Um estudo comparativo da dinâmica microclimática em espaços adaptados para fins de conservação de acervos sob a ótica da sustentabilidade

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/1982-02672021v29e8

Palavras-chave:

Sustentabilidade, Museus, Conservação Preventiva, Microclima

Resumo

Este artigo resgata e apresenta os principais caminhos de aproximação entre o universo da conservação de bens culturais e as tendências da sustentabilidade, discutindo particularmente o papel do diagnóstico microclimático de espaços adaptados à função museológica na definição das estratégias de conservação preventiva embasadas nos princípios de tal movimento (identificadas por alguns autores como slow conservation). Esta
análise se articula com dois estudos de caso que avaliam os comportamentos dinâmicos de parâmetros físico-ambientais (temperatura e umidade) coletados durante o período de um ano em espaços internos do Museu Paulista da Universidade de São Paulo (USP) e do Museu Casa da Xilogravura, confrontados com as variações climáticas externas. Os resultados e suas interpretações permitem ressaltar a importância do diagnóstico dos espaços de conservação, enquanto ferramenta de planejamento de ações preventivas alternativas às tradicionais abordagens de controle ambiental mecanizado e automatizado, e vislumbrar estratégias passivas que valorizem potencialidades existentes, minimizem vulnerabilidades isoladas e contribuam concretamente para a articulação com um mundo sustentável.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Anna Laura Canuto Rocha de Andrade

Graduada em história pela Universidade Federal de Alagoas (UFAL). Mestra e sustentabilidade na Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH) da Universidade de São Paulo (USP). Tem experiência na área de conservação de acervos, com ênfase em conservação preventiva. E-mail: annalaura@usp.br

Andrea Cavicchioli, Universidade de São Paulo. Escola de Artes, Ciências e Humanidades

Graduado em química industrial pela Università degli Studi di Milano, mestre em química analítica ambiental pela University of London e doutor em química (química analítica) pela Universidade de São Paulo (USP). É professor associado da USP, atuando no curso de gestão ambiental, no mestrado e no doutorado do programa de pós-graduação interdisciplinar em sustentabilidade da EACH. E-mail: andrecav@usp.br

Referências

LIVROS, ARTIGOS E TESES

ASHLEY-SMITH, Jonathan; UMNEY, Nick; FORD, David. Let’s be honest: realistic environmental parameters for loaned objects. Studies in Conservation, Abingdon, v. 39, p. 28-31, 1994.

AVRAMI, Erica. Sustainability and the built environment: forging a role for heritage conservation. Conservation Perspectives: The CGI Newsletter, Los Angeles, v. 26, n. 1, p. 4-10, 2011. Disponível em: <http://bit.ly/2Zjdc8d>. Acesso em: 12 jul. 2020.

BOERSMA, Foekje; DARDES, Kathleen; DRUZIK, James. Precaution, proof, and pragmatism evolving perspectives on the museum environment. Conservation Perspectives: The GCI Newsletter, Los Angeles, v. 29, n. 2, p. 4-9, 2014. Disponível em: <http://bit.ly/2Nrz7r9>. Acesso em: 15 maio 2020.

CASSAR, May. Sustainable heritage: challenges and strategies for the Twenty-First Century. APT Bulletin: The Journal of Preservation Technology, Springfield, v. 40, n. 1, p. 3-11, 2009. Disponível em: <https://bit.ly/2RnWrVs>. Acesso em: 1 jun. 2019.

CAVICCHIOLI, Andrea. Perspectivas cooperativas entre academia e conservadores na caracterização ambiental para a conservação preventiva de bens culturais. Revista CPC, São Paulo, n. 23, p. 245-273, 2017.

CAVICCHIOLI, Andrea; ALEGRE, Priscila Leitão Denardi; MARTINS, Ariel Guilger Simões. Microambientes e conservação preventiva em áreas indoor: o caso do espaço interior não climatizado da Casa de Dona Yayá, em São Paulo (Brasil). Anais do Museu Paulista, São Paulo, v. 25, n. 3, p. 291-340, 2017.

