Ligação de um instrumento de avaliação clínica de exposição ao vírus Zika com a Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde

Autores

  • Nathália Cristina Oliveira de Souza Instituto Nacional de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira - IFF/Fiocruz
  • Lara Carolina Januário Cabral Instituto Nacional de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira - IFF/Fiocruz
  • Laura Cristina Machado Ribeiro de Souza Instituto Nacional de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira - IFF/Fiocruz
  • Marcos Vinicius da Silva Pone al de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira - IFF/Fiocruz
  • Luciana Castaneda Ribeiro Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro - IFRJ
  • Carla Trevisan Martins Ribeiro Instituto Nacional de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira - IFF/Fiocruz

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2317-0190.v27i4a176351

Palavras-chave:

Cuidado da Criança, Avaliação em Saúde, Zika Virus, Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde

Resumo

Instrumentos de avaliação clínica foram criados a partir de experiências prévias de cuidados para outras condições crônicas complexas da infância, de modo a planejar e sistematizar ações. Contudo, é importante que tais instrumentos tenham validação externa e contemplem o atual conceito de saúde biopsicossocial. Uma interlocução com a Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde (CIF) poderia dar subsídio teórico e validação aos instrumentos criados. Objetivo: Identificar o conteúdo comum da CIF com o instrumento de avaliação clínica aplicado em  população exposta ao vírus Zika em um ambulatório de doenças infecciosas em pediatria de um hospital de referência no Estado do Rio de Janeiro. Métodos: A Ligação com a CIF foi realizada por dois revisores independentes, segundo a proposta de Cieza e colaboradores. O coeficiente Kappa foi utilizado para análise da concordância interobservadores. Resultados: O instrumento de avaliação clínica utilizado no ambulatório de referência é composto principalmente por categorias da CIF de estruturas do corpo (46,4%). Observou-se poucas categorias relacionadas aos fatores contextuais (13,1%). E, não foram encontrados itens relacionados às categorias de atividade e participação. Conclusão: A ferramenta de avaliação apresenta principalmente informações sobre as funções e estruturas do corpo, voltando-se a um olhar puramente restrito as funções fisiológicas e as estruturas anatômicas. A inexistência de categorias de atividade e participação pode comprometer a percepção das experiencias vividas pelas crianças que foram expostas ao vírus Zika.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Campos GS, Bandeira AC, Sardi SI. Zika Virus Outbreak, Bahia, Brazil. Emerg Infect Dis. 2015;21(10):1885-6. Doi: https://dx.doi.org/10.3201/eid2110.150847

World Health Organization. Declaração da OMS sobre a primeira reunião do Comitê de Emergência sobre zika e o aumento observado em distúrbios neurológicos e malformações neonatais [texto na Internet]. Brasília (DF); OPAS Brasil; c2016 [ citado 2020 Out 20]. Disponível em: https://www.paho.org/bra/index.php?option=com_content&view=article&id=4992:declaracao-da-oms-sobre-a-primeira-reuniao-do-comite-de-emergencia-sobre-zika-e-o-aumento-observado-em-disturbios-neurologicos-e-malformacoes-neonatais&Itemid=812

Frota L. Crianças com síndrome congênita do Zika vírus, aos 24 meses de idade: comorbidades, desenvolvimento motor grosso e percepção de mães e profissionais sobre a reabilitação [Tese]. Belo Horizonte: Universidade Federal de Minas Gerais; 2019.

Lopes Moreira ME, Nielsen-Saines K, Brasil P, Kerin T, Damasceno L, Pone M, et al. Neurodevelopment in infants exposed to Zika virus in utero. N Engl J Med. 2018;379(24):2377-9. Doi: https://dx.doi.org/10.1056/NEJMc1800098

Pone MVS, Pone SM, Zin AA, Mendes PHB, Aibe MS, Aguiar EB, et al. Zika virus infection in children: epidemiology and clinical manifestations. Childs Nerv Syst.2018;34:63-71. Doi: https://doi.org/10.1007/s00381-017-3635-3

Saad T, Penna e Costa AA, Góes FV, Freitas M, Almeida JV, Santa Ignêz LJ, et al. Neurological manifestations of congenital Zika virus infection. Childs Nerv Syst. 2018;34(1):73-8. Doi: https://doi.org/10.1007/s00381-017-3634-4

Madden RH, Bundy A. The ICF has made a difference to functioning and disability measurement and statistics. Disabil Rehabil. 2019;41(12):1450-1462. Doi: https://doi.org/10.1080/09638288.2018.1431812

Organização Mundial da Saúde. CIF: Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde. São Paulo: EDUSP; 2020.

