Entre a arte de comunicar e ofício de ser acessível: estudo sobre os recursos de acessibilidade para visitantes com deficiência visual no site de um museu de Belo Horizonte

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/1982-02672020v28e12

Palavras-chave:

Acessibilidade, Museus, Sites, Comunicação, Internet

Resumo

Esta investigação tem como propósito analisar como se configura a acessibilidade nos sites dos museus. Para a realização do estudo, oito participantes com deficiência visual foram convidados a visitar o site do Museu de Artes e Ofícios (MAO) e, de acordo com suas experiências, a responder um questionário sobre as condições e os recursos oferecidos pela página. O questionário foi disponibilizado em uma plataforma on-line e teve o link enviado por e-mail. A investigação contou também com a utilização de uma ferramenta automática que avalia a acessibilidade de sites. Todos os instrumentos empregados na pesquisa foram inspirados nas Diretrizes de Acessibilidade da Web, orientações elaboradas por pesquisadores do Consórcio W3C que visam a tornar os conteúdos das páginas da internet mais acessíveis. Os sites podem contribuir para a projeção da instituição e de seu acervo e ser um elemento que estimule, oriente ou complemente uma visita, desde que viabilize o processo de comunicação através do oferecimento de recursos adequados às habilidades e capacidades dos indivíduos. No que tange à análise da acessibilidade do site do MAO, a investigação demonstrou que, apesar de alguns elementos estarem de acordo com as recomendações de acessibilidade, a página ainda não supre as expectativas com relação a outros aspectos. Por fim, não foram encontrados textos na página que remetam à acessibilidade ou descrevam os recursos para ampliar o acesso, o que pode indicar que o tema não é uma pauta do site do museu.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Míriam Célia Rodrigues Silva, Universidade do Estado de Minas Gerais

Mestre em Educação pela Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG). Graduada em Museologia pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

José de Sousa Miguel Lopes, Universidade do Estado de Minas Gerais

Pós-doutor pela Universidade de Lisboa, doutor em História e Filosofia da Educação pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, mestre em Educação pela UFMG e graduado em Pedagogia pela mesma universidade (2013). Atualmente é professor no mestrado em Educação na UEMG.

Referências

LIVROS, ARTIGOS E TESES

ALVES, Magda. Como escrever teses e monografias: um roteiro passo a passo. 2ª ed. Rio de Janeiro: Campus, 2007.

AMIRALIAN, Maria Lúcia Toledo Moraes. Sou cego ou enxergo? As questões da baixa visão. Revista Educar. Curitiba, n. 23, p. 15-28, 2004.

AURÉLIO, Buarque de Holanda Ferreira. O minidicionário da língua portuguesa. 4ª ed. revista e ampliada. 7ª impr. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2002.

BRAGA, Jezulino Mendes. Professores de História em cenários de experiência. 2014. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2014.

CAMBIAGHI, Silvana. Desenho universal: métodos e técnicas para arquitetos e urbanistas. São Paulo: Senac, 2007.

CARVALHO, Rosane Maria Rocha. Comunicação e informação de museus na internet e o visitante virtual. Revista Eletrônica do Programa de Pós-Graduação em Museologia e Patrimônio. v. l, n. 1, p. 83-93, jul/dez de 2008.

CASTELLS, Manuel. A sociedade em rede. São Paulo: Paz e Terra, 1999.

CASTELLS, Manuel. Museus na era da informação: conectores culturais de tempo e espaço. 2011. In: BARRANHA, Helena; MARTINS, Susana S.; RIBEIRO, António Pinto. Museus sem lugar ensaios: manifestos e diálogos em rede. Lisboa: Unplace, 2015.

CATEL, Pierre. Museu de Artes e Ofícios, Belo Horizonte: afinal, como nascem os museus? (Entrevista concedida a Luciana Sepúlveda Köptcke). História, Ciências, Saúde, Manguinhos, v. 12 (suplemento), p. 323-38, 2005.

DELOCHE, Bernard. El Museo Virtual. Gijón: TREA, 2002.

FLOR, Carla da Silva. Diagnóstico da Acessibilidade dos principais museus virtuais disponíveis da internet. 2009. 129 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia e Gestão do Conhecimento) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2009.

FREIRE, André Pimenta. Acessibilidade no desenvolvimento de sistemas web: um estudo sobre o cenário brasileiro. 2008. Dissertação (Mestrado em Ciência da Computação e Matemática Computacional) – Universidade de São Paulo, São Carlos, 2008.

KASTRUP, V. Cegos e videntes se encontram no museu: da dicotomia à partilha do sensível. In: II Seminário Internacional Ciência e Museologia: Universo Imaginário, 2011, Belo Horizonte. Anais [...]. Belo Horizonte: ECI-UFMG, 2011. p. 87-97.

