Violência e alteridade no romance mauriciano: o caso de Pagli, de Ananda Devi

Autores

  • Nazir Can Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2526-303X.v0i33-34p141-151

Palavras-chave:

Ananda Devi. Maurício. Romance. Violência. Alteridade

Resumo

Após algumas considerações sobre as tendências do romance mauriciano no período pós-colonial, centraremos nossa atenção em Pagli, de Ananda Devi. Denunciando a violência ritualizada contra a mulher, essa narrativa de 2001 nos convida a uma reflexão sobre os regimes de alteridade em uma sociedade hierarquizada, regida por lógicas patriarcais e raciais. A análise dos processos de exclusão, inclusão e dissociação que o romance põe em cena, permitirá ainda observar como a escrita de Ananda Devi opera uma mediação entre o discurso didático e o discurso contraidentitário

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Nazir Can, Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
    Pesquisador da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo; pós-doutorando na Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo

Downloads

Publicado

2014-12-20

Edição

Seção

Artigos

Como Citar

Violência e alteridade no romance mauriciano: o caso de Pagli, de Ananda Devi. África, [S. l.], n. 33-34, p. 141–151, 2014. DOI: 10.11606/issn.2526-303X.v0i33-34p141-151. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/africa/article/view/115367.. Acesso em: 18 jul. 2024.