Castro SS, Castaneda L, Silveira H. Identification of common content between the questionnaire of the Health Survey (ISA-SP) and the International Classification of Functionality, Disability, and Health. Rev Bras Epidemiol. 2014;17(1):59-70. Doi: https://doi.org/10.1590/1415-790x201400010006eng

Piexak DR, Cezar-Vaz MR, Bonow CA. Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde: uma Análise de conteúdo. J Res Fundam Care. 2019;11(n. esp):363-9. Doi: http://dx.doi.org/10.9789/2175-5361.2019.v11i2.363-369

Castaneda L, Bergmann A, Bahia L. A Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde: uma revisão sistemática de estudos observacionais. Rev Bras Epidemiol. 2014;17(2):437-51. Doi: http://dx.doi.org/10.1590/1809-4503201400020012eng

Cieza A, Fayed N, Bickenbach J, Prodinger B. Refinements of the ICF Linking Rules to strengthen their potential for establishing comparability of health information. Disabil Rehabil. 2019;41(5):574-583. Doi: http://dx.doi.org/10.3109/09638288.2016.1145258

Souza AC, Alexandre NMC, Guirardello EB. Psychometric properties in instruments evaluation of reliability and validity. Epidemiol Serv Saude. 2017;26(3):649-59. Doi: http://dx.doi.org/10.5123/S1679-49742017000300022

Magalhães FJ, Lima FET, Almeida PC, Ximenes LB, Chaves CMP. Protocolo de acolhimento com classificação de risco em pediatria: confiabilidade interobservadores. Acta Paul Enferm. 2017;30(3):262-70. Doi: https://doi.org/10.1590/1982-0194201700040

Sampaio RF, Luz MT. Funcionalidade e incapacidade humana: explorando o escopo da classificação internacional da Organização Mundial da Saúde. Cad Saude Publica. 2009;25(3):475-83. Doi: https://doi.org/10.1590/s0102-311x2009000300002

Cicuto Ferreira Rocha NA, Campos AC, Cicuto Ferreira Rocha F, Pereira dos Santos Silva F. Microcephaly and Zika virus: Neuroradiological aspects, clinical findings and a proposed framework for early evaluation of child development. Infant Behav Dev. 2017;49:70-82. Doi: https://doi.org/10.1016/j.infbeh.2017.07.002

Prata-Barbosa A, Martins MM, Guastavino AB, Cunha AJLAD. Effects of Zika infection on growth. J Pediatr (Rio J). 2019;95 Suppl 1:30-41. Doi: https://doi.org/10.1016/j.jped.2018.10.016

Santos DSS, Mercês MO, Souza RL, Santana AL. Cuidados à criança com síndrome congênita do Zika: revisão sistemática. REBRASF. 2018; 6(1):81-92.

Alves LV, Paredes CE, Silva GC, Mello JG, Alves JG. Neurodevelopment of 24 children born in Brazil with congenital Zika syndrome in 2015: a case series study. BMJ Open. 2018;8(7):e021304. Doi: https://doi.org/10.1136/bmjopen-2017-021304

Ferreira HNC, Schiariti V, Regalado ICR, Sousa KG, Pereira SA, Fechine CPNDS, et al. Functioning and disability profile of children with microcephaly associated with congenital Zika virus infection. Int J Environ Res Public Health. 2018;15(6):1107. Doi: https://doi.org/10.3390/ijerph15061107

Barbosa AP, Santos DT, Santos LS, Gomes RAS, Anjos CC. O uso da CIF como proposta para o acompanhamento das crianças com síndrome congênita do Zika vírus: relato de um caso 2016. Rev Cient CIF Bras. 2016;6(6):18-33.

Moser AD, Scharan K. O olhar biopsicossocial na Fisioterapia: ferramentas disponíveis para sua operacionalização. Fisioter Mov. 2018;31:e003136. Doi: https://doi.org/10.1590/1980-5918.031.ed01

Castaneda L. O Cuidado em saúde e o modelo biopsicossocial: apreender para agir. CoDAS 2019;31(5):e20180312. Doi: https://doi.org/10.1590/2317-1782/20192018312

Castro SS, Castaneda L, Araújo ES, Buchalla CM. Aferição de funcionalidade em inquéritos de saúde no Brasil: discussão sobre instrumentos baseados na Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde (CIF). Rev Bras Epidemiol. 2016;19(3):679-687. Doi: https://doi.org/10.1590/1980-5497201600030018

Thompson SV, Cech DJ, Cahill SM, Krzak JJ. Linking the Pediatric Evaluation of Disability Inventory-Computer Adaptive Test (PEDI-CAT) to the International Classification of Function. Pediatr Phys Ther. 2018;30(2):113-118. Doi: https://doi.org/10.1097/PEP.0000000000000483

Downloads

Publicado

2020-12-31

Edição

Seção

Artigo Original