Ansiedade, depressão e desesperança no cuidador familiar de pacientes com alterações neuropsicológicas

  • Isadora Di Natale Nobre Associação de Assistência à Criança Deficiente - AACD
  • Carolina dos Santos Lemos Associação de Assistência à Criança Deficiente - AACD
  • Adriana Cristina Guimarães Pardini Associação de Assistência à Criança Deficiente - AACD
  • Janaína de Carvalho Associação de Assistência à Criança Deficiente - AACD
  • Isabel Chateaubriand Diniz Salles Associação de Assistência à Criança Deficiente - AACD
Palavras-chave: Ansiedade, Depressão, Cuidadores, Neuropsicologia

Resumo

Objetivo: Identificar a incidência de ansiedade, depressão e desesperança em 54 cuidadores familiares de pacientes com alteração neuropsicológica após lesão encefálica ocorrida na idade adulta. Métodos: Trata-se de um estudo observacional com corte transversal e análise quantitativa, desenvolvido em um centro de reabilitação (Associação de Assistência à Criança Deficiente - AACD) localizado na cidade de São Paulo. Foram aplicados os instrumentos: Inventário de Ansiedade Beck (BAI), Inventário de Depressão Beck (BDI) e Escala de Desesperança Beck (BHS), juntamente com um questionário de caracterização da amostra. Resultados: Os dados foram analisados estatisticamente e dos familiares entrevistados 55,6% apresentou índices de ansiedade, 20,4% apresentou depressão e 31,5% desesperança. Conclusão: Os cuidadores familiares desta pesquisa apresentaram relevante sofrimento psíquico, apontando a necessidade de ações voltadas especificamente a eles nos programas de reabilitação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Oliveira-Alonso GS, Silveira VC. Lesoes encefálicas adquiridas. In: Fernandes AC, Ramos ACR, Casalis MEP, Hebert SK. Medicina e reabilitaçao: princípios e prática. Sao Paulo: Artes Médicas; 2007. p.161-9.

Ferreira MS, Salles ICD, Branco DG, Gaspar AP. Reabilitaçoes nas lesoes encefálicas Adquiridas (LEA). In: Fernandes AC, Ramos ACR, Casalis MEP, Hebert SK. Medicina e reabilitaçao: princípios e prática. Sao Paulo: Artes Médicas; 2007. p.174-88.

Riberto M, Miyazaki MH, Jucá SSH, Lourenço C, Battistella LR. Independência funcional em pessoas com lesoes encefálicas adquiridas sob reabilitaçao ambulatorial. Acta Fisiatr. 2007;14(2):87-94.

Muszkat M, Mello C. Neuropsicologia do desenvolvimento e suas interfaces. Sao Paulo: All Print; 2008.

Rosenthal M, Whyte J. Reabilitaçao do paciente com traumatismo craniano. In: Delisa JA. Medicina de reabilitaçao: princípios e práticas. Sao Paulo: Manole; 1992. p. 677-708.

Garrison SJ, Rolak LA, Dodaro RR, O'Callaghan AJ. Reabilitaçao do paciente com AVC. In: Delisa JA. Medicina de reabilitaçao: princípios e prática. Sao Paulo: Manole; 1992. p. 653-75.

Tabaquim MLM, Lima MP, Ciasca SM. Avaliaçao neuropsicológica de sujeitos com lesao cerebral: uma revisao bibliográfica. Rev Psicopedagogia. 2013;30(92):149-56.

Hamdan AC, Pereira APA. Avaliaçao neuropsicológica das funçoes executivas: consideraçoes metodológicas. Psicol Reflex Crit. 2009;22(3):386-93. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0102-79722009000300009

Cordova RAM, Cesariano CB, Tognola WA. Avaliaçao clínica evolutiva de pacientes pós - primeiro acidente vascular encefálico e seus cuidadores. Arq Ciênc Saúde 2007; 14(2):71-5.

Arango-Lasprilla JC, Nicholls E, Villaseñor Cabrera T, Drew A, Jimenez-Maldonado M, Martinez-Cortes ML. Health-related quality of life in caregivers of individuals with traumatic brain injury from Guadalajara, Mexico. J Rehabil Med. 2011;43(11):983-6. DOI: http://dx.doi.org/10.2340/16501977-0883

Floriani CA. Cuidador familiar: sobrecarga e proteçao. Rev Bras Cancerol. 2004;50(4):341-5.

Jennett B, Snoek J, Bond MR, Brooks N. Disability after severe head injury: observations on the use of the Glasgow Outcome Scale. J Neurol Neurosurg Psychiatry. 1981;44(4):285-93. DOI: http://dx.doi.org/10.1136/jnnp.44.4.285

Hora EC, Sousa RMC. Os efeitos das alteraçoes comportamentais das vítimas de trauma crânioencefálico para o cuidador familiar. Rev Lat Am. Enfermagem. 2005;13(1):93-8.

