Da eloquência dos frontispícios: discurso político sobre a presença holandesa em Pernambuco

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/1982-02672020v28e16

Palavras-chave:

História e Imagem, Holandeses no Brasil, Pernambuco, Francisco de Brito Freyre, Gaspar van Baerle

Resumo

O presente artigo tem por objetivo principal discutir as relações estabelecidas entre os frontispícios e as intencionalidades dos livros nos quais foram impressos, nas obras Nova Lusitânia (1675), de Francisco de Brito Freyre, e Rerum per Octennium in Brasilia (1647), de Gaspar van Baerle. Abordamos estes frontispícios contando com a identificação dos atributos, dos personagens e dos espaços representados pelos gravadores de tais imagens, assim como seus conteúdos textuais. Tomando como ponto de partida os aspectos imagéticos presentes nas folhas de rosto dos livros mencionados, buscamos traçar os padrões de intencionalidade presentes nos livros enquanto discursos políticos. Discute-se como Van Baerle acessa os
símbolos a sua disposição para enaltecer os feitos do Conde de Nassau em Pernambuco, da mesma forma que Brito Freyre opera com referências clássicas e constrói uma narrativa heroica de sua própria experiência contra o domínio holandês na América portuguesa.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Jorge Victor de Araújo Souza, Universidade Federal do Rio de Janeiro

    Professor Adjunto de História da América no Instituto de História da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

  • Luis Henrique Souza dos Santos, Universidade Federal do Rio de Janeiro

    Doutorando em História pelo Programa de Pós-Graduação em História Social da UFRJ.

     

     

Referências

FONTES IMPRESSAS

BARLÉU, Gaspar. História dos feitos recentemente praticados durante oito nos no Brasil e noutras partes sob o governo do ilustríssimo João Maurício Conde de Nassau Erc., ora Governador de Wesel, Tenente-General de Cavalaria das Províncias-Unidas sob o Príncipe de Orange. Tradução e anotações de Cláudio Brandão. Rio de Janeiro: Serviço Gráfico do Ministério da Educação, 1940.

BLUTEAU, Rafael. Vocabulario Portuguez e latino. Coimbra: Collegio das artes da Companhia de Jesus, 8 v., v. 4, 1713.

COVARRUBIAS Y OROZCO, Sebastián de. Tesoro da Lengua Castellana, o Española. Madrid: Melchior Sanchez, 2 v., v. 2, 1673.

ERICEIRA, Conde de, Dom Luiz de Menezes. História de Portugal Restaurado. Lisboa: na Officina de João Galrão, 1679.

FREITAS, Frei Serafim de. Do Justo Império Asiático dos portugueses. Lisboa: Instituto de Alta Cultura, 2 v., v. 1, 1959.

FREYRE, Francisco de Brito. Nova Lusitânia, História da Guerra Brasílica. Lisboa: na Officina de João Galrão, 1675.

GALHEGOS, Manuel de. Templo da Memoria. Lisboa: Craeesbeeck, v. 3, 1635.

LIVROS, ARTIGOS E TESES

ALBERTI, Leon Batista. Da pintura. In: LICHTENSTEIN, Jacqueline (Org.). A pintura: textos essenciais. São Paulo: Editora 34, 2004.

ALIGHIERI, Dante. Monarquia. São Paulo: Lafonte, 2017.

ARMAS, Frederick A. de. The return of Astrea: an Astral imperial mith in Calderón: University Press of Kentucky, 1986.

BAXANDALL, Michael. Padrões de intenção: a explicação histórica dos quadros. São Paulo: Companhia das Letras, 2006.

BERLIOZ, Jacques. Virgile dans la littérature des exempla (XIIIe-XVe siècles) In: Lectures médiévales de Virgile. Actes du colloque de Rome (25-28 octobre 1982). Rome: École Française de Rome, 1985, p. 65-120.

BREDEKAMP, Horst. Thomas Hobbes’s Visual Strategies. In: SPRINGBORG, P. (Org.). The Cambridge Companion to Hobbes's Leviathan. Cambridge: Cambridge University Press, 2007. p. 29-60.