LARROSA BONDÍA, Jorge. Notas sobre a experiência e o saber de experiência. Tradução de João Wanderley Geraldi. Universidade Estadual de Campinas, Departamento de Linguística. Revista Brasileira de Educação, n. 19, p. 20-28, 2002.

LÉVY, Pierre. Cibercultura. Rio de Janeiro: Editora 34, 1999.

MIRANDA, Rose Moreira de. Informação e sites de museus de arte brasileiros: Representação no ciberespaço. 2001. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) – IBICT, Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação; Escola de Comunicação, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2001.

NIELSEN, Jakob. Projetando websites. São Paulo: Campus, 2000.

ONU. Declaração Universal dos Direitos Humanos. Disponível em: <https://bit.ly/1CVqinH>. Acesso em: 10 set. 2017.

RAMOS, Francisco Régis Lopes. A danação do objeto: o museu no ensino de História. Chapecó: Argos, 2004.

ROCHA, Jánicy Aparecida Pereira; DUARTE, Adriana Bogliolo Sirihal. Diretrizes de acessibilidade web: um estudo comparativo entre as WCAG 2.0 e o e-MAG 3.0. Inclusão Social, Brasília, DF, v. 5 n. 2, p.73-86, jan./jun. 2012.

SASSAKI, Romeu Kazumi. Inclusão: acessibilidade no lazer, trabalho e educação. Revista Nacional de Reabilitação (Reação). São Paulo, Ano XII, p. 10-16, mar./abr. 2009.

SILVA, Fabricia de Oliveira; OLIVEIRA, Lívio Ramsés Ucrân de; MOURTHÉ, Naila Garcia. Quando os olhos não são a janela da alma. In: IV Seminário da Rede Informal de Museus e Centros Culturais. 2012, Belo Horizonte. Anais [...]. Belo Horizonte: Museu de Arte da Pampulha, 2012.

SILVA, Míriam Célia Rodrigues; LOPES, José de Sousa Miguel. Em busca da inclusão digital e da acessibilidade nos processos educativos e nas reuniões nacionais e regionais da Anped. In: V Seminário Educação e Formação Humana: Desafios do Tempo Presente, 2017, Belo Horizonte. Anais eletrônicos[...]. Belo Horizonte: FAE – UEMG, 2017.

SILVA, Míriam Célia Rodrigues; LOPES, José de Sousa Miguel. Entre a Dimensão Educativa e o Design Universal: reflexões sobre a acessibilidade de sites de instituições culturais. In: XIII Seminário Nacional O Uno e o Diverso na Educação Escolar e XVI Semana da Pedagogia, 2016, Uberlândia. Anais eletrônicos […]. Uberlândia: FAE –UFU, 2016. p. 1903-1918.

SOARES, Bruno C. Brulon; SCHEINER, Tereza C. M. A ascensão dos museus comunitários e os patrimônios ‘comuns’: um ensaio sobre a casa. FREIRE, Gustavo Henrique de Araújo (org.) E-book do Encontro Nacional da Associação Nacional de Pesquisa em Ciência da Informação. A responsabilidade social da ciência da Informação. João Pessoa: Ideia/Editora, 2009.

TEIXEIRA, Edson Sidnei Maciel; OKIMOTO, Maria Lucia Leite Ribeiro; HEEMANN, Adriano. Estudos em Design. Revista (on-line). Rio de Janeiro: v. 23, n. 2, p. 133-149, [2015].

VENTORINI, S. E. A experiência como fator determinante na representação espacial do deficiente visual. 2007. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Universidade Estadual Paulista, Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Rio Claro, 2007.

YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. Tradução: Daniel Grassi. 2. ed. Porto Alegre: Brookman, 2001.

LEGISLAÇÃO

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal. 2004.

BRASIL. Decreto n. 5.626, de 22 de dezembro de 2004. Regulamenta as Leis n.10048, de 8 de novembro de 2000, que dá prioridade de atendimento às pessoas que especifica, e 10.098, de 19 de dezembro de 2000, que estabelece normas gerais e critérios básicos para a promoção da acessibilidade das pessoas portadoras de deficiência ou com mobilidade reduzida, e dá outras providencias. Diário Oficial [da] União, Brasília, DF, dez. 2004. Disponível em: <https://bit.ly/1rGGo0G>. Acesso em: 27 ago. 2017.

BRASIL. Lei nº. 10.048, de 08 de novembro de 2000a. Dá prioridade de atendimento às pessoas que especifica, e dá outras providências. Diário Oficial [da República Federativa do Brasil], Brasília. Disponível em: <https://bit.ly/2Yg8wOw>. Acesso em: 27 ago. 2017.

