Considerações sobre a discussão da revisão do esquema da Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde (CIF)

Palavras-chave: Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde, Estudos sobre Deficiências, Modelos Teóricos

Resumo

A Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde (CIF) apresenta uma abordagem inovadora ao funcionamento: o modelo biopsicossocial. Desde então, a estrutura da CIF e seu esquema explicativo têm sido utilizados em muitos contextos, incluindo saúde, previdência social e educação. Recentemente, surgiram algumas críticas e surgiram propostas a respeito de suas revisões. Objetivos: Este artigo discute propostas anteriores de revisões do esquema da CIF e apresenta sugestões de uma nova. Métodos: Descrevemos algumas das sugestões de esquemas de funcionamento alternativo da CIF e apresentamos algumas de suas características. Resultados: Também propomos nosso próprio esquema, destacando suas vantagens sobre os antecessores. Em nossa proposta, os componentes atuais do esquema são mantidos e dispostos equidistantemente ao longo de uma estrutura tridimensional de "casco de bola" conectada por setas de duas pontas. Nosso esquema é inovador, pois não apresenta nenhum componente como central, permitindo que o esquema seja mais adaptável à realidade de cada perfil funcional. Também é dinâmico, girando em 3 eixos, possibilitando o posicionamento central do componente mais importante. As esferas para cada componente podem ser ampliadas, demonstrando a magnitude de cada componente. Conclusão: Esperamos contribuir para a discussão atual sobre o esquema da CIF e sua revisão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Kostanjsek N. Use of The International Classification of Functioning, Disability and Health (ICF) as a conceptual framework and common language for disability statistics and health information systems. BMC Public Health. 2011;11 Suppl 4(Suppl 4):S3. Doi: http://dx.doi.org/10.1186/1471-2458-11-S4-S3

World Health Organization. International Classification of Functioning, Disability and Health (ICF). Geneva: WHO; 2001.

World Health Organization. Towards a Common Language for Functioning, Disability and Health ICF. Geneva: WHO; 2002.

Cerniauskaite M, Quintas R, Boldt C, Raggi A, Cieza A, Bickenbach JE, et al. Systematic literature review on ICF from 2001 to 2009: its use, implementation and operationalisation. Disabil Rehabil. 2011;33(4):281-309. Doi: http://dx.doi.org/10.3109/09638288.2010.529235

Heerkens YF, de Weerd M, Huber M, de Brouwer CPM, van der Veen S, Perenboom RJM, et al. Reconsideration of the scheme of the international classification of functioning, disability and health: incentives from the Netherlands for a global debate. Disabil Rehabil. 2018;40(5):603-11. doi: http://dx.doi.org/10.1080/09638288.2016.1277404

Borg J. The Participation Pyramid: a response to "Reconsideration ICF scheme" by Heerkens et al. 2017. Disabil Rehabil. 2018;40(1):123-124. Doi: http://dx.doi.org/10.1080/09638288.2017.1393700

Van de Velde D, De Vriendt P. Comment on: Reconsideration of the scheme of the International Classification of Functioning, Disability and Health: incentives from the Netherlands for a global debate. Heerkens et al, 2017. Disabil Rehabil. 2018;40(5):612-614. Doi: http://dx.doi.org/10.1080/09638288.2017.1300329

Tange H. Comment on 'Reconsideration of the scheme of the international classification of functioning, disability and health' by Heerkens et al. (2017). Disabil Rehabil. 2018;40(5):615. Doi: http://dx.doi.org/10.1080/09638288.2017.1302005

Dutra FC, Mancini MC, Neves JA, Kirkwood RN, Sampaio RF. Empirical analysis of the International Classification of Functioning, Disability and Health (ICF) using structural equation modeling. Braz J Phys Ther. 2016;20(5):384-394. Doi: http://dx.doi.org/10.1590/bjpt-rbf.2014.0168

Swedberg R. Can You Visualize Theory? On the Use of Visual Thinking in Theory Pictures, Theorizing Diagrams, and Visual Sketches. Sociological Theory. 2016; 34(3):250–75. Doi: https://doi.org/10.1177/0735275116664380

Cantor RM. Conceptual embodiment in visual semiotics. Semiotica. 2016;210:215-23. Doi: https://doi.org/10.1515/sem-2016-0052

Publicado
2019-12-31
Seção
Tendências e Reflexões