Intervenção da fisioterapia na síndrome de Menkes: relato de caso

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2317-0190.v27i1a167366

Palavras-chave:

Síndrome dos Cabelos Torcidos, Predisposição Genética para Doença, Modalidades de Fisioterapia, Criança

Resumo

Objetivo: Descrever a intervenção da fisioterapia motora e respiratória no caso de uma criança com Síndrome de Menkes. Método: Relato de caso, com base em registros retrospectivos, no qual são apresentados dados referentes ao acompanhamento fisioterapêutico de uma criança com o diagnóstico de Síndrome de Menkes. Os dados foram obtidos por meio do prontuário, entrevista com familiares e informações dos profissionais envolvidos. O referido paciente foi encaminhado para assistência fisioterapêutica aos 5 meses de vida, devido ao quadro de pneumonia com presença de atelectasia, associado as manifestações típicas da Síndrome, sendo então acompanhado por um período de 04 meses. Foram realizados 76 atendimentos, de um total de 91 agendamentos, os quais incluíram fisioterapia motora e respiratória, sendo aplicados métodos, técnicas, manuseios e posturas, para estimulação do desenvolvimento neuropsicomotor, e realizadas técnicas e recursos fisioterapêuticos para desobstrução e reexpansão pulmonar. Resultados: A cada sessão, a criança apresentou evidente melhora imediata no padrão e tipo respiratório, na frequência respiratória, na ausculta pulmonar e nos sinais de desconforto respiratório. Além disso, a estimulação motora e manutenção do quadro músculo esquelético, impediram agravos e deformidades. Segundo relato da mãe, a criança mostrava-se menos agitada após as sessões, com melhora no padrão e conforto respiratório, o que impactou de forma positiva na sua qualidade de vida. Conclusão: A fisioterapia motora e respiratória se apresentam como terapêuticas favoráveis para condição de saúde geral de pacientes com Síndrome de Menkes e novos estudos devem ser conduzidos no sentido de elucidar essa intervenção, com amostras maiores.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Dozza ALCB, Fernandes GD, Yuen CT, Santanna BA, Souza KS, Araújo APQC. Doença de Menkes: relato de caso. Rev Bras Neurol. 2009;45(4):43-7.

Kim JH, Lee BH, Kim YM, Choi JH, Kim GH, Cheon CK, et al. Novel mutations and clinical outcomes of copper-histidine therapy in Menkes disease patients. Metab Brain Dis. 2015;30(1):75-81. Doi: http://dx.doi.org/10.1007/s11011-014-9569-5

Costa LS, Pegler SP, Lellis RF, Krebs VL, Robertson S, Morgan T, et al. Menkes disease: importance of diagnosis with molecular analysis in the neonatal period. Rev Assoc Med Bras (1992). 2015;61(5):407-10. Doi: http://dx.doi.org/10.1590/1806-9282.61.05.407

Reed UC, Rosemberg S, Diament AJ, Scaff M, Canelas HM, Lefèvre AB. Síndrome de menkes: revisão da patogenia a propósito de um caso clínico. Arq Neuro-Psiquiatr. 1984;42(3):262-73. Doi: https://doi.org/10.1590/S0004-282X1984000300010

Rodrigues A, Gaspar M, Santos M, Neves N, Lamy S, Rendeiro C. Síndrome de Menkes: dois casos clínicos. Acta Pediatr Port. 2002;6(33):445-7.

Assumpção MS, Gonçalves RM, Ferreira GL, Krygierowicz LC, Toews AC, Schivinski CIS. Influência do apoio manual nos parâmetros cardiorrespiratórios, dor e desconforto respiratório em lactentes cardiopatas. Pediatr Mode. 2013;51(10):349-54.

Russell DJ, Rosenbaum PL, Wright M, Avery LM. Medida da função Motora Grossa. 2 ed. São Paulo: Memnon; 2015.

Melo A, Gama GL, Silva Júnior RA, Assunção PL, Tavares JS, Silva MB, et al. Motor function in children with congenital Zika syndrome. Dev Med Child Neurol. 2020;62(2):221-6. Doi: https://doi.org/10.10.1111/dmcn.14227

Nascimento CE, Krueger E, Neves EB. Tratamento fisioterápico na síndrome de Leigh: estudo de caso. J Health Sci Inst. 2013;31(3):330-4.

Roussenq KR, Scalco JC, Rosa GJ, Honório GJS, Schivinski CIS. Reequilíbrio tóraco-abdominal em recém-nascidos prematuros: efeitos em parâmetros cardiorrespiratórios, no

comportamento, na dor e no desconforto respiratório. Acta Fisiatr. 2013;20(3):118-23. Doi: https://doi.org/10.5935/0104-7795.20130019

Araújo AMC, Nascimento CM, Fuziel LC, Braga MVR, Brasil TAC, Iannuzzi ML. Tratamento fisioterapêutico ao paciente portador da síndrome de Rett. EFDeportes.com Rev Dig. 2013;18(181).

Segura DCA, Nascimento FC, Sarro TCA, Navarro M, Guimarães LF, Orssato L, et. al. Efeitos das técnicas de reabilitação cardiorrespiratória em crianças portadoras da síndrome de Prader-Willi. Arq Ciênc Saúde UNIPAR. 2009;13(2):89-96. Doi: https://doi.org/10.25110/arqsaude.v13i2.2009.3010

Fiatt MP, Daher BR, Santos AM. Reversão de atelectasia em recém-nascido prematuro após uma sessão de fisioterapia respiratória - relato de caso. Revista HCPA. 2013;33(3/4):269-73.

Gonçalves RM, Albuquerque YP, Ferreira LG, Assumpção MS, Bobbio TG, Schivinski CIS. Relato de caso: intervenção fisioterapêutica na atelectasia. Rev Ciênc Méd Biol. 2013;12(2):253-6. Doi: http://dx.doi.org/10.9771/cmbio.v12i2.6765

Pavão SL, Silva FPS, Rocha NAC. Efeito da orientação domiciliar no desempenho funcional de crianças com necessidades especiais. Motricidade. 2011;7(1):21-9. Doi: https://doi.org/10.6063/motricidade.7(1).117

Downloads

Publicado

2020-03-31

Edição

Seção

Relato de Caso
MÉTRICAS | METRICS