Intelectuais e imprensa em momentos de radicalização política: 1964/2015

  • Vivian Santana Paixão Cásper Líbero
Palavras-chave: Jornalismo, Comunicação Política, Ditadura

Resumo

O objetivo deste artigo é analisar a atuação dos jornalistas e intelectuais brasileiros durante a ditadura militar e no ano de 2015, assim como o papel da imprensa nestes dois períodos, visto que, em 64, o papel da imprensa se deu sob um regime autoritário que reprimia qualquer manifestação contrária ao governo. Hoje a sua atuação é tão importante que faz dela um ator político no processo democrático, objeto de nossa análise. Para o trabalho, foram entrevistados jornalistas e intelectuais que fizeram parte da imprensa brasileira nos dois períodos citados: Alberto Dines, Carlos Heitor Cony, Ferreira Gullar, Frei Betto e Juremir Machado da Silva

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vivian Santana Paixão, Cásper Líbero
Doutoranda em Letras Vernáculas, na área de Lingua Portuguesa, pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Mestre em Letras Vernáculas (URRJ 2014)
Publicado
2016-05-02
Como Citar
Paixão, V. (2016). Intelectuais e imprensa em momentos de radicalização política: 1964/2015. Revista Alterjor, 13(1), 50-65. Recuperado de https://www.revistas.usp.br/alterjor/article/view/107224