CURTO, Diogo Ramada. O discurso político em Portugal, 1600-1650. Lisboa: Universidade Aberta, 1988.

DESCENDRE, Romain. A politização do mundo. Campinas, SP: Unicamp, 2015.

DIDI-HUBERMAN, Georges. A imagem sobrevivente: história da arte e tempo dos fantasmas segundo Aby Warburg. Rio de Janeiro: Contraponto, 2013.

FLETCHER, Angus. Allegory. The Theory of a Simbolic Mode. Ithaca: Cornell University, 1990.

GINZBURG, Carlo. Medo, reverência, terror. Quatro ensaios de iconografia política. São Paulo: Companhia das Letras, 2014.

HANSEN, João Adolfo. Agudezas seiscentistas e outros ensaios. São Paulo: Edusp, 2019.

HANSEN, João Adolfo. Alegoria. Construção e interpretação da metáfora. São Paulo: Atual, 1986.

HANSEN, João Adolfo. Barroco, Neobarroco e outras ruínas. Teresa – Revista de literatura brasileira, n. 2, p. 10-68, 2001.

HERRERA MORILLAS, José Luis. Aspectos artísticos del fondo antiguo digital de la Universidad de Sevilla: los fronstispicios del siglo XVI. Anales de Documentación, v. 18, n. 2, p. 3-27, 2015.

HOLANDA, Sérgio Buarque de. Visão do paraíso: os motivos edênicos no descobrimento do Brasil. São Paulo: Brasiliense, 2000.

MARTINS, Maria Teresa Payan. Marcar e falsificar: o caso dos impressores da família Galrão. Cultura, v. 33, p. 1-17, 2014.

MELLO, Evaldo Cabral de. Nassau: governador do Brasil holandês. São Paulo: Companhia das Letras, 2006.

MELLO, José Gonsalves de. Brito Freyre, sua História e Pernambuco. Posfácio. In: FREYRE, Francisco de Brito. Nova Lusitânia: História da guerra brasílica. Recife: Secretaria de Educação e Cultura, 1977.

RANCIÈRE, Jacques. O destino das imagens. Rio de Janeiro: Contraponto, 2012.

REDONDI, Pietro. Galileu herético. São Paulo: Companhia das Letras, 1991.

SANCHEZ, Talita de Jesus Noronha. Uma Iconografia Profética da Restauração: a imagem de Ourique e as disputas políticas nas gravuras de 1632 a 1668. 2018. 187 f. (Dissertação de Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em História da Escola de Filosofia, Letras e Ciência e Ciências Humanas da Universidade Federal de São Paulo, Guarulhos, 2018.

SKINNER, Quentin. Hobbes e a liberdade republicana. São Paulo: Unesp, 2010.

VARNHAGEN, Adolfo de. Historia das lutas dos Holandezes no Brazil: desde 1624 a 1654. Lisboa: Typografia de Castro Irmão, 1872.

VIRGÍLIO. Bucólicas. Campinas: Unicamp; São Paulo: Ateliê Editorial, 2008.

WAGNER, Roy. A invenção da cultura. São Paulo: Cosac Naify, 2010.

WAIZBORT, Leopoldo. Apresentação. In: WARBURG, Aby. Histórias de fantasmas para gente grande: escritos, esboços e conferências. São Paulo: Companhia das Letras, 2015. p. 7-22.

XAVIER, Ângela Barreto. “El Rei aonde póde, & não aonde quer”. Razões da política no Portugal seiscentista. Lisboa: Edições Colibri, 1998.

YATES, Frances. Astraea. Londres/Boston: Rotledge & Kegan Paul, 1999.

Downloads

Publicado

2020-08-31

Edição

Seção

Estudos de Cultura Material

Como Citar

SOUZA, Jorge Victor de Araújo; SANTOS, Luis Henrique Souza dos. Da eloquência dos frontispícios: discurso político sobre a presença holandesa em Pernambuco. Anais do Museu Paulista: História e Cultura Material, São Paulo, v. 28, p. 1–23, 2020. DOI: 10.1590/1982-02672020v28e16. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/anaismp/article/view/161478.. Acesso em: 24 jul. 2024.