Gouveia P, Bolognani S, Brucki S, Fabricio A, Bueno O. Metodologia em reabilitaçao neuropsicológica de pacientes com lesao cerebral adquirida. Rev Psiquiatr Clín. (Säo Paulo);2001;28(6):295-9.

Bocchi SCM. Vivenciando a sobrecarga ao vir-a-ser um cuidador familiar de pessoa com acidente vascular cerebral (AVC): análise do conhecimento. Rev Lat Am Enfermagem. 2004;12(1):115-21. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0104-11692004000100016

Brito ES, Rabinovich EP. A família também adoece!: mudanças secundárias à ocorrência de um acidente vascular encefálico na família. Interface (Botucatu). 2008;12(27):783-94.

Carter B, Mcgoldrick M. As mudanças no ciclo de vida familiar: uma estrutura para terapia familiar. Porto Alegre: Artes Médicas; 1995.

Junqué C, Bruna O, Mataró M. Traumatismos cranioencefálicos: uma abordagem da neuropsicologia e fonoaudiologia. Sao Paulo: Santos; 2001.

Calvete E, Arroyabe EL. Depression and grief in Spanish family caregivers of people with traumatic brain injury: the roles of social support and coping. Brain Inj. 2012;26(6):834-43. DOI: http://dx.doi.org/10.3109/02699052.2012.655363

Wilson BA. Reabilitaçao da memória: integrando teoria e prática. Sao Paulo: Artmed; 2011.

Ackerman P, Asindua S, Blouin M, Cameron D, Clode K, Cockburn L, et al. Reabilitaçao. In: Relatório mundial sobre a deficiência. Sao Paulo: SEDPcD, 2012. p. 97-139.

Fonseca NR, Penna AFG, Soares MPG. Ser cuidador familiar: um estudo sobre as consequências de assumir este papel. Physis. 2008;18(4):727-43. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0103-73312008000400007

Serna ECH, Sousa RMC. Depressao: uma possível consequência adversa do trauma cranioencefálico para o cuidador familiar. Acta Paul Enferm. 2005;18(2):131-5.

Wallace CA, Bogner J. Awareness of deficits: emotional implications for persons with brain injury and their significant others. Brain Inj. 2000;14(6):549-62. DOI: http://dx.doi.org/10.1080/026990500120457

Simpson GK, Tate RL, Whiting DL, Cotter RE. Suicide prevention after traumatic brain injury: a randomized controlled trial of a program for the psychological treatment of hopelessness. J Head Trauma Rehabil. 2011;26(4):290-300. DOI: http://dx.doi.org/10.1097/HTR.0b013e3182225250

Carvalho J, Kaihami HN, Alves VLR. A relaçao do cuidador com o adulto jovem com sequelas de traumatismo cranioencefálico. Fam comunidade. 2005;2(1):83-102. 27. American Psychiatric Association. Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM-5). 5 ed. Porto Alegre: Artmed; 2014.

Oliveira KL, Santos AAA, Cruvinel M, Neri AL. Relaçao entre ansiedade, depressao e desesperança entre grupos de idosos. Psicol Estud. 2006;11(2):351-9. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S1413-73722006000200014

Aros MS, Yoshida EMP. Estudos da depressao: instrumentos de avaliaçao e gênero. Bol Psicol. 2009; 59(130):61-76.

Cunha JA. Manual da versao em português das Escalas Beck. Sao Paulo: Casa do Psicólogo; 2001.

Ponsford J, Olver J, Ponsford M, Nelms R. Long-term adjustment of families following traumatic brain injury where comprehensive rehabilitation has been provided. Brain Inj. 2003;17(6):453-68. DOI: http://dx.doi.org/10.1080/0269905031000070143

Hora EC, Sousa RMC, Chavez Alvarez RE. Caracterizaçao de cuidadores de vítimas de trauma crânio-encefálico em seguimento ambulatorial. Rev Esc Enferm USP. 2005;39(3):343-9. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0080-62342005000300013

Hassan ST, Khaw WF, Rosna AR, Husna J. Traumatic brain injury: caregivers' problems and needs. JNMA J Nepal Med Assoc. 2011;51(181):53-5.

Yengil E, Acipayam C, Kokacya MH, Kurhan F, Oktay G, Ozer C. Anxiety, depression and quality of life in patients with beta thalassemia major and their caregivers. Int J Clin Exp Med. 2014;7(8):2165-72.

Yıkılkan H, Aypak C, Görpelioğlu S. Depression, anxiety and quality of life in caregivers of long-term home care patients. Arch Psychiatr Nurs. 2014;28(3):193-6. DOI: http://dx.doi.org/10.1016/j.apnu.2014.01.001

Serna EC, Sousa RM. Changes in social roles: a consequence of traumatic brain injury for the family caregiver. Rev Lat Am Enfermagem. 2006;14(2):183-9

Publicado
2015-12-01
Seção
Artigo Original