Antes do Parque Ibirapuera: a história do vazio (1890 - 1954)

Autores

  • Ana Cláudia Castilho Barone Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.1590/1982-02672017v25n0306

Palavras-chave:

Parque Ibirapuera (história), Parque Ibirapuera (limites), Preservação de área pública, Conflitos de posse de terra

Resumo

As disputas entre os setores público e privado em relação ao Parque Ibirapuera voltam ao debate público com a proposta do novo prefeito de São Paulo de conceder a gestão de algumas das principais áreas verdes da cidade a empresas. Na verdade, o tema nunca saiu da ordem do dia, assumindo diferentes formas. Este artigo reúne uma variedade de documentos de naturezas diversas constantes, sobretudo, no Arquivo Histórico Municipal, referentes a conflitos pela propriedade ou usufruto de terrenos localizados no interior da gleba designada como parque. O período analisado cobre os anos entre a destinação do terreno, em 1926, e a realização do parque, em 1954. O nosso propósito é evidenciar os múltiplos interesses na área, despertados não apenas entre particulares mas também entre importantes instituições de caráter público e privado que visavam se instalar na região e foram pior ou melhor sucedidas em seu avanço sobre o grande terreno público reservado nesse trecho nobre do tecido urbano. Com esse objetivo em vista, buscamos pautar a atual discussão sobre o parque com relevantes dados históricos sobre o processo de preservação da gleba vazia antes da sua implantação, evidenciando esses conflitos.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Downloads

Publicado

2017-09-01

Edição

Seção

Estudos de Cultura Material

Como Citar

BARONE, Ana Cláudia Castilho. Antes do Parque Ibirapuera: a história do vazio (1890 - 1954). Anais do Museu Paulista: História e Cultura Material, São Paulo, v. 25, n. 3, p. 167–194, 2017. DOI: 10.1590/1982-02672017v25n0306. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/anaismp/article/view/146197.. Acesso em: 18 maio. 2024.