Diagnóstico situacional dos Centros Especializados em Reabilitação (CER) e Oficinas Ortopédicas: Projeto CER-Brasil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2317-0190.v27i4a171383

Palavras-chave:

Pessoas com Deficiências, Pesquisa sobre Serviços de Saúde, Centros de Reabilitação, Avaliação em Saúde

Resumo

A atenção a pessoa com deficiência no Brasil vem ganhando destaque nos últimos anos, com a criação da Rede de Cuidados à Pessoa com Deficiência, bem como com iniciativas ministeriais para avaliação da situação atual da rede e dos serviços específicos em reabilitação. Nesse sentido, pretende-se por meio dessa comunicação breve, apresentar projeto de pesquisa nacional de avaliação da atenção especializada em reabilitação. O projeto intitulado CER-Brasil objetiva realizar o diagnóstico situacional dos Centros Especializados em Reabilitação (CER) e Oficinas Ortopédicas. Trata-se de um estudo multicêntrico com a articulação nacional de pesquisadores das cinco regiões federativas brasileiras. Através de uma abordagem plurimetodológica, o projeto está sendo realizado em diferentes etapas, que incluem método Delphi, pesquisa documental, avaliação de serviços de saúde, e entrevista com gestores, profissionais e pacientes ligados aos CER em diferentes regiões do território brasileiro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Heinemann AW, Feuerstein M, Frontera WR, Gard SA, Kaminsky LA, Negrini S, et al. Rehabilitation is a global health priority. Arch Phys Med Rehabil. 2020;101(4):728-729. Doi: https://doi.org/10.1016/j.apmr.2019.08.468

Brasil. Ministério da Saúde. Portaria n.793, de 24 de abril de 2012. Institui a Rede de Cuidados à Pessoa com Deficiência no âmbito do Sistema Único de Saúde. Diario Oficial da Republica Federativa do Brasil, Brasilia (DF); 2012 Abr 25; Seção 1: 94-95.

Campos MF, Souza LA, Mendes V. A rede de cuidados do Sistema Único de Saúde à saúde das pessoas com deficiência. Interface (Botucatu). 2015;19(52):207-10. Doi: https://doi.org/10.1590/1807-57622014.0078

World Health Organization. International Classification of Functioning, Disability and Health (ICF). Geneva: WHO; 2001.

Jackson M. Models of disability and human rights: informing the improvement of built environment accessibility for people with disability at Neighborhood Scale? Laws. 2018;7(1):10. Doi: https://doi.org/10.3390/laws7010010

Hartz ZMA. Avaliação em Saúde: dos modelos conceituais à prática na análise da implantação de programas. Rio de Janeiro: FIOCRUZ; 1997. Doi: https://doi.org/10.7476/9788575414033

Brasil. Ministério da Saúde. Manual de planejamento no SUS. Brasília: Ministério da Saúde, Fundação Oswaldo Cruz; 2016. [Série Articulação Interfederativa, 4].

Cassiolato M, Gueresi S. Como elaborar Modelo Lógico: roteiro para formular programas e organizar avaliação. Brasília: IPEA; 2010 [Nota Técnica, 6].

Silveira C, Parpinelli MA, Pacagnella RC, Camargo RS, Costa ML, Zanardi DM, et al. Adaptação transcultural da Escala de Avaliação de Incapacidades da Organização Mundial de Saúde (WHODAS 2.0) para o Português. Rev Assoc Med Bras. 2013;59(3):234-40. Doi: http://dx.doi.org/10.1016/j.ramb.2012.11.005

Castro SS, Cieza A, Cesar CL. Problems with accessibility to health services by persons with disabilities in São Paulo, Brazil. Disabil Rehabil. 2011;33(17-18):1693-8. Doi: http://dx.doi.org/10.3109/09638288.2010.541542

Downloads

Publicado

2020-12-31

Edição

Seção

Comunicação Breve

Dados de financiamento