Jornalismo ético, liberdade de expressão e credibilidade: dilemas do profissional de jornalismo nas mídias sociais

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2176-1507.v23i1p248-263

Palavras-chave:

Jornalismo, Ética, Poliítica, Mídia social

Resumo

O presente artigo analisa o impacto da postura adotada pelo profissional de jornalismo nas mídias sociais sobre a credibilidade desse profissional, dos veículos de comunicação e, numa visão mais ampla, da própria atividade de jornalismo, abordando aspectos como a ética da profissão e a liberdade de expressão. Nesse sentido, o objetivo geral é analisar, sob o ponto de vista do profissional de jornalismo, como declarações públicas de cunho político ou ideológico, principalmente nas mídias sociais, podem comprometer a própria imagem e a credibilidade do veículo em que trabalha. Conclui-se que, nos tempos atuais, a conduta do jornalista nas mídias sociais, principalmente no que tange a posicionamentos pessoais políticos ou ideológicos, tem potencial para comprometer sua credibilidade profissional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Edwaldo Costa, Universidade de São Paulo

Pós-doutor em Jornalismo pela Universidade de São Paulo (ECA/USP). Doutor em Comunicação e Semiótica (PUC-SP).

Marcos Simas, Centro Universitário de Brasília

Pós-graduado em Gestão da Comunicação nas Organizações pelo Centro Universitário de Brasília (UniCEUB)

Referências

AGUIAR, L.; RODRIGUES, C. Práticas de jornalismo amador em plataformas interativas: uma revisão bibliográfica. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO,38., 2015. Rio de Janeiro. Anais... São Paulo: Intercom, 2015.

ALVES, R. C. Jornalismo digital: dez anos de web e a revolução continua. Comunicação e Sociedade, v. 9, n. 10, p. 93-102, 2012.

ASSIS, E. de. (2017). Influências no jornalismo participativo: um estudo local sobre decisões editoriais tomadas pelo público. Dissertação de Mestrado. Florianópolis: UFSC.

BARSOTTI, A. Jornalista em mutação: do cão de guarda ao mobilizador de audiência. Florianópolis: Insular, 2014

BARSOTTI, A. Uma história da primeira página. Florianópolis: Insular, 2018.

BOKOVA, Irina.Tendências mundiais sobre liberdade de expressão e desenvolvimento da mídia. Brasília: UNESCO, 2016. 108 p.

BONNER, William. Graça das redes sociais acabou, 'agora é campo de batalha'. 2020. Disponível em: https://tvefamosos.uol.com.br/noticias/redacao/2020/08/09/ william-bonner-altas-horas-jornal-nacional.htm. Acesso em: 09 ago. 2020.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Centro Gráfico, 1988.

CEZAR, Gustavo Buss. As notícias e seus critérios na perspectiva da rede. 2014. Tese (Doutorado em Comunicação Social) – Faculdade de Comunicação Social, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

DEBORD, Guy. A sociedade do espetáculo. Rio de Janeiro: Contraponto, 2012.

KARAM, Francisco. Jornalismo ética e liberdade. São Paulo (SP): Summus Editorial, 2014.

KOVACH, Bill; ROSENSTIEL, Tom. Os elementos do jornalismo – O que os jornalistas devem saber e o público deve exigir. São Paulo: Geração Editorial, 2003.

MACCALÓZ, Salete. O Poder Judiciário, os meios de comunicação e opinião pública. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2012.

MARTINS, Luiz da Silva. O jornalismo como teoria democrática. In: CHRISTOFOLETTI, Rogério. Vitrine e Vidraça: Crítica de Mídia e Qualidade no Jornalismo. Portugal, LabCom Books, 2010.

MORAES, D; RAMONET, I.; SERRANO, P. Mídia, poder e contrapoder: da concentração monopólica e democratização da informação. São Paulo, Boitempo; Rio de Janeiro, Faperj: 2013.

NALINI, José Renato. Ética geral e profissional. 12 ed. rev., atual. e ampl. – São Paulo: Editora Revista dos Tribunais, 2015.

PRIMO, A. Interações em rede. Porto Alegre: Sulina, 2013.

SACRAMENTO, Igor. A saúde numa sociedade de verdades. 2018. Revista Eletrônica de Comunicação Informação & Inovação em Saúde. V.12, n.1.

SANTAELLA, Lúcia. (2009). A ecologia pluralista das mídias locativas. Revista FAMECOS, 15(37), 20-24.

SANTAELLA, Lucia; LEMOS, Renata. Redes Sociais digitais: a cognição conectiva do Twitter. São Paulo: Ed. Paulus, 2010 (Coleção Comunicação)

SILVA, Érica Danielle.; TASSO, Ismara. Prática Discursiva Midiática. Guarapuava, vol. 3 n. 2 (dez. 2012).

VELO, Atila. A história das mídias sociais. Santo André, 2012. Disponível em: <http://redatorweb.com.br/a-historia-das-midias-sociais-um-guia-sobre-a-origem-deste-fenomenoslideshare/> Acessado em: 19 mai. 2020

Downloads

Publicado

2021-02-03

Como Citar

Costa, E., & Simas, M. (2021). Jornalismo ético, liberdade de expressão e credibilidade: dilemas do profissional de jornalismo nas mídias sociais. Revista Alterjor, 23(1), 248-263. https://doi.org/10.11606/issn.2176-1507.v23i1p248-263