Acta Fisiátrica https://www.revistas.usp.br/actafisiatrica <p>A revista Acta Fisiátrica (ISSN 0104-7795&nbsp;<em>Impressa</em>&nbsp;/ ISSN 2317-0190 <em>Eletrônica</em>) é uma publicação trimestral do Instituto de Medicina Física e Reabilitação do Hospital das Clínicas e do Departamento de Medicina Legal, Ética Médica, Medicina Social e do Trabalho da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo com o apoio da Fundação Faculdade de Medicina.</p> pt-BR actafisiatrica@hc.fm.usp.br (Revista Acta Fisiátrica) actafisiatrica@hc.fm.usp.br (Revista Acta Fisiátrica) Qui, 30 Set 2021 00:00:00 -0300 OJS 3.2.1.1 http://blogs.law.harvard.edu/tech/rss 60 Efeitos de um programa de exercícios físicos baseado no método Pilates solo sobre a atividade física, capacidade locomotora e qualidade de vida em homens com amputação de membro inferior https://www.revistas.usp.br/actafisiatrica/article/view/169835 <p>Objetivo: Avaliar os efeitos de um programa de exercícios físicos de 12 semanas baseado no método Pilates Solo sobre atividade física, equilíbrio, capacidade locomotora e qualidade de vida em homens com amputação unilateral de membro inferior. Método: Participaram do estudo 14 pessoas com amputação unilateral de membro inferior, divididos em 2 grupos: Grupo Intervenção – GI (participantes expostos ao protocolo de exercícios baseados no método Pilates Solo) e Grupo Controle – GC (participantes não expostos ao protocolo de exercícios baseados no método Pilates Solo). Foram aplicados os seguintes instrumentos: a) ficha para caracterização dos participantes; b) Physical Activity Scale for Individuals with Physical Disabilities (PASIPD); c) Escala de Equilíbrio de Berg; d) Medida Funcional para Amputados (MFA); e e) Short Form Health Survey (SF-36). Os dados foram analisados por meio da estatística descritiva e inferencial sendo considerados significativos os resultados com p menor ou igual a 0,05. Resultados: Com base nas análises foi possível observar diferença significativa no equilíbrio após o período experimental (p=0,008), a favor do grupo intervenção. Além disso, pode-se observar diferença significativa na média do grupo intervenção para equilíbrio e para aspectos físicos na qualidade de vida (SF-36), assim como o d de Cohen mostrou efeitos de grande magnitude sobre essas variáveis. Conclusão: Logo, os resultados apresentam efeitos positivos na prática do programa de exercícios físicos sobre o equilíbrio dinâmico e estático e na qualidade de vida de pessoas amputadas.</p> Sara Maria Soffiatti Rudolpho, Lisiane Piazza Luza, Greicy Kelly Wosniak Pires, Franciele Cascaes da Silva, David Braga de Lima, Laiana Cândido de Oliveira, Thamara Caviquioni, Rudney da Silva Copyright (c) 2021 Acta Fisiátrica https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 https://www.revistas.usp.br/actafisiatrica/article/view/169835 Qui, 30 Set 2021 00:00:00 -0300 Registros de absenteísmo-doença: o que os conteúdos revelam sobre a funcionalidade de trabalhadores da higienização? https://www.revistas.usp.br/actafisiatrica/article/view/171505 <p>Objetivo: Utilizar os registros de absenteísmo-doença de trabalhadores de limpeza do setor de higienização de uma instituição de ensino superior para estabelecer um subsídio inicial de conteúdo com as categorias da Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde (CIF). Método: Estudo quantitativo, descritivo e retrospectivo. Foram analisados 2.881 atestados médicos, de trabalhadores de limpeza durante o período de 2010 a 2014, classificados de acordo com a CID-10. Variáveis estudadas: sexo, data admissional e demissional, início e fim do atestado, número de dias de afastamento e códigos da CID-10. A partir das regras propostas por Cieza et al. 2016, em um processo efetuado por três pesquisadoras, estabeleceu-se o conteúdo dos registros de absenteísmo-doença com a CIF. Os dados foram tratados pelo programa IBM SPSS Statistics 2.0. Resultados: Foram identificados 29 conceitos significativos da CID-10, referentes aos 6 capítulos mais frequentes. Vinte e seis deles foram relacionados a 17 categorias da CIF, majoritariamente às funções e estruturas do Corpo, seguido de 1 categoria de Atividades e Participação. Um conceito foi classificado como condição de saúde e 2 como não cobertos pela CIF. Os dados disponíveis não evidenciaram categorias do componente Fatores Ambientais. Conclusão: O conteúdo dos registros de absenteísmo-doença permitiu subsidiar a seleção de categorias da CIF, refletindo os aspectos biofísicos contemplados na CID-10. Porém, para considerar os aspectos biopsicossociais da CIF e da política de saúde do trabalhador, será importante contemplar nos registros de absenteísmo-doença conteúdos referentes as Atividades e Participação e, Fatores Ambientais, nos quais os trabalhadores experenciam sua funcionalidade.