Adriana Menezes - A responsabilidade do Jornalismo Ambiental como agente transformador na cobertura sobre meio ambiente

Autores

  • Andreia Terzariol Couto Universidade de São Paulo. Escola de Comunicações e Artes

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2176-1507.v26i2p138-150

Palavras-chave:

Jornalismo Ambiental, Mariana, Bento Rodrigues, Samarco, Desastre ambiental

Resumo

A cobertura ambiental brasileira, de forma geral, tem sido marcada por uma falta de aprofundamento e contextualização sobre os fenômenos que abrangem as grandes questões dessa editoria na atualidade, tais como: agressivo  desmatamento e grilagem de terras nos principais biomas brasileiros, a saber, floresta amazônica e Pantanal; avanço da fronteira agrícola em direção a esses espaços geográficos de forma descontrolada, ocupando-os sob a forma de monocultura da soja e pastagens; aquecimento global e mudanças climáticas, em decorrência do aniquilamento dos sistemas de vegetação nativa; cobertura sensacionalista de fenômenos climáticos; contaminação dos recursos hídricos, até mesmo dos grandes sistemas Aquífero Guarani e Sistema Amazônico; falta de formação específica dos profissionais que cobrem a pauta de meio ambiente, com a consequente cobertura não aprofundada dos fatos, entre outros fatores. Para analisar o contexto da cobertura ambiental, entrevistamos a jornalista Adriana Menezes, que toma como exemplo o desastre ambiental ocorrido em Mariana, Minas Gerais, em novembro de 2015.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Andreia Terzariol Couto, Universidade de São Paulo. Escola de Comunicações e Artes

Jornalista, Pós-doutoranda em Jornalismo ambiental - ECA - USP

Membro do Grupo de Pesquisa de Jornalismo Popular e Alternativo - Alterjor - USP Membro do Grupo Interdisciplinar de Pesquisa Cultura, Sociedade e Ambiente/ Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente - PRODEMA - Departamento de Ciências Sociais da UFPB Currículo Lattes:  http://lattes.cnpq.br/0391447376332844 

Referências

CALDAS, Graça (Org.). Vozes e silenciamentos em Mariana. Crime ou desastre ambiental? Campinas: Unicamp/Nudecri/Biblioteca Central César, 2018, 2. Edição, 356 pp. http://www.labjor.unicamp.br/wp-Campinas: Lattescontent/uploads/2018/0/2a_edicao_digital_vozes_e_silenciamentos_em_Mariana_06042018_LABJOR_09-04.pdf. Último acesso: 24/06/2022.

Jornal A Sirene. https://jornalasirene.com.br/

Downloads

Publicado

2022-07-24

Como Citar

Couto, A. T. (2022). Adriana Menezes - A responsabilidade do Jornalismo Ambiental como agente transformador na cobertura sobre meio ambiente. Revista Alterjor, 26(2), 138-150. https://doi.org/10.11606/issn.2176-1507.v26i2p138-150