Certificação participativa e agroecologia: processos de organização e resistência camponesa na Mata Paraibana

  • Mariana Borba de Oliveira Universidade Federal da Paraíba
Palavras-chave: Campesinato, Resistência, Desenvolvimento local, Agroecologia, Certificação participativa

Resumo

A temática deste artigo trata da resistência do campesinato paraibano à agricultura capitalista. Interpretamos uma organização camponesa cuja produção é de base agroecológica e a comercialização dos produtos realizada diretamente com o consumidor, como sendo uma forte estratégia de resistência que permite a (re) construção das bases da produção camponesa, e norteia o paradigma de desenvolvimento local capaz de gerar qualidade de vida e a preservação do meio ambiente. A experiência estudada é a Feira Agroecológica que acontece em João Pessoa - PB, no campus I da UFPB, e que comercializa produtos de 4 (quatro) assentamentos rurais localizados na Várzea do Rio Paraíba (nos municípios de Cruz do Espírito Santo, Sapé e Sobrado), e um assentamento rural localizado no Litoral Sul da Paraíba (município do Conde). Investigamos a hipótese do projeto ser fortalecido por uma certificação participativa da produção. O resultado da pesquisa comprova o fortalecimento do projeto da Feira através da certificação cuja metodologia foi construída num processo participativo de controle da produção que envolve produtores, consumidores, técnicos, poder público e sociedade civil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mariana Borba de Oliveira, Universidade Federal da Paraíba

Mestre em Geografia pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB).

Publicado
2012-06-18
Como Citar
Oliveira, M. B. de. (2012). Certificação participativa e agroecologia: processos de organização e resistência camponesa na Mata Paraibana. Agrária (São Paulo. Online), (16), 35-62. https://doi.org/10.11606/issn.1808-1150.v0i16p35-62
Seção
Dossiê