</p> Bárbara Cordeiro Santos, Jaqueline do Carmo Machado Lopes, Karoleen Oswald Scharan, Auristela Duarte de Lima Moser Copyright (c) 2021 Acta Fisiátrica https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 https://www.revistas.usp.br/actafisiatrica/article/view/171505 Qui, 30 Set 2021 00:00:00 -0300 Desempenho físico e força de preensão manual como preditores de qualidade de vida de idosos https://www.revistas.usp.br/actafisiatrica/article/view/185905 <p>Objetivo: Verificar a influência do desempenho físico e da força de preensão manual na qualidade de vida de idosos. Método: Pesquisa quantitativa, longitudinal, do tipo inquérito domiciliar conduzida com 322 idosos residentes no interior de Minas Gerais. Os dados foram coletados em 2014 e 2017/2018 por meio dos instrumentos: Mini Exame do Estado Mental; questionários com dados sociodemográficos/econômico e clínico; Short Physical Performance Battery, dinamometria, World Health Organization Quality of Life-Bref e World Health Organization Quality of Life-Olders. Procedeu-se a análise descritiva, bivariada e regressão linear múltipla (p≤0,05). Resultados: Entre as duas coletas houve alteração do maior percentual do estado conjugal, com esposo(a) ou companheiro(a) na baseline para viúvos(as) no follow-up, além do aumento percentual de 5 ou mais morbidades. O menor desempenho físico foi preditor de piores escores de qualidade de vida nos domínios: físico (p&lt;0,001) e relações sociais (p= 0,012); e nas facetas: autonomia (p= 0,001); atividades passadas, presentes e futuras (p= 0,005) e participação social (p&lt;0,001). A menor força de preensão manual foi preditora de menor escore de qualidade de vida no domínio físico (p= 0,009). Conclusão: O menor desempenho físico e a menor força de preensão manual associaram-se com pior escore de qualidade de vida entre idosos da comunidade.</p> Lara Andrade Souza, Darlene Mara dos Santos Tavares Copyright (c) 2021 Acta Fisiátrica https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 https://www.revistas.usp.br/actafisiatrica/article/view/185905 Qui, 30 Set 2021 00:00:00 -0300 Desenvolvimento de um instrumento de avaliação para o método Pilates baseado na Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde https://www.revistas.usp.br/actafisiatrica/article/view/183523 <p>Há uma escassez em evidências científicas acerca de instrumentos de avaliação validados e padronizados aplicados ao Pilates. Diante da importância de uma análise individualizada e holística de cada paciente/cliente para melhor aplicação do método, faz-se necessário a construção de instrumentos que possuam uma abordagem biopsicossocial. Objetivo: Desenvolver um instrumento de avaliação para o Pilates, baseado na da Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde (CIF). Métodos: A pesquisa foi realizada em quatro etapas. Levantamentos de informações sobre a avaliação no método Pilates, associação das informações com categorias da CIF, estudo <em>Delphi</em>, construção do instrumento. As informações foram obtidas por meio de um a <em>scoping review</em> e entrevistas com fisioterapeutas que trabalham com o Pilates, para construção as informações obtidas foram vinculadas com as categorias da CIF por dois pesquisadores de forma independente, em caso de discordância um terceiro julgaria a mais pertinente. Em seguida, foi realizado um estudo <em>Delphi</em>, para selecionar as categorias mais relevantes para compor o instrumento. Por fim, a construção do instrumento por três pesquisadores com conhecimento em Pilates e CIF. Resultados: O instrumento foi constituído por 49 categorias da CIF, distribuídas em 33 questões, sendo, 10 de funções do corpo, duas de estruturas do corpo, 16 de atividade e participação e, cinco dos fatores ambientais. Conclusão: O estudo possibilitou a construção de um instrumento que visa facilitar a compreensão do estado de saúde do paciente a partir de uma avaliação já realizada em cada serviço e, ao final será proporcionado uma linguagem comum.