O cinema compartilhado como caminho para uma comunicação solidária e democrática

Autores

  • Ana Clara Gomes Costa Universidade Federal de Goiás

Palavras-chave:

Cinema compartilhado, Comunicação solidária, Comunicação popular

Resumo

Este trabalho é um estudo analítico sobre o processo de produção compartilhada de documentários, em oposição à forma clássica de se fazer filmes que retratam culturas, povos e comunidades, em que a representação do outro diferente é repleta de estereótipos e de verdades outorgadas pelo cineasta. A análise se inicia com um diagnóstico da estrutura de produção dos documentários clássicos, que se assemelha à estrutura das matérias dos noticiários televisivos e, para contrapor esse modelo clássico do cinema-documentário, dá-se início à discussão sobre a participação popular como preliminar na construção de uma comunicação solidária e identitária expressa pelo cinema, em que o outro deixe de ser objeto e passe a ser sujeito do processo fílmico. O caráter participativo da antropologia compartilhada do antropólogo e cineasta Jean Rouch é relacionado à práxis do diálogo de Paulo Freire, aplicada no campo da comunicação, para o desenvolvimento do cinema compartilhado, adepto de uma comunicação mais solidária

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Clara Gomes Costa, Universidade Federal de Goiás

Mestranda em Comunicação pela Faculdade de Informação e Comunicação da Universidade Federal de Goiás

Downloads

Publicado

2015-10-06

Como Citar

Costa, A. C. G. (2015). O cinema compartilhado como caminho para uma comunicação solidária e democrática. Revista Alterjor, 12(2), 79-84. Recuperado de https://www.revistas.usp.br/alterjor/article/view/aj12-a05