Museu integral, Museu integrado: a especificidade latino-americana da Mesa de Santiago do Chile

Palavras-chave: América Latina, Museu, Colonialidade, Desenvolvimento

Resumo

Muito se menciona sobre a Mesa de Santiago do Chile como um dos eventos internacionais marcantes para os museus e para a Museologia, seja pelo protagonismo latinoamericano, seja pela tônica dos debates ali traçados e seus claros desdobramentos naquilo que se convencionou chamar de “Nova Museologia”. Pouco sabemos ou temos acesso à documentação produzida na ocasião, mas as fontes disponibilizadas nos indicam a preocupação sobre temas relacionados ao desenvolvimento econômico e social da região: urbanização, industrialização e migração, entre outros. É nessa seara que se procurou pensar o papel dos museus, considerando questões específicas das realidades de um território (con)formado historicamente numa clivagem moderno-colonial. Nesse sentido, revela-se primordial contextualizar a Mesa de Santiago do Chile numa miríade de acontecimentos e de ideias que nos oferecem uma perspectiva sobre a expressiva dimensão do evento e a potência do “Museu Integral” em contraposição ao termo “Museu Integrado” quando pensados sobre e a partir da América Latina.  

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luciana Christina Cruz e Souza, Museu de Astronomia e Ciências Afins / Rio de Janeiro, RJ, Brasil

Mestre e doutora pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (Unirio) no Programa de Pós-Graduação em Museologia e Patrimônio (Unirio/Mast). Graduada em História pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Atualmente é pesquisadora doutora PCI do Museu de Astronomia e Ciências Afins (Mast).

Referências

LIVROS, ARTIGOS E TESES

ANDRADE, Rodrigo Melo. O patrimônio Histórico e Artístico e a Missão da Universidade. Revista do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Museus: antropofagia da memória e do patrimônio, Rio de Janeiro, n. 31, p. 83-87, 2005 [1963].

CERAVOLO, Suely Moraes. Da palavra ao termo – um caminho para compreender Museologia. 2004. Tese (Doutorado em Biblioteconomia e Documentação) – Escola de Comunicação e Artes, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2004.

CHAGAS, Mário. Respostas de Hugues de Varine às perguntas de Mário Chagas. Cadernos de Sociomuseologia, n. 5, p. 5 -11, 1996.

DUSSEL, Enrique. Europa, modernidade e eurocentrismo. In: LANDER, Edgardo (org). A colonialidade do saber: eurocentrismo e ciências sociais. Perspectivas latino americanas. Buenos Aires: Clacso, 2005. p. 24-32. Colección Sur.

FREIRE, Paulo. Educação como Prática da Liberdade. São Paulo: Paz e Terra, 2018 [1967].

FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. São Paulo: Paz e Terra, 2018 [1970].

IBRAM, Instituto Brasileiro de Museus & Programa Ibermuseus. Mesa redonda sobre la importancia y el desarrollo de los museos em el mundo contemporáneo: Mesa Redonda de Santiago de Chile, 1972. Nascimento Junior, José do; Trampe, Alan; Santos, Paula Assunção dos (orgs). Brasília: Ministério da Cultura, Ibermuseus, 2012.

IBRAM, Instituto Brasileiro de Museus & Programa Ibermuseus. Revista Museum, 1973. Nascimento Junior, José do; Trampe, Alan; Santos, Paula Assunção dos (orgs). Brasília: Ministério da Cultura, Ibermuseus 2012.

JAPIASSU, Hilton. As Máscaras da Ciência. Revista Ciência da Informação, Rio de Janeiro, v. 6, n. 1, p. 13-15, 1977.

LANDER, Edgardo. Ciências Sociais: saberes coloniais e eurocêntricos. In: LANDER, Edgardo (Org). A colonialidade do saber: eurocentrismo e ciências sociais. Perspectivas latino americanas. Buenos Aires: Clacso, 2005. p. 8-23. Colección Sur.

LIMA, Glauber G. F. Museus, Desenvolvimento e Emancipação: O Paradoxo do Discurso Emancipatório e Desenvolvimentista na (Nova) Museologia. Museologia e Patrimônio, v. 7, p. 60-84, 2015.