DE SILVA, Megan; HENDERSON, Jane. Sustainability in conservation practice. Journal of the Institute of Conservation, Abingdon, v. 34, n. 1, p. 5-15, 2011.

FERRONI, Eduardo et al. A preparação do Museu do Ipiranga para o Bicentenário da Independência em 2022. Revista Restauro, São Paulo, v. 4, n. 7, 2020. Disponível em: https://bit.ly/3u0z6eu. Acesso em: 8 ago. 2020.

FRONER, Yacy-Ara. International policies for sustainable development from cultural empowerment. Journal of Cultural Heritage Management and Sustainable Development, Bingley, v. 7, n. 2, p. 208-223, 2017.

GONÇALVES, Willi de Barros. Métricas de preservação e simulações computacionais como ferramentas diagnósticas para a conservação preventiva de coleções: estudo de caso no Sítio Patrimônio Mundial de Congonhas. 2013. Tese (Doutorado em Artes) – Escola de Belas Artes, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2013.

GONÇALVES, Willi de Barros; SOUZA, Luiz Antônio Cruz. O debate contemporâneo sobre as interfaces transdisciplinares de dois campos de conhecimento em consolidação: a ciência da sustentabilidade e a ciência do patrimônio. Pós, Belo Horizonte, v. 4, n. 7, p. 84-102, 2014.

GONÇALVES, Willi de Barros; SOUZA, Luiz Antônio Cruz; FRONER, Yacy-Ara. Edifícios que abrigam coleções. BeloHorizonte: Lacicor, 2008.

KING, Steve; PEARSON, Colin. Controle ambiental para instituições culturais: planejamento adequado e uso de tecnologias alternativas. In: MENDES, Marylka et al. (orgs.). Conservação: conceitos e práticas. Rio de Janeiro: UFRJ, 2001. p. 41-64.

MACLEOD, Ian D. Micrometeorological assessment of passive climate controls for museums. AICCM Bulletin, Abingdon, v. 36, p. 33-43, 2015.

MAEKAWA, Shin et al. Climate controls in a historic house museum in the tropics: a case study of collection care and human comfort. In: CONFERENCE ON PASSIVE AND LOW ENERGY ARCHITECTURE, 26., 2009, Quebec. Anais […]. Hong Kong: Plea, 2009. p. 1-6. Disponível em: <https://bit.ly/3kguTh3>. Acesso em: 10 maio 2020.

MAEKAWA, Shin; TOLEDO, Franciza. Sustainable climate control for historic buildings in hot and humid regions. In: CONFERENCE ON PASSIVE AND LOW ENERGY ARCHITECTURE, 18., 2001, Florianópolis. Anais […]. Hong Kong: Plea, 2001. p. 1-7. Disponível em: <https://bit.ly/3hv4wlO>. Acesso em: 10 maio 2020.

MAKINO, Miyoko et al. O Serviço de Documentação Textual e Iconografia do Museu Paulista. Anais do Museu Paulista, São Paulo, v. 10, n. 11, p. 259-304, 2003.

MENDES, Manuel Cardoso. Museus como pioneiros para a sustentabilidade ambiental. Museologia e Interdisciplinaridade, Brasília, DF, v. 1, n. 2, p. 72-84, 2012.

NEVES, Letícia de Oliveira. Arquitetura bioclimática e a obra de Severiano Porto: estratégias de ventilação natural. 2006. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) – Escola de Engenharia de São Carlos, Universidade de São Paulo, São Carlos, 2006.

NIMER, Edmon. Climatologia do Brasil. 2. ed. Rio de Janeiro: IBGE, 1989.

PADFIELD, Tim; LARSEN, Poul Klenz. How to museums with a naturally stable climate: the evolution of museum buildings. Studies in Conservation, London, v. 49, n. 2, p. 1-14, 2003.

