O fio e os rastros da moda: comércio e sociabilidade em São Paulo no começo do século XX

Autores

  • Philippe Arthur dos Reis Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.1590/1982-02672018v26e26

Palavras-chave:

História urbana, São Paulo, Brás, Moda, Classes médias, Sistema de Informações Geográficas Histórico

Resumo

Entre a passagem do século XIX para o XX a cidade de São Paulo passou por uma série de transformações materiais e nas formas de seus habitantes se relacionarem com o espaço urbano: a instalação de novos equipamentos urbanos; a intensificação da chegada de imigrantes; mudanças no sistema burocrático e administrativo municipal; a introdução de novos gostos e hábitos de consumo; a construção de inúmeras fábricas e de edificações comuns, dentre outros fatores, permitiram a expansão da cidade para além do seu núcleo inicial, conhecido como Triângulo ou Colina Histórica. Os setores médios participaram desse rol de transformações, notadamente na construção de edificações voltadas principalmente para moradia, aproveitando-se das oportunidades que o mercado rentista oferecia. Muitos desses edifícios foram projetados para cumprir uma função mista, congregando moradia e comércio, tipologia usual na porção leste da cidade, em especial no Brás. O bairro, conhecido por seu parque fabril, apresentou uma série de espaços comerciais que se dedicaram ao ramo de vestuário e estética pessoal, com lojas de roupas, alfaiates e profissionais ligados ao âmbito da joalheria. Neste artigo procuramos entender o papel dos proprietários desses espaços na configuração material do Brás e dos bairros próximos. Para tanto, recorre-se aos Sistemas de Informações Geográficas, espacializando diferentes fontes documentais.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Philippe Arthur dos Reis, Universidade de São Paulo

    Graduado e licenciado em História pela Universidade Federal de São Paulo, instituição a qual desenvolveu projeto de iniciação científica orientado pelo Professor Dr. Jaime Rodrigues e financiado pela Fapesp, intitulado “Orville Derby na Revista do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo e a construção da imagem do bandeirante”, o qual tinha como objetivos principais compreender a simbologia do paulista com o bandeirante, por meio da escrita do autor em questão na passagem dos séculos XIX para o XX, com um posterior diálogo com a historiografia da época.

    Desenvolveu estágio no Arquivo Histórico de São Paulo, em particular no projeto “A Cidade de São Paulo e sua Arquitetura”, á qual tinha como objetivo maior a digitalização de projetos arquitetônicos submetidos à aprovação da prefeitura paulistana entre 1906 e 1915.

    Atualmente é professor de História na Escola Estadual Carlos Gomes, e desenvolve o projeto "História, Memória e Patrimônio: os 75 anos do Carlão".

Downloads

Publicado

2018-11-29

Edição

Seção

Estudos de Cultura Material

Como Citar

DOS REIS, Philippe Arthur. O fio e os rastros da moda: comércio e sociabilidade em São Paulo no começo do século XX. Anais do Museu Paulista: História e Cultura Material, São Paulo, v. 26, p. e26, 2018. DOI: 10.1590/1982-02672018v26e26. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/anaismp/article/view/140290.. Acesso em: 17 abr. 2024.