</p> Andréa Costa de Oliveira, Yanna Menezes Barbosa, Tiago Pinheiro Vaz de Carvalho, Maria de Carvalho Dantas Alves, Jader Pereira de Farias Neto, Karina Conceição Gomes Machado de Araújo Copyright (c) 2021 Acta Fisiátrica https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 https://www.revistas.usp.br/actafisiatrica/article/view/183523 Qui, 30 Set 2021 00:00:00 -0300 Fatores associados à depressão em pacientes amputados de membros inferiores no Estado de Santa Catarina - Brasil https://www.revistas.usp.br/actafisiatrica/article/view/189060 <p>Sintomas depressivos em pacientes com amputação de membros inferiores foram foco de diversos estudos, com amplos intervalos de prevalência encontrados, e algumas variáveis foram relacionadas com os sintomas depressivos. Depressão e ansiedade têm grande impacto na aderência à reabilitação, no prognóstico funcional e na qualidade de vida. Conhecer os pacientes que têm maior risco de apresentar sintomas depressivos pode favorecer uma abordagem precoce e seu tratamento, potencializando a reabilitação, a reinserção social, a adaptação à prótese e seu uso. Objetivo: Determinar associação entre fatores demográficos, socioeconômicos, e clínicos com sintomas depressivos em pacientes amputados antes da protetização. Métodos: Estudo tipo caso-controle para avaliar fatores associados - dados demográficos, socioeconômicos e comorbidades - à depressão (utilizando escala de depressão de Beck-II) em pacientes com amputação de membro inferior. Resultados: Pacientes com depressão prévia (OR= 17,08, IC95:2,14-136,28) e baixa classe social (OR= 3,04, IC95:1,24-7,47) apresentam alta chance de depressão após amputação em Santa Catarina. O modelo explica 71.4% dos casos, classificando adequadamente 88,1% dos negativos e 23,8% dos positivos. E encontrou-se maior capacidade de predizer casos negativos - amputados raramente apresentaram diagnóstico de depressão se pertenciam a uma classe social mais alta e se não tinham diagnóstico prévio de depressão. Pacientes de classes sociais D-E, e diagnóstico prévio de depressão devem ser referenciados para avaliação psicológica devido à chance de depressão próxima de 1 a cada 4 casos. Conclusão: Depressão prévia à amputação e classes sociais mais baixas apresentaram maior chance de desenvolver sintomas depressivos após amputação na população estudada. </p> Mariana Francisco Botelho, Rafael Gustavo Sato Watanabe, Leticia Goulart Ferreira, Isabela de Carlos Back, Sérgio Fernando Torres de Freitas Copyright (c) 2021 Acta Fisiátrica https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 https://www.revistas.usp.br/actafisiatrica/article/view/189060 Qui, 30 Set 2021 00:00:00 -0300 Neuroimagem e desenvolvimento motor de gêmeas com microcefalia congênita por Zika virus: estudo de caso https://www.revistas.usp.br/actafisiatrica/article/view/181212 <p>Objetivo: Descrever um caso de microcefalia congênita causada pela infecção do Zika vírus em uma gestação gemelar monozigótica. Métodos: A ultrassonografia transfontanelar e a tomografia computadorizada de crânio revelaram diferentes padrões de lesão para ambos gêmeos com microcefalia congênita causada pela infecção do Zika vírus. As avaliações do desenvolvimento motor foram realizadas por meio da Escala Motora Infantil de Alberta (EMIA) e da Medida de Função Motora Grossa antes, durante e após o tratamento fisioterapêutico. Resultados: As avaliações mostraram diferenças na aquisição motora entre os gêmeos. Os valores nas avaliações do primeiro caso forambem menores do que os do segundo caso, que apresentou maior atraso motor. Conclusão: O presente estudo mostrou que apesar dos gêmeos serem monozigóticos, os efeitos das lesões neurológicas reveladas por exames de neuroimagem foram piores no primeiro caso, e mesmo com duas sessões semanais de reabilitação, o desenvolvimento motor ao longo do tempo foi consideravelmente pior no gêmeo do caso 1 quando comparado ao caso 2.