Africanidade, espaço e tradição: a topologia do imaginário espacial tradicional africano na fala "griot" dobre Sundjata Keita do Mali

Autores

  • Maurício Waldman Universidade de São Paulo / Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2526-303X.v0i20-21p219-268

Palavras-chave:

topologia, Antropologia topológica, espaço-tempo, tradição oral, imaginário, Griot, Império do Mali, Sundjata Keita, poder tradicional, Islã em África, africanidade.

Resumo

A elaboração deste texto obedeceu à preocupação em destacar alguns dos elementos pertinentes à uma percepção cultural negro-africana do Espaço. Constituindo um trabalho de índole topológica, o texto dedica, portanto, especial importância a toda sorte de inferências espaciais imaginárias com impacto na consciência social, fundamentais para a compreensão quanto à forma como o espaço é simbolicamente apropriado. Simultaneamente, e inclusive por ser uma avaliação topológica, enfoca a questão da Temporalidade Africana, essencial para definir as relações que se inscrevem no Espaço, seja ele o concreto, seja ele o imaginário. Uma narrativa oral tradicional africana, transmitida pelos contadores de histórias da África Ocidental – os griots – relativa aos feitos de Sundjata Keita, o fundador do Império do Mali constituiu o material de análise básico. A opção por este material deu-se não só pelo amplo rol de elementos constitutivos de uma “Cartografia Imaginária Negro-Africana” que estão nele presentes, como também por ser uma forte expr

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maurício Waldman, Universidade de São Paulo / Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas

Mestre em Antropologia pela FFLCH/USP.

Downloads

Publicado

1998-12-09

Como Citar

WALDMAN, M. Africanidade, espaço e tradição: a topologia do imaginário espacial tradicional africano na fala "griot" dobre Sundjata Keita do Mali. África, [S. l.], n. 20-21, p. 219-268, 1998. DOI: 10.11606/issn.2526-303X.v0i20-21p219-268. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/africa/article/view/75248. Acesso em: 29 fev. 2024.

Edição

Seção

Artigos