Cultura e comunicação pós-massiva

o hibridismo na música muito popular brasileira e as múltiplas funções do ouvinte

Autores

  • Tatiana Martins Montenegro Universidade Federal de Juiz de Fora
  • Carlos Yander Aguiar Arazimo Centro Universitário Estácio de Juiz de Fora
  • Anna Cecília Chaves Limongi de Mello Centro Universitário Estácio de Juiz de Fora

Palavras-chave:

Música popular brasileira, Hibridismo musical, interculturalidade, comunicação pós-massiva

Resumo

O presente artigo tem o objetivo de promover reflexões acerca do cenário atual da música muito popular brasileira, sua configuração histórica e perspectivas.  Por meio de pesquisas de cunho bibliográfico e documental, foram investigados os mecanismos que contribuíram para um entendimento da legitimidade da cultura popular nacional, com ênfase na música e no impacto das novas tecnologias para a produção e disseminação das manifestações artísticas. A partir dos apontamentos levantados, avalia-se que a cena da música brasileira contemporânea é diretamente afetada pelas transformações tecnológicas e macroambientais e que a principal característica da música nacional hoje é o hibridismo, dado que o mesmo define os artistas, as canções, o estilo, o público e os canais de comunicação utilizados para a prática desta manifestação cultural.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carlos Yander Aguiar Arazimo, Centro Universitário Estácio de Juiz de Fora

Graduando em Comunicação Social pelo Centro Universitário Estácio de Juiz de Fora.

Anna Cecília Chaves Limongi de Mello, Centro Universitário Estácio de Juiz de Fora

Graduando em Comunicação Social pelo Centro Universitário Estácio de Juiz de Fora.

Downloads

Publicado

2020-12-08

Como Citar

Montenegro, T. M., Arazimo, C. Y. A., & de Mello, A. C. C. L. (2020). Cultura e comunicação pós-massiva: o hibridismo na música muito popular brasileira e as múltiplas funções do ouvinte. Anagrama, 14(2). Recuperado de https://www.revistas.usp.br/anagrama/article/view/173269