</p> Tainã Ribeiro Klinger, Luciana Sayuri Sanada, Natalia Alves Menegol, Viviane de Rezende Santos Passos Lima, Gabriela Amorim Melo, Ellen Soares Guedes, Karina Laurenti Sato Copyright (c) 2021 Acta Fisiátrica https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 https://www.revistas.usp.br/actafisiatrica/article/view/181212 Qui, 30 Set 2021 00:00:00 -0300 Efeitos do treino aeróbico aquático sobre a cognição de um indivíduo após traumatismo crânio encefálico: estudo de caso https://www.revistas.usp.br/actafisiatrica/article/view/182740 <p>Objetivo: Verificar a interferência do exercício aeróbico realizado no ambiente aquático na cognição de um indivíduo com Traumatismo Crânio Encefálico (TCE). Método: Trata-se de um estudo de caso experimental realizado no Setor de Fisioterapia Aquática da AACD, após a aprovação pelo CEP da instituição. Participou do estudo um indivíduo do sexo masculino, de 31 anos, que sofreu um TCE há quase de 12 meses da data da avaliação. Na anamnese, o indivíduo não relatou hidrofobia e, ao exame físico, o indivíduo não apresentou dor ou disfunções que comprometessem a realização dos exercícios do protocolo. Comprometeu-se a não realizar outra atividade física durante a realização do estudo. Foi submetido à avaliação neuropsicológica detalhada antes e após a intervenção de um protocolo de treino aeróbico aquático. O protocolo foi constituído de 12 sessões de 45 minutos, uma vez por semana, de treino aeróbico em uma bicicleta subaquática com acompanhamento de um fisioterapeuta. A temperatura da água foi de 33°C e imersão ao nível do processo xifóide. O monitoramento da intensidade do treino foi realizado através da frequência cardíaca (FC) e a FC alvo foi estipulada pela fórmula de <em>Karvonenn</em>. Resultados: O participante melhorou a pontuação nos testes de funções intelectuais, processos atencionais e velocidade de processamento de informações, habilidades viso espaciais, linguagem, raciocínio lógico, cálculo mental, raciocínio abstrato. Conclusão: O exercício aeróbico aquático interferiu positivamente nas funções cognitivas de um indivíduo com sequelas de um TCE.</p> Caio Roberto Aparecido Paschoal Castro, Cristiane Dias dos Anjos, Andreia Poletti, Suraya Gomes Novais Shimano, Douglas Martins Braga Copyright (c) 2021 Acta Fisiátrica https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 https://www.revistas.usp.br/actafisiatrica/article/view/182740 Qui, 30 Set 2021 00:00:00 -0300 O uso da terapia laser no tratamento da dor crônica difusa: uma revisão sistemática https://www.revistas.usp.br/actafisiatrica/article/view/183314 <p>As terapias a laser são técnicas não invasivas, indolores, seguras e de baixo custo e de utilidade no tratamento da dor crônica. Nenhuma revisão sistemática avaliou os efeitos do laser no tratamento da dor crônica em múltiplos locais simultâneos. Objetivo: Avaliar os efeitos do laser no tratamento da dor crônica multifocal generalizada. Métodos: Revisão sistemática PRISMA sobre o uso do laser em pacientes com dor crônica multifocal de diversas etiologias. Este protocolo foi registrado no site PROSPERO antes da extração dos dados (registro nº. CRD42019152345). Resultados: 1.391 artigos atenderam aos critérios de inclusão e 15 estudos foram selecionados para a extração de dados, sendo 12 estudos em pacientes com fibromialgia, 01 estudo sobre síndrome dolorosa miofascial, 01 estudo sobre artrite reumatoide e 01 estudo sobre polineuropatia sensório-motora diabética. Não foi encontrada homogeneidade nos protocolos do laser, nos métodos de avaliação ou nos grupos controlados, mas em conjunto os estudos sugeriram que o laser poderia ter benefícios no tratamento da intensidade da dor, qualidade de vida, fadiga, rigidez, depressão e ansiedade em comparação com placebo e outras terapias para fibromialgia e para dor na artrite reumatóide e polineuropatia diabética. A terapia a laser mais o exercício padronizado ou amitriptilina não proporcionou nenhuma vantagem extra no alívio dos sintomas da fibromialgia. Para dor miofascial DTM, nenhum benefício foi encontrado. Conclusão: Os estudos mostraram vários pontos e locais diferentes de aplicação de luz, mas nenhum dos estudos selecionados usou a estimulação espinhal como local de aplicação do laser.