A propagação de desinformação em tempos de coronavírus: considerações em torno do programa “Fato ou Fake”

Autores

  • Leandro de Resende Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais
  • Juliana Lopes de Almeida Souza Universidade Federal de Minas Gerais

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2176-1507.v23i1p296-310

Palavras-chave:

Desinformação, Fake news, Notícia, Fato ou Fake, Coronavírus

Resumo

O presente estudo tem como objetivo explorar o conceito de notícia e de desinformação, a fim de evidenciar os prejuízos que conteúdos falsos ou fora de contexto podem trazer para a sociedade. Foi desenvolvida uma pesquisa de caráter descritivo. Utilizou-se para a investigação considerações em torno de um estudo de caso, analisando o papel do programa “Fato ou Fake”, do G1, pelas fases de criação, produção e distribuição de informações. Destaca-se que o programa combate as desinformações relacionadas ao coronavírus no Brasil, caracterizado por três elementos: agente, mensagem e intérprete. O artigo propõe que a desinformação pode causar interferências, inclusive, na saúde e bem-estar da população. Por causa disso, é necessário combater conteúdos falsos e descontextualizados, tendo em vista a responsabilidade dos canais de comunicação, mas também dos indivíduos que compartilham as informações sem verificação das fontes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Leandro de Resende, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais

Pós-graduado em Marketing Estratégico pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais – PUC-Minas. Graduado em Comunicação Social com Ênfase em Publicidade e Propaganda pelo Centro Universitário Una.

Juliana Lopes de Almeida Souza, Universidade Federal de Minas Gerais

Doutoranda em Comunicação pela UFMG. Mestra e pesquisadora em Ciência da Informação pela UFMG. Professora de cursos de pós-graduação na área da Comunicação pela PUC-Minas, pelo Centro Universitário UNA e Faculdade Promove. 

Referências

ALSINA, Miquel Rodrigo. La construcción de la noticia. Barcelona: Ediciones Paidós, 1993.

BOLSONARO, Jair Messias (Jair Messias Bolsonaro). Eu tomei a Hidroxicloroquina e estou me sentindo muito bem. Uma boa tarde a todos. Brasília, 7 de julho de 2020. Facebook: jairmessias.bolsonaro. Disponível em <https://www.facebook.com/jairmessias.bolsonaro/videos/723015191608243/> Acesso em: 01 de agosto de 2020.

G1. É #FAKE que beber vodca ou uísque mate o coronavírus na garganta. G1, Rio de Janeiro, 10 de julho de 2020. Disponível em: <https://g1.globo.com/fato-ou-fake/noticia/2020/07/10/e-fake-que-beber-vodca-ou-uisque-mate-o-coronavirus-na-garganta.ghtml>. Acesso em: 01 de agosto de 2020.

G1. É #FAKE que cloroquina seja distribuída gratuitamente por toda a Europa para tratar a Covid-19. G1, Rio de Janeiro, 25 de junho de 2020. Disponível em: <https://g1.globo.com/fato-ou-fake/coronavirus/noticia/2020/06/25/e-fake-que-cloroquina-seja-distribuida-gratuitamente-por-toda-a-europa-para-tratar-a-covid-19.ghtml>. Acesso em: 01 de agosto de 2020.

G1. É #FAKE que máscaras de tecido sejam ineficazes contra o coronavírus e que apenas trajes cobrindo o corpo todo protejam da Covid-19. G1, Rio de Janeiro, 27 de julho de 2020. Disponível em: <https://g1.globo.com/fato-ou-fake/coronavirus/noticia/2020/07/27/e-fake-que-mascaras-de-tecido-sejam-ineficazes-contra-o-coronavirus-e-que-apenas-trajes-cobrindo-o-corpo-todo-protejam-da-covid-19.ghtml>. Acesso em: 01 de agosto de 2020.

G1 lança Fato ou Fake, novo serviço de checagem de conteúdos suspeitos. G1, Rio de Janeiro, 30 de julho de 2018. Disponível em: <https://g1.globo.com/fato-ou-fake/noticia/2018/07/30/g1-lanca-fato-ou-fake-novo-servico-de-checagem-de-conteudos-suspeitos.ghtml>. Acesso em: 01 de agosto de 2020.

G1. É #FAKE que pode ter o CRM cassado o médico que não prescrever hidroxicloroquina a pedido do paciente em casos de Covid. G1, Rio de Janeiro, 17 de julho de 2020. Disponível em: <https://g1.globo.com/fato-ou-fake/noticia/2020/07/17/e-fake-que-pode-ter-o-crm-cassado-o-medico-que-nao-prescrever-hidroxicloroquina-a-pedido-do-paciente-em-casos-de-covid.ghtml>. Acesso em: 01 de agosto de 2020.

G1. É #FAKE que pesquisa recente indique a hidroxicloroquina como o tratamento mais eficaz contra o coronavírus. G1, Rio de Janeiro, 21 de maio de 2020. Disponível em: <https://g1.globo.com/fato-ou-fake/coronavirus/noticia/2020/05/21/e-fake-que-pesquisa-com-6-mil-medicos-indique-a-hidroxicloroquina-como-o-tratamento-mais-eficaz-contra-o-coronavirus.ghtml>. Acesso em: 01 de agosto de 2020.

G1. É #FAKE que produto veterinário creolina cure a Covid-19. G1, Rio de Janeiro, 17 de julho de 2020. Disponível em: <https://g1.globo.com/fato-ou-fake/coronavirus/noticia/2020/07/17/e-fake-que-produto-veterinario-creolina-cure-covid-19.ghtml>. Acesso em: 01 de agosto de 2020.

FDA. FDA cautions against use of hydroxychloroquine or chloroquine for COVID-19 outside of the hospital setting or a clinical trial due to risk of heart rhythm problems. U. S. Food and drug administration, Silver Spring, MD, 15 de junho de 2020. Disponível em: <https://www.fda.gov/drugs/drug-safety-and-availability/fda-cautions-against-use-hydroxychloroquine-or-chloroquine-covid-19-outside-hospital-setting-or> Acesso em 1 de agosto de 2020.

GIL, Antônio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Editora Atlas S.A., 2008.

JENKINS, Henry. GREEN, Joshua. FORD, Sam. Cultura da conexão: criando valor e significado por meio da mídia propagável. São Paulo: Editora Aleph, 2014.

MARINHO, Roberto Irineu. MARINHO, João Roberto. MARINHO, José Roberto. Princípios Editoriais do Grupo Globo. Rio de Janeiro: Grupo Globo, 2011. Disponível em <http://g1.globo.com/principios-editoriais-do-grupo-globo.html#principios-editoriais> Acesso em: dia 1 de agosto de 2020.

WARDLE, Caire. DERAKHSHAN, Hossein. Information disorder: Toward an interdisciplinary framework for research and policy making. Strasbourg: Council of Europe. 2017.

Downloads

Publicado

2021-02-03

Como Citar

Resende, L. de, & Souza, J. L. de A. (2021). A propagação de desinformação em tempos de coronavírus: considerações em torno do programa “Fato ou Fake” . Revista Alterjor, 23(1), 296-310. https://doi.org/10.11606/issn.2176-1507.v23i1p296-310