Os primeiros anos de Francisco Félix de Souza na Costa dos Escravos

Autores

  • Alberto Costa e Silva

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2526-303X.v0i22-23p9-23

Palavras-chave:

Ajudá-Nigéria, retornados brasileiros-Ajudá (Nigéria), cemitérios de brasileiros-Nigéria, Forte de S. João Batista de Ajudá, Francisco Félix de Souza.

Resumo

Pouco se sabe da vida de Francisco Félix de Souza, antes de ter ele fixado residência em Ajudá. Sabe-se que era baiano, mestiço e com boa instrução, mas ignora-se porque, como e quando chegou à África. Noinício do século XIX, ele já se encontrava na Costa dos Escravos, em Ajudá e, depois, em Badagre, a repetir o enredo de ex-escravos retornados do Brasil e do holandês Hertogh, a tentar transformar-se num alto dignitário africano. De Badagre, ele deslocou-se para Ajudá, onde, diante do abandono a que o Governo português relegou a feitoria ou forte de S. João Batista, ele assumiu os ônus de sua manutenção e começou a torná-lo em um grande entreposto de exportação de escravos, juntamente com outro que possuía em Anecho.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2004-12-09

Como Citar

SILVA, A. C. e. Os primeiros anos de Francisco Félix de Souza na Costa dos Escravos. Revista África, [S. l.], n. 22-23, p. 9-23, 2004. DOI: 10.11606/issn.2526-303X.v0i22-23p9-23. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/africa/article/view/74516. Acesso em: 29 nov. 2022.

Edição

Seção

Artigos