Tratamento intensivo do linfedema, pós-tratamento de câncer de mama, em pacientes com lesão neurológica

Autores

  • Maria de Fatima Guerreiro Godoy
  • Daniel Libanor Faculdade de Fisioterapia de Taquaritinga
  • Renata Lopes Pinto Faculdade de Medicina de São Jose do Rio Preto - FAMERP
  • Jose Maria Pereira de Godoy Faculdade de Medicina de São Jose do Rio Preto - FAMERP

DOI:

https://doi.org/10.5935/0104-7795.20130027

Palavras-chave:

Neoplasias da Mama, Linfedema, Reabilitação, Resultado de Tratamento

Resumo

O objetivo do presente estudo é relatar o tratamento intensivo do linfedema, após câncer de mama, em paciente com perda da força muscular do membro. Relata-se o caso de uma paciente de 51 anos de idade, que evoluiu com linfedema pós-tratamento do câncer de mama, com mastectomia + esvaziamento axilar + quimioterapia e radioterapia. Após procurar a Clínica Godoy para tratamento em agosto de 2012, foi avaliada com a bioimpedância e volumetria inicial e diária. Realizou tratamento intensivo durante três dias consecutivos, por um período de 6 horas, com Terapia Linfática Manual, Terapia Linfática Mecânica (RA Godoy®) e uso de braçadeira de gorgorão, sendo feitos ajustes diários. Na avaliação inicial, apresentava dor de intensidade 10 (Escala de Dor), parestesia em todo o braço e uma diferença de volume total do edema de 577g em relação ao membro contra-lateral. No primeiro dia de tratamento obteve redução da parestesia com o uso da braçadeira de gorgorão e Terapia Linfática Mecânica; no segundo dia, a dor havia diminuído para a intensidade sete (Escala de Dor); no terceiro dia, a dor diminuiu para intensidade cinco (Escala de Dor) e a diferença de volume total do edema passou a ser de 193g. A paciente retornou para sua casa mantendo as mesmas recomendações e tratamento propostos na clínica. O acompanhamento é feito com avaliações de rotina e orientações sobre a importância do uso da braçadeira de gorgorão e drenagem linfática mecânica.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Referências

Instituto Nacional de Câncer. Estimativa 2012: incidência de câncer no Brasil. Rio de Janeiro: INCA; 2011.

Silliman RA, Prout MN, Field T, Kalish SC, Colton T. Risk factors for a decline in upper body function following treatment for early stage breast cancer. Breast Cancer Res Treat. 1999;54(1):25-30. DOI: http://dx.doi.org/10.1023/A:1006159720583

Godoy JMP, Godoy MFG, Braile DM, Testoni B, Sanches RG. Dynamic evaluation of working pressures with gorgurao sleeves used in the treatment of lymphedema of the arm. J Phlebology Lymphology. 2008;1(1):5-7.

Godoy JM, Godoy MF. Godoy & Godoy technique in the treatment of lymphedema for under-privileged populations. Int J Med Sci. 2010;7(2):68-71.

Godoy JMP, Azoubel LM, Godoy MFG. Intensive treatment of leg lymphedema. Indian J Dermatol. 2010;55(2):144-7. DOI: http://dx.doi.org/10.4103/0019-5154.62745

Godoy JMP, Braile DM, Godoy MFG. A thirty-month follow-up of the use of a new technique for lymph drainage in six patients. Eur J Vasc Endovasc Surg. 2002;3:91-3. DOI: http://dx.doi.org/10.1053/ejvx.2002.0146

Bordin NA, Godoy MFG, Godoy JMP. Mechanical lymphatic drainage in the treatment of arm lymphedema. Indian J Cancer. 2009;46(4):337-9. doi: 10.4103/0019-509X.55556. DOI: http://dx.doi.org/10.4103/0019-509X.55556

Downloads

Publicado

2013-09-09

Edição

Seção

Relato de Caso

Como Citar

1.
Godoy M de FG, Libanor D, Pinto RL, Godoy JMP de. Tratamento intensivo do linfedema, pós-tratamento de câncer de mama, em pacientes com lesão neurológica. Acta Fisiátr. [Internet]. 9º de setembro de 2013 [citado 21º de julho de 2024];20(3):161-3. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/actafisiatrica/article/view/103788