Religiosidade e suas manifestações no espaço urbano de Salvador

Autores

  • Maria Helena Ochi Flexor Universidade Católica do Salvador

DOI:

https://doi.org/10.1590/S0101-47142014000200007

Resumo

O Brasil foi descoberto e ocupado sob a égide do cristianismo, reforçado pelo movimento da Contrarreforma Católica. Promovida pela Igreja Católica Apostólica Romana, opunha-se à Reforma Protestante, reafirmava o uso das imagens e ditava uma série de normas a serem seguidas pelos fiéis, expressas nas Constituições Primeiras do Arcebispado da Bahia, de 1707. A Contrarreforma enfatizou a importância das manifestações públicas de fé, a maior participação da população nas coisas da Igreja. As procissões foram o exemplo típico dessas manifestações, promovidas, especialmente, pelas Irmandades e/ou ordens terceiras leigas. Nas procissões, ou cenários públicos de fé, as imagens das figuras santas e festas barrocas tiveram um papel primordial. Dentre elas, se resgatou um uso medieval das marionetes - acrescido da dramaticidade tirada do teatro de ópera -, transformadas em imagens de roca e de vestir. Estas constituíram, sobretudo no século XVIII, instrumentos eficientes para despertar a fé de leigos e religiosos. As ruas e praças - do antigo centro histórico da cidade do Salvador - serviram de grande cenário, no qual evoluía a maior parte das procissões. Destacavam-se as procissões dos Mistérios da Paixão, de Corpus Christi ou cenas correlatas, em datas fixas ou móveis, ao lado da multiplicação das representações da Santíssima Trindade, especialmente a cruz ou o Cristo Crucificado.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Downloads

Publicado

2014-12-01

Edição

Seção

Estudos de Cultura Material

Como Citar

FLEXOR, Maria Helena Ochi. Religiosidade e suas manifestações no espaço urbano de Salvador. Anais do Museu Paulista: História e Cultura Material, São Paulo, v. 22, n. 2, p. 197–235, 2014. DOI: 10.1590/S0101-47142014000200007. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/anaismp/article/view/103878.. Acesso em: 21 maio. 2024.