BRASIL. Lei nº. 10.098, de 19 de dezembro de 2000b. Estabelece normas gerais e critérios básicos para a promoção da acessibilidade das pessoas portadoras de deficiência ou com mobilidade reduzida, e dá outras providências. Diário Oficial [da República Federativa do Brasil], Brasília. Disponível em: https://bit.ly/1eaSigz. Acesso em: 27 ago. 2017.

BRASIL. Lei nº. 11.904, de 14 de janeiro de 2009. Institui o Estatuto de Museus e dá outras providências. Diário Oficial [da República Federativa do Brasil], Brasília. Disponível em: <https://bit.ly/2FMdvSc>. Acesso em: 27 ago. 2017.

SITES

º FESTIVAL DE VERÃO DA UFMG. 1 vídeo (1 min 44 segs.). Publicado pelo canal NCA CEDECOM UFMG. Disponível em: <https://bit.ly/2RAn211>. Acesso em: 14 jan. 2018

BRASIL.EMAG: Modelo de Acessibilidade em Governo Eletrônico. Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação – Brasília: MP, SLTI, 2014. Disponível em: <https://bit.ly/2IWWFhy>. Acesso em: 27 ago. 2017.

BRITISH MUSEUM. Disponível em: <https://bit.ly/2nnaOrT>. Acesso em: 14 jan. 2018

ESPAÇO DO CONHECIMENTO UFMG. Disponível em: <https://bit.ly/2xb5OxE>. Acesso em: 13 jan. 2018

GOUVERNEMENT DU CANADA. Orientation sur la mise en oeuvre de la Norme sur l'accessibilité des sites Web. 2013. Disponível em: https://bit.ly/2KAEBNLl. Acesso em: 10 set. 2017

MEMORIAL MINAS GERAIS VALE. Disponível em: <https://bit.ly/2XsmFLe>. Acesso em: 8 jan. 2018

MOMA. Disponível em: <https://mo.ma/2RBf2gg>. Acesso em: 18 nov. 2017

MUSEU DE ARTES E OFÍCIOS. Belo Horizonte, 2013a. Disponível em: <https://bit.ly/2FywgG3>. Acesso em: 14 jan. 2018.

MUSEU DE ARTES E OFÍCIOS. Globo Horizonte realiza matéria sobre o Museu de Artes e Ofícios. Belo Horizonte, 2013b. Disponível em: <https://bit.ly/2FytZur>. Acesso em: 14 jan. 2018.

MUSEU DA LÍNGUA PORTUGUESA. São Paulo, 2020. Disponível em: <https://bit.ly/2N9RJeG>. Acesso: 20 jan. 2018

MUSEU PICASSO. Madri, 2019. Disponível em: <https://bit.ly/1m4RgB0>. Acesso em: 20 jan. 2018.

OSORIO, Luiz Guilherme Brandão. Arte na internet: O Google Art Project. Disponível em: <https://bit.ly/2xdFHGh>. Acesso em: 10 jun. 2017.

QUEIROZ, Marco Antônio de. A Importância dos Padrões Web para a Acessibilidade de Sites. 2009. Acessibilidade Legal. Disponível em: <https://bit.ly/2LdJtYu>. Acesso em: 9 jan. 2017.

QUEIROZ, Marco Antônio de. Equivalentes Textuais para Acessibilidade de Imagens na Web. 2008. Acessibilidade Legal. Disponível em: <http://www.acessibilidadelegal.com/13-equivalentes.php>. Acesso: 5 out. 2017.

TATE. Disponível em: <https://bit.ly/2KEuMhy>. Acesso em 19 jan. 2018

W3C. Diretrizes de Acessibilidade para Conteúdo Web (WCAG) 2.0. Traduzido Prof. Everaldo Bechara. 2008. Disponível em: <https://bit.ly/2aq4kCa>. Acesso em: 27 ago. 2017.

W3C. Understanding WCAG 2.0: A guide to understanding and implementing WCAG 2.0. 2016. Disponível: <https://bit.ly/1TQ79eI>. Acesso em: 27 ago. 2017.

W3C. How to Meet WCAG 2.0.2017. Disponível em: <https://bit.ly/2NcaYUU>. Acesso em: 27 ago. 2017.

Downloads

Publicado

2020-08-31

Como Citar

Silva, M. C. R., & Lopes, J. de S. M. (2020). Entre a arte de comunicar e ofício de ser acessível: estudo sobre os recursos de acessibilidade para visitantes com deficiência visual no site de um museu de Belo Horizonte. Anais Do Museu Paulista: História E Cultura Material, 28, 1-46. https://doi.org/10.1590/1982-02672020v28e12

Edição

Seção

Museus