Poesia angolana: contra a corrente, a favor da esperança

Autores

  • Rita Chaves Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2526-303X.v0i16-17p189-193

Palavras-chave:

Poesia Angolana, Poesia de resistência, Transformação, Poesia e Artes

Resumo

O trabalho discute as características da poesia produzida nos últimos 50 anos e o lugar do poeta num mundo marcado pela cisão, capaz de evitar o caos assegurando à palavra o direito e o poder de continuar fundando utopias. A matéria poética evoca as raízes de um povo marginalizado pelo cativeiro de desigualdade, mas o itinerário da poesia angolense é marcado por uma história de resistência à dominação, numa luta, dentre outras, da palavra contra o esquecimento. Pela memória, resgata-se a crença na utopia e vislumbra-se a chance de ultrapassar a barbárie colonial.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Downloads

Publicado

1994-12-25

Edição

Seção

Artigos

Como Citar

Poesia angolana: contra a corrente, a favor da esperança. África, [S. l.], n. 16-17, p. 189–193, 1994. DOI: 10.11606/issn.2526-303X.v0i16-17p189-193. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/africa/article/view/96045.. Acesso em: 24 jul. 2024.