</p> Nicole Pantojo da Silva, Mariana Pedrazzi Moretti, Igor Pereira de Oliveira, Ana Lucia Batista Aranha, Paola Vieira Beloni, Marcella Ferreira Bento Maciel, Rebeca Boltes Cecatto Copyright (c) 2021 Acta Fisiátrica https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 https://www.revistas.usp.br/actafisiatrica/article/view/183314 Qui, 30 Set 2021 00:00:00 -0300 Métodos de treinamento aeróbicos e/ou resistidos para pessoas com amputação de membro inferior: uma revisão sistemática https://www.revistas.usp.br/actafisiatrica/article/view/188838 <p>Indivíduos com amputação de membros inferiores apresentam complicações que podem provocar diminuição da força, mobilidade e equilíbrio, que afetam a capacidade de deambulação, a aptidão física e a funcionalidade. Assim, o treinamento adequado pode reduzir desequilíbrios e assimetrias, colaborando para a melhora a função e qualidade de vida desses indivíduos. Objetivo: Identificar quais os métodos de treinamento são mais utilizados nessa população. Método: Essa revisão seguiu as recomendações PRISMA. A avaliação metodológica dos estudos foi feita a partir da escala PEDro. Resultados: Sete estudos foram incluídos na revisão, quatro abordaram o treinamento resistido, dois o treinamento combinado e um o treinamento aeróbio. As intervenções de treinamento consistiram em exercícios de fortalecimento, alongamento, equilíbrio e coordenação, aptidão cardiorrespiratória e caminhada. Todos os treinamentos foram capazes de desempenhar melhoras, principalmente na mobilidade e equilíbrio. Conclusão: O treinamento resistido é o mais utilizado, entretanto, quanto mais dinâmico for o treinamento, melhor serão os resultados e melhor será a aderência. O treinamento deve conter exercícios de resistência para MMII, assim como componentes para a restauração de equilíbrio, mobilidade e aptidão cardiorrespiratória.</p> David Braga de Lima, Fernanda Matos Weber, Thamara Caviquioni, Guilherme Boese da Silva, Patrícia Domingos dos Santos, Franciele Cascaes da Silva, Rudney da Silva Copyright (c) 2021 Acta Fisiátrica https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 https://www.revistas.usp.br/actafisiatrica/article/view/188838 Qui, 30 Set 2021 00:00:00 -0300 A Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde (CIF) como dicionário unificador de termos https://www.revistas.usp.br/actafisiatrica/article/view/188487 <p>A Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde (CIF) foi formulada pela Organização Mundial de Saúde (OMS), baseada no modelo biopsicossocial, tendo como um dos principais objetivos proporcionar uma linguagem neutra e não discriminatória universal. Porém, ainda é possível observar desafios para o êxito no estabelecimento e uso dessa linguagem de forma universal, ocasionando em uma série de barreiras na comunicação em nível de ensino, prática clínica, gestão e pesquisa. O presente ensaio teórico busca realizar reflexões acerca da análise dos desafios que a heterogeneidade da linguagem utilizada na descrição e caracterização da funcionalidade e a percepção que, mesmo após 20 anos de publicação da CIF, ainda é persistente o uso da lógica biomédica, configurando-se como uma barreira para a mudança de paradigma. Pretende-se também discutir sobre quais os benefícios de utilização da CIF como uma linguagem universal no campo da saúde. Afirmamos a necessidade de um esforço da comunidade acadêmica e clínica para o uso correto dos termos da CIF, visto que o equívoco na linguagem pode levar a definições inconsistentes. Salientamos que esse ensaio teórico busca cobrir um hiato na literatura brasileira a respeito da utilização da CIF como dicionário de termos balizadores para descrição das experiências vividas em saúde. </p> Marina Carvalho Arruda Barreto, Fernanda Guimarães Andrade, Luciana Castaneda, Shamyr Sulyvan Castro Copyright (c) 2021 Acta Fisiátrica https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 https://www.revistas.usp.br/actafisiatrica/article/view/188487 Qui, 30 Set 2021 00:00:00 -0300