PAULA, Teresa Cristina Toledo de. De Plenderleith a Al Gore: o ideário vigente na conservação de bens culturais móveis no século XXI. Anais do Museu Paulista: História e Cultura Material, v. 16, n. 2, p. 241-264, 2008. DOI: 10.1590/S0101-47142008000200008. Disponível em: <https://bit.ly/3dJS2Ze>. Acesso em: 24 fev. 2021.

RIBEIRO, Marina Byrro; LOMARDO, Louise Land Bittencourt. Bioclimatic museum architecture in historic buildings: instrument of environmental sustainability. In: AMOÊDA, Rogério; LIRA, Sérgio; PINHEIRO, Cristina (eds.). Heritage 2016: Proceedings of the 5th International Conference on Heritage and Sustainable Development. Barcelos: Green Lines Institute, 2016. p. 593-606. Disponível em: <https://bit.ly/35zFnUH>. Acesso em: 8 mar. 2020.

RYHL-SVENDSEN, Morten et al. A museum storage facility controlled by solar energy. In: ASHLEY-SMITH, Jonathan; BURMESTER, Andreas; EIBL, Melanie (eds.). Climate for collections: standards and uncertainties. London: Archetype, 2013. p. 1-11. Disponível em: <https://bit.ly/35zZq5o>. Acesso em: 13 jul. 2020.

SAUNDERS, David. Climate change and museum collections. Studies in Conservation, London, v. 53, n. 4, p. 287-297, 2008.

SILVA, Liliana Sousa e. Sustentabilidade na cultura: da diversidade cultural à sustentação financeira. In: SEMINÁRIO INTERNACIONAL POLÍTICAS CULTURAIS, 2., 2011, Rio de Janeiro. Anais […]. Rio de Janeiro: Fundação Casa de Rui Barbosa, 2011. p. 1-13. Disponível em: <https://bit.ly/33so0CK>. Acesso em: 29 jul. 2018.

STANIFORTH, Sarah. Conservation heating to Slow Conservation: A tale of the appropriate rather than the ideal. In: CONTRIBUTIONS TO EXPERTS ROUNDTABLE ON SUSTAINABLE CLIMATE MANAGEMENT STRATEGIES, 2007, Tenerife. Los Angeles: The Getty Conservation Institute, 2008, p. 1-17. Disponível em: <https://bit.ly/2ZHqGuV>. Acesso em: 18 fev. 2021.

STANIFORTH, Sarah. Slow conservation. Studies in Conservation, London, v. 55, n. 2, p. 74-80, 2010.

TEIJGELER, René. Conservação preventiva da herança documental em climas tropicais: uma bibliografia anotada. Lisboa: Biblioteca Nacional de Portugal, 2007. Disponível em: <https://bit.ly/3hxsY6f>. Acesso em: 8 set. 2020.

TERRA, Carina; SAFT, Juliana Bechara. Avaliação de desempenho técnico-construtivo: estudo de caso da “Casa Branca” do Museu Paulista. 2017. Relatório (Pós-graduação em Arquitetura e Urbanismo) – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2017.

TOLEDO, Franciza Lima. Controle ambiental e preservação de acervos documentais nos trópicos úmidos. Acervo, Rio de Janeiro, v. 23, n. 2, p. 71-76, 2010.

TOLEDO, Franciza Lima. The role of architecture in preventive conservation. Roma: ICCROM, 2006. Disponível em: <https://bit.ly/2FtEdj4>. Acesso em: 8 mar. 2020.

Downloads

Publicado

2021-03-15

Como Citar

Andrade, A. L. C. R. de, & Cavicchioli, A. (2021). Um estudo comparativo da dinâmica microclimática em espaços adaptados para fins de conservação de acervos sob a ótica da sustentabilidade. Anais Do Museu Paulista: História E Cultura Material, 29, 1-33. https://doi.org/10.1590/1982-02672021v29e8

Edição

Seção

Conservação e Restauração