> Luana Viana ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2020-07-16 2020-07-16 14 27 286 305 10.11606/issn.1982-677X.rum.2020.167321 O O Grupo Globo e as restrições à autonomia da rádio CBN https://www.revistas.usp.br/Rumores/article/view/159092 <p class="p1">A Central Brasileira de Notícias (CBN), em seus primeiros dez anos de vida, saiu de uma relativa autonomia editorial para a tutela do Grupo Globo. A organização empresarial percebeu a influência que a emissora passou a ter na política e na economia do país e decidiu adequá-la à política empresarial do grupo. O lucro foi outro fator preponderante para as mudanças na emissora nesse período. Para este artigo foram feitas entrevistas com profissionais que trabalharam durante esses anos na emissora em cargos de comando. Além disso, foi utilizada bibliografia para o embasamento teórico, com destaque para César Bolaño e Valério Brittos.</p> Patrícia Maurício Creso Soares Junior ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2020-07-16 2020-07-16 14 27 306 323 10.11606/issn.1982-677X.rum.2020.159092 Entre enigmas e possibilidades https://www.revistas.usp.br/Rumores/article/view/161089 <p class="p1">Esta pesquisa adentra o campo da literatura policial, investigando de que maneira as configurações detetivescas modernas criadas por Edgar Allan Poe, fazem-se presentes, reinventando-se na contemporaneidade. Assim, para responder a essa questão, busca-se entender as configurações detetivescas modernas e analisar os romances policiais brasileiros <em>As iniciais </em>(1999), de Bernardo Carvalho, e <em>O silêncio da chuva </em>(2005), de Luiz Alfredo Garcia-Roza, para visualizar como essas configurações são postas nos livros. Destaca-se que o romance policial contemporâneo, apesar de manter muitas configurações modernas, não tem uma estrutura fixa e linear, dividindo-se em duas áreas: o <em>whoddunit </em>e o <em>roman noir</em>.</p> Taynara Leszczynski Maria Salete Borba ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2020-07-16 2020-07-16 14 27 324 346 10.11606/issn.1982-677X.rum.2020.161089