A voz e a vez da redação

relatos acerca da trajetória de formação do telejornalismo brasileiro – Parte 7 – João Batista de Andrade

Palavras-chave: Televisão, Documentário, Telejornalismo, João Batista de Andrade

Resumo

O cineasta João Batista de Andrade, apesar de já ser premiado e reconhecido, nos anos setenta atuou como repórter e diretor de documentários, em duas emissoras brasileiras. Primeiro foi na TV Cultura, produzindo reportagens diárias para o telejornal Hora da Notícia, e depois no Globo Repórter e na direção de reportagens especiais para diversos programas da emissora. A entrevista dele revela detalhes da passagem dos cineastas, pela televisão brasileira. Um momento histórico e significativo para a memória do telejornalismo, porque revela a influência dos cineastas e documentaristas no telejornalismo. João Batista de Andrade concedeu entrevista, no dia 12 de dezembro de 2006, na cidade de São Paulo, quando ocupava o cargo de Secretário Estadual de Cultura.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Valquíria Aparecida Passos Kneipp, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Doutora em Ciências da Comunicação pela ECA - USP e professora na Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

Referências

KNEIPP, V.P. Trajetória da formação do telejornalista brasileiro–as implicações do modelo americano. Tese de Doutorado. Orientação: José Marques de Melo. São Paulo: PPGCOM-ECA-USP, 2008.

Publicado
2020-01-03
Como Citar
Kneipp, V. (2020). A voz e a vez da redação. Revista Alterjor, 21(1), 21-31. https://doi.org/10.11606/issn.2176-1507.v21i1p21-31