POMIAN, Krzysztof. Coleção in: Memória – História. Enciclopédia Einaudi, v. 1. Lisboa: Imprensa Nacional – Casa da Moeda, 1984.

QUIJANO, Anibal. Modernidad, Identidad y utopia en América do Sul. Lima: Sociedad & Politica, 1988.

RANCIÈRE, Jacques. O dissenso. In: NOVAES, Adauto (org.). A crise da razão. São Paulo: Companhia das Letras,1996.

SANTOS, Boaventura. Para além do Pensamento Abissal: das linhas globais a uma ecologia de saberes. In: SANTOS, Boaventura de Sousa; MENESES, Maria Paula (Orgs.). Epistemologias do sul. São Paulo: Cortez, 2010. p. 73-119.

SANTOS, Milton. O dinheiro e o território. In: SANTOS, Milton [et al.]. Território, territórios: ensaios sobre o ordenamento territorial. 2ª ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2006. p. 13-21.

SANTOS, Myrian Sepúlveda dos; PEIXOTO, Paulo. Patrimônios mundiais: fragmentação e mercantilização da cultura. In: PONTES, Geraldo; SANTOS, Myrian Sepúlveda dos; SOUZA, Rogério Ferreira de; PEREIRA, Victor Hugo Adler (orgs.). Cultura, memória e poder – diálogos interdisciplinares. Rio de Janeiro: Eduerj, 2013. p. 233-244.

SCHEINER, T. C. M.. Repensando o Museu Integral: do conceito às práticas. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi. Ciências Humanas, v. 7, p. 15-30, 2012.

SILVA, Marcos Nicolau Santos da. Território: Uma revisão teórico-conceitual. InterEspaço: Revista de Geografia e Interdisciplinaridade, v. 1, n. 1, jan./jun. 2015.

SOUZA, Luciana Christina Cruz e. Pensar os museus numa perspectiva latino-americana: a atualidade da Mesa Redonda de Santiago do Chile. In: SOARES, Bruno Brulon; BROWN, Karen; NAZOR, Olga (orgs.). Definir os museus do século XXI: experiências plurais. Paris: ICOM/ICOFOM, 2018a. p. 134-139.

SOUZA, Luciana Christina Cruz e. Patrimônio e Colonialidade – A preservação do patrimônio mineiro numa crítica decolonial. 2018. Orientador: Marcus Granato. Tese (Doutorado em Museologia e Patrimônio) – Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro; Museu de Astronomia e Ciências Afins, Programa de Pós-Graduação em Museologia e Patrimônio, Rio de Janeiro, 2018b.

UNESCO, Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura. Levantamento trimestral de atividades e meios de pesquisa no campo da museografia. Museum. Paris: Unesco, vol. XXV, n. 3, 1973.

VALENTE, Maria Esther A. Museus de Ciência e Tecnologia no Brasil: uma ‘Reunião de Família na Mesa Redonda de Santiago do Chile em 1972. Museologia e Patrimônio, v. 2, n. 2, p. 73-86, 2009.

VARINE, Hugue. A Respeito da Mesa de Santiago. In: MATTOS, Marcelo; BRUNO, Cristina (orgs.) A Memória do Pensamento Museológico Contemporâneo: documentos e depoimentos. São Paulo: ICOM Brasil, 1995

WALLERSTEIN, Immanuel. The Modern World-System: Capitalist Agriculture and the Origins of the European World-Economy in the Sixteenth Century. Nova York: Academic Press. E-book Panitch, The Socialist Register. London: The Merlin Press, 1991 [1974].

WALLERSTEIN, Immanuel. Analise dos sistemas mundiais. In: GIDDENS, Anthony; TURNER, Jonathan (orgs.). Teoria social hoje. São Paulo: Unesp, 1999. p. 447-470.

WASSERMAN, Cláudia. A Teoria da Dependência: do nacional-desenvolvimentismo ao neoliberalismo. Rio de Janeiro: FGV, 2017.

Publicado
2020-02-10
Como Citar
Souza, L. C. (2020). Museu integral, Museu integrado: a especificidade latino-americana da Mesa de Santiago do Chile. Anais Do Museu Paulista: História E Cultura Material, 28, 1-21. https://doi.org/10.1590/1982-02672020v28e4
Seção
Museus