A Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde (CIF) como dicionário unificador de termos

Autores

  • Marina Carvalho Arruda Barreto Universidade Federal do Ceará - UFC
  • Fernanda Guimarães Andrade Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro - IFRJ
  • Luciana Castaneda Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro - IFRJ
  • Shamyr Sulyvan Castro Universidade Federal do Ceará - UFC https://orcid.org/0000-0002-2661-7899

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2317-0190.v28i3a188487

Palavras-chave:

Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde, Avaliação em Saúde, Avaliação da Deficiência

Resumo

A Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde (CIF) foi formulada pela Organização Mundial de Saúde (OMS), baseada no modelo biopsicossocial, tendo como um dos principais objetivos proporcionar uma linguagem neutra e não discriminatória universal. Porém, ainda é possível observar desafios para o êxito no estabelecimento e uso dessa linguagem de forma universal, ocasionando em uma série de barreiras na comunicação em nível de ensino, prática clínica, gestão e pesquisa. O presente ensaio teórico busca realizar reflexões acerca da análise dos desafios que a heterogeneidade da linguagem utilizada na descrição e caracterização da funcionalidade e a percepção que, mesmo após 20 anos de publicação da CIF, ainda é persistente o uso da lógica biomédica, configurando-se como uma barreira para a mudança de paradigma. Pretende-se também discutir sobre quais os benefícios de utilização da CIF como uma linguagem universal no campo da saúde. Afirmamos a necessidade de um esforço da comunidade acadêmica e clínica para o uso correto dos termos da CIF, visto que o equívoco na linguagem pode levar a definições inconsistentes. Salientamos que esse ensaio teórico busca cobrir um hiato na literatura brasileira a respeito da utilização da CIF como dicionário de termos balizadores para descrição das experiências vividas em saúde. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Ptyushkin P, Vidmar G, Burger H, Marincek C. Use of the International Classification of Functioning, Disability, and Health in traumatic brain injury rehabilitation: linking issues and general perspectives. Am J Phys Med Rehabil. 2012;91(13 Suppl 1):S48-54. Doi: https://doi.org/10.1097/PHM.0b013e31823d4e99

Castaneda L, Andrade F, Castro S. O panorama de utilização da Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde (CIF) no contexto da reabilitação e do cuidado em saúde – onde estamos? In: Cordeiro ES, Biz MCP. Implantando a CIF – o que acontece na prática? Rio de Janeiro: Wak; 2018.

World Health Organization. World Health Organization Family of International Classifications. 2004. Geneva: WHO; 2004 [cited 2021 Jun 14]. Avaliable in: https://www.who.int/classifications/en/WHOFICFamily.pdf

Andrade F, Castaneda L. Operacionalização da Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde na prática do fisioterapeuta. PROFISIO. 2018;5(3).

Jette AM. Toward a common language for function, disability, and health. Phys Ther. 2006;86(5):726-34.

Dufour SP, Lucy SD. Situating primary health care within the international classification of functioning, disability and health: enabling the Canadian Family Health Team Initiative. J Interprof Care. 2010;24(6):666-77. Doi: https://doi.org/10.3109/13561820903550671

Bickenbach JE, Chatterji S, Badley EM, Ustün TB. Models of disablement, universalism and the international classification of impairments, disabilities and handicaps. Soc Sci Med. 1999;48(9):1173-87. Doi: https://doi.org/10.1016/s0277-9536(98)00441-9

Bruyere SM, Van Looy SA, Peterson DB. The International Classification of Functioning Disability and Health: Contemporary literature overview. Rehab Psychol. 2005;50(2):113-21. Doi: https://doi.org/10.1037/0090-5550.50.2.113

Di Nubila HBV, Buchalla CM. O papel das Classificações da OMS - CID e CIF nas definições de deficiência e incapacidade. Rev Bras Epidemiol. 2008;11(2):324-35. Doi: https://doi.org/10.1590/S1415-790X2008000200014

Stephenson R, Richardson B. Building an interprofessional curriculum framework for health: a paradigm for health function. Adv Health Sci Educ Theory Pract. 2008;13(4):547-57. Doi: https://doi.org/10.1007/s10459-006-9042-2

World Health Organization. The International Classification of Functioning Disability and Health. Geneva: WHO; 2006.

Stucki G. International Classification of Functioning, Disability, and Health (ICF): a promising framework and classification for rehabilitation medicine. Am J Phys Med Rehabil. 2005;84(10):733-40. Doi: https://doi.org/10.1097/01.phm.0000179521.70639.83

Ruaro JA, Ruaro MB, Souza DE, Frez AR, Guerra RO. Panorama e perfil da utilização da CIF no Brasil: uma década de história. Rev Bras Fisioter. 2012;16(6):454-62. Doi: https://doi.org/10.1590/S1413-35552012005000063

Brasil. Ministério da Previdência Social. Avaliação das pessoas com deficiência para concessão de benefícios de prestação continuada da assistência social: um novo instrumento baseado na Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde. Brasília; Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome; Ministério da Previdência Social; 2007.

