A formação fisioterapêutica no campo da ortopedia

uma visão crítica sob a óptica da funcionalidade

Autores

  • Ana Clarissa Lopes Silva Universidade Católica de Salvador - UCSAL
  • Robson da Fonseca Neves Universidade Católica de Salvador - UCSAL
  • Marcelo Riberto Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina https://orcid.org/0000-0001-9549-8830

Palavras-chave:

Classificação Internacional de Funcionalidades, Incapacidades e Saúde, Fisioterapia, Ortopedia

Resumo

A Organização Mundial de Saúde publicou a Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde (CIF) em 2001, que reflete a mudança de uma abordagem baseada na doença para enfatizar a funcionalidade como um componente da saúde. Objetivo: este trabalho discute as características da formação fisioterapêutica frente ao processo de adoção e aplicação da funcionalidade na reabilitação de pacientes ortopédicos. Métodos: foram analisados 93 prontuários de fisioterapia de pacientes com afecções musculoesqueléticas, de onde foram obtidas informações com base em um formulário contendo categorias predefinidas da CIF. A tabulação dos dados foi feita com o pacote estatístico EPIINFO 6.04. Resultados: os prontuários preenchidos pelos alunos de graduação de fisioterapia relatavam e descreviam deficiências das funções do corpo em uma freqüência muito maior que as atividades e participações ou a influência de fatores ambientais sobre a funcionalidade dos pacientes. Conclusão: os resultados mostram que os alunos da graduação de fisioterapia estão focalizando sua atenção preferencialmente sobre as funções e estruturas corpóreas, seguindo a formação biomédica. A falta de informações sobre outros componentes da funcionalidade indica que ainda há um distanciamento entre os conceitos da funcionalidade mais modernos e a formação fisioterapêutica no campo ortopédico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Ribeiro KQS. A contribuiçao da extensao comunitária para formaçao acadêmica em fisioterapia. Fisioter Pesq. 2005;12(3):20-9.

Fonseca MA. Graduaçao em fisioterapia: um estudo no ciclo de formaçao básica rumo à melhoria da qualidade do ensino profissional [Dissertaçao]. Florianópolis: Universidade Federal de Santa Catarina; 2002.

Gaiad TP, Sant'ana DMG. Análise da eficácia do estágio supervisionado em fisioterapia na formaçao profissional: uma visao de egresso. Arq Ciênc Saúde. 2005;9(2):65-70.

Figueiredo IM, Sampaio RF, Mancini MC, Nascimento MC. Ganhos funcionais e sua relaçao com os componentes de funçao em trabalhadores com lesao de mao. Rev Brás Fisioter. 2006;10(4):421-7.

Shweitzer PB. Fisioterapia manual ortopédica e medicina ortopédica. Fisio & Ter. 2002;6(4):20-1.

Farias N, Buchalla CM. A Classificaçao Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde da Organizaçao Mundial de Saúde: conceito, uso e Perspectivas. Rev Bras Epid. 2005;8(2):13-20.

Organizaçao Mundial de Saúde. CIF: Classificaçao Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde. Sao Paulo: Edusp, 2003.

Harris JE, MacDermid JC, Roth J. The International Classification of Functioning as an explanatory model of health after distal radius fracture: a cohort study. Health Qual Life Outcomes. 2005;3:73.

Brockow T, Cieza A, Kuhlow H, Sigl T, Franke T, Harder M, et al. Identifying the concepts contained in outcome measures of clinical trials on musculoskeletal disorders and chronic widespread pain using the International Classification of Functioning, Disability and Health as a reference. J Rehabil Med. 2004;(44 Suppl):30-6.

The World Health Organization. Clinical Form for International Classification of Functioning, Disability and Health: ICF. Geneva: WHO; 2001.

O'Sullivan SB, Guccione AA, Cullen KE. Fisioterapia: avaliaçao e tratamento. 2 ed. Sao Paulo: Manole, 2004.

Fernandes FC, Cherem AJ. Dano corporal e mensuraçao da incapacidade. Rev Bras Med Trab. 2005;3(2):123-34.

Battistella LR, Brito CMM. Classificaçao Internacional de Funcionalidade (CIF) tendências e reflexoes. Acta Fisiatr. 2002;9(2):98-101.

Sampaio RF, Mancini MC, Gonçalves GGP, Bittencourt NFN, Miranda AD, Fonseca ST. Aplicaçao da Classificaçao Internacional de Funcionalidade Incapacidade e Saúde (CIF) na prática clínica do fisioterapeuta. Rev Bras Fisioter. 2005;9(2):129-36.

Stucki G, Ewert T, Cieza A. Value and application of the ICF in rehabilitation medicine. Disabil Rehabil. 2002;24(17):932-8.

Torres EO, Pinho DLM. Causas de afastamento dos trabalhadores de enfermagem em um hospital do Distrito Federal comum. Ciênc Saúde. 2006;17(3):207-15.

Ferreira FPM. Produçao do Journal of Biomechanics entre os anos de 2000 e 2001 relacionada ao tema equilíbrio corporal [Dissertaçao]. Rio de Janeiro: Universidade Estadual do Rio de Janeiro; 2003.

Vasconcelos EB. Avaliaçao cinético-funcional em pacientes escolióticos e naoescolióticos [Dissertaçao]. Franca/SP: Universidade de Franca; 2006.

Magee DJ. Avaliaçao musculoesquelética. 4 ed. Sao Paulo: Manole; 2005.

Costa AJL. Metodologias e indicadores para avaliaçao da capacidade funcional: análise preliminar do Suplemento Saúde da Pesquisa Nacional por Amostra de - Domicílios PNAD, Brasil, 2003. Ciênc Saúde Colet. 2006;11(4):927-40.

Bruyère S, VanLooy S, Peterson D. The International Classification of Functioning, Disability and Health (ICF): contemporary literature overview. Rehabil Psychol. 2005;50(2):1-21.

Resta DG, Budó MLD. A cultura e as formas de cuidar em família na visao de pacientes e cuidadores domiciliares Acta Scient Health Scienc. 2004;26(1):53-60.

Publicado

2008-03-09

Edição

Seção

Artigo Original