Diáspora africana, escravidão e a paisagem da cafeicultura no Vale do Paraíba oitocentista

Autores

  • Rafael de Bivar Marquese Universidade de São Paulo; Departamento de História

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1808-8139.v0i7p138-152

Palavras-chave:

agricultura, escravidão, Brasil império, Rio de Janeiro, São Paulo

Resumo

O artigo analisa as estratégias de administração da paisagem e do trabalho adotadas nas fazendas escravistas de café do Vale do Paraíba ao longo do século XIX. Argumenta que a presença maciça da população africana escravizada, em um contexto local e global bastante turbulento, marcado pela competição entre diferentes produtores mundiais pelo controle do artigo e pelo acirramento da resistência escrava, levou à adoção, pelos senhores, de formas de administração da paisagem de suas fazendas que procuravam restringir a autonomia dos cativos no processo de trabalho.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2008-05-01

Edição

Seção

Artigos