Castaneda L, Bergmann A, Bahia L. A Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde: uma revisão sistemática de estudos observacionais. Rev Bras Epidemiol. 2014;17(2):437-51. Doi: https://doi.org/10.1590/1809-4503201400020012eng

Paschoal LN, Souza PN, Buchalla CM, Brito CMM, Battistella LR. Identification of relevant categories for inpatient physical therapy care using the International Classification of Functioning, Disability and Health: a Brazilian survey. Braz J Phys Ther. 2019;23(3):212-20. Doi: https://doi.org/10.1016/j.bjpt.2018.08.006

CIF - Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde. São Paulo: EDUSP; 2003.

Madden RH, Bundy A. The ICF has made a difference to functioning and disability measurement and statistics. Disabil Rehabil. 2019;41(12):1450-62. Doi: https://doi.org/10.1080/09638288.2018.1431812

Castaneda L. O cuidado em saúde e o modelo biopsicossocial: apreender para agir. Codas. 2019;31(5):e20180312. Doi: https://doi.org/10.1590/2317-1782/20192018312

Brasil. Ministério da Saúde. Conselho Nacional de Saúde. Resolução n. 452, de 10 de Maio de 2012. Resolve que a Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde - CIF seja utilizada no Sistema Único de Saúde, inclusive na Saúde Suplementar. Diário Oficial da Republica Federativa do Brasil, Brasilia (DF); 2012 Jun 6; Seção 1: 137.

Pernambuco AP, Lana RC, Polese JC.Conhecimento e uso da CIF na prática clínica por fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais de Minas Gerais. Fisiot Pesq. 2018;25(2):134–42. Doi: https://doi.org/10.1590/1809-2950/16765225022018

Wiegand NM, Belting J, Fekete C, Gutenbrunner C, Reinhardt JD. All talk, no action?: the global diffusion and clinical implementation of the international classification of functioning, disability, and health. Am J Phys Med Rehabil. 2012;91(7):550-60. Doi: https://doi.org/10.1097/PHM.0b013e31825597e5

Ferreira LT, Castro SS, Buchalla CM. The International Classification of Functioning, Disability and Health: progress and opportunities. Cien Saude Colet. 2014;19(2):469-74. Doi: https://doi.org/10.1590/1413-81232014192.04062012

Castro SS, Castaneda L, Araújo ES, Buchalla CM. Aferição de funcionalidade em inquéritos de saúde no Brasil: Discussão sobre instrumentos baseados na Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde (CIF). Rev Bras Epidemiol. 2016;19(3):679-87. Doi: https://doi.org/10.1590/1980-5497201600030018

Santos MRP, Nogueira LC, Meziat-Filho NA, Oostendorp R, Reis FJJ. Transcultural adaptation into Portuguese of an instrument for pain evaluation based on the biopsychosocial model. Fisiot Mov. 2017;30(Supl 1). Doi: https://doi.org/10.1590/1980-5918.030.S01.AO18

Graminha CV, Pinto JM, Castro SS, Meirelles MCCC, Walsh IAP. Fatores relacionados a qualidade de vida autorrelatada em mulheres com fibromialgia de acordo com a Classificação Internacional de Funcionalidade. BrJP. 2021; 4(1):43-50. Doi: https://doi.org/10.5935/2595-0118.20210006

Cieza A, Fayed N, Bickenbach J, Prodinger B. Refinements of the ICF Linking Rules to strengthen their potential for establishing comparability of health information. Disabil Rehabil. 2019;41(5):574-83. Doi: https://doi.org/10.3109/09638288.2016.1145258

Gomes CS, Buranello MC, Castro SS. Assessment instruments of functioning in Brazilian elderly and the ICF: a systematic review. Fisioter Mov. 2017;30(3):625-37. Doi: https://doi.org/10.1590/1980-5918.030.003.AR03

Sampaio RF, Luz MT. Funcionalidade e incapacidade humana: explorando o escopo da classificação internacional da Organização Mundial da Saúde. Cad Saude Publica. 2009;25(3):475-83. Doi: https://doi.org/10.1590/s0102-311x2009000300002

Jull G. Biopsychosocial model of disease: 40 years on. Which way is the pendulum swinging? Br J Sports Med. 2017;51(16):1187-8. Doi: https://doi.org/10.1136/bjsports-2016-097362

Barreto MCA, Cavalcanti LPG, Castro SS. Letter to the editor regarding the paper "Evaluation of functional disability after Chikungunya infection". Rev Soc Bras Med Trop. 2020;53:e20190575. Doi: https://doi.org/10.1590/0037-8682-0575-2019

Panato CS, Figueredo ED, Bassi D, Silva IMAFD, Firmo WDCA, Rêgo AS, et al. Counterargument to the editor's letter about the article "Evaluation of functional disability after Chikungunya infection". Rev Soc Bras Med Trop. 2020;53:e20200113. Doi: https://doi.org/10.1590/0037-8682-0113-2020

World Health Organization. The International Classification of Functioning, Disability and Health. Geneva: WHO; 2001.

Diniz D, Medeiros M, Squinca F. Reflexões sobre a versão em Português da Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde. Cad Saude Publica. 2007;23(10):2507-10. Doi: https://doi.org/10.1590/S0102-311X2007001000025

Downloads

Publicado

2021-09-30

Edição

Seção

Tendências e Reflexões
MÉTRICAS | METRICS