A volta dos mortos vivos: apresentando a paleontologia em museus paulistas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/1982-02672021v30e8

Palavras-chave:

Narrativas expositivas, Exposições, Paleontologia, Divulgação científica, Museus de história natural

Resumo

Este estudo realizou uma análise comparativa das estruturas narrativas apresentadas em doze exposições diferentes que abordam temas paleontológicos em museus do estado de São Paulo. Os dados foram coletados por meio de registros fotográficos. Os parâmetros da análise foram: temáticas das exposições; utilização de iconografia paleontológica e seus diversos tipos; uso de outros recursos expográficos; e o percurso expositivo. Os resultados mostraram que a temática usada com maior frequência foi a Assembleia Fossilífera, indicando uma possível correlação com o grande número de museus municipais organizados em torno de achados locais. Dentre as formas de iconografia paleontológica, a paleontografia, categoria que compreende todas as formas de representação visual de hipóteses paleontológicas a respeito da anatomia, da biologia e da ecologia de organismos, foi a mais utilizada, sendo apresentada predominantemente em segundo nível narrativo como suporte para uma informação prioritária. Dentre os recursos textuais, os mais empregados foram as legendas descritivas, oferecendo informações diretas sobre os objetos. Observou-se ainda que a maioria das exposições não determinou um percurso a ser seguido pelos visitantes, adotando
uma abordagem não estruturada. Os achados sugerem que existe espaço para avanços na comunicação com os visitantes e que a análise estrutural apresentada pode ser útil na tomada de decisões por parte dos curadores. Este estudo representa a mais abrangente caracterização de narrativas paleontológicas e serve de base tanto para análises comparativas com outras exposições quanto para estudos sobre a percepção dos visitantes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bianca Bonicio Crociari, Universidade de São Paulo

Bióloga pelo Centro Universitário Fundação Santo André e mestra em sistemática, taxonomia animal e biodiversidade pelo Museu de Zoologia da Universidade de São Paulo. E-mail: b.bc@ hotmail.com.

Maria Isabel Landim, Universidade de São Paulo

Graduada em ciências biológicas pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), mestre em zoologia pelo Museu Nacional do Rio de Janeiro e doutora em zoologia (Ictiologia) pela Universidade São Paulo. Realizou pós-doutorado em museologia como Jovem Pesquisador em Centro Emergente FAPESP. Atualmente é docente da Divisão de Difusão Cultural do Museu de Zoologia da Universidade de São Paulo, e curadora da coleção museográfica do MZUSP. E-mail: milandim@usp.br.

Referências

LIVROS, ARTIGOS E TESES

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE CENTROS E MUSEUS DE CIÊNCIA; CASA DA CIÊNCIA; MUSEU

DA VIDA. Centros e museus de ciências do Brasil 2015. Rio de Janeiro: ABCMC, 2015.

BENNETT, Tony. The birth of the museum: history, theory, politics. Abingdon: Routledge, 1995.

BENTON, Michael James; HARPER, David A. T. Introduction to paleobiology and the fossil record. Hoboken: Wiley-Blackwell, 2009.

CASSAB, Rita de Cassia Tardin. Objetivos e princípios. In: CARVALHO, Ismar de Souza (ed.). Paleontologia: conceitos e métodos. 3. ed. Rio de Janeiro: Interciência, 2010. p. 3-11.

COYNE, Jerry Allen. Why evolution is true. New York: Viking, 2009.

CROCIARI, Bianca Bonicio. Narrativas paleontológicas nos museus paulistas: uma análise comparativa. 2020. Dissertação (Mestrado em Sistemática, Taxonomia e Biodiversidade) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2020.

DEAN, David. Museum exibition: theory and practice. Abingdon: Routledge, 1994.

DIAMOND, Judy; SCOTCHMOOR, Judy. Exhibiting evolution. Museums & Social Issues, Abingdon, v. 1, n. 1, p. 21-48, 2006. Disponível em: https://bit.ly/3CyYmNk. Acesso em 27 jul. 2019.

ELIAS, Felipe Alves. Iconografia paleontológica em narrativas de exposições de história natural. 2015. Dissertação (Mestrado em Museologia) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2015.

GEE, Henry. In search of deep time: beyond the fossil record to a new history of life. New York: Free Press, 1999.

GOULD, Stephen Jay. Dinosaurs in a haystack: reflections in natural history. New York: Harmony Books, 1995.

HICKMAN, Cleveland P.; ROBERTS, Larry S.; LARSON, Allan. Princípios integrados de zoologia. 11. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2004.

INSTITUTO BRASILEIRO DE MUSEUS. Guia dos museus brasileiros. Brasília, DF: IBRAM, 2011a.

INSTITUTO BRASILEIRO DE MUSEUS. Museus em números. Brasília, DF: IBRAM, 2011b.

INTERNATIONAL COUNCIL OF MUSEUMS. ICOM code of ethics for natural history museums. Paris: ICOM, 2013. Disponível em: https://bit.ly/3KpjHwu. Acesso em: 28 out. 2021.

KELLNER, Alexander Wilhelm Armin. Museus e a divulgação científica no campo da paleontologia. Anuário do Instituto de Geociências, Rio de Janeiro, v. 28, n. 1, p. 116-130, 2005. Disponível em: https://bit.ly/3nAqBp5. Acesso em: 2 maio 2019.

MANZIG, Paulo César. Museus de paleontologia no Brasil e a paleontologia nos museus brasileiros. 2015. Dissertação (Mestrado em Divulgação Científica e Cultural) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2015.

MCGOWAN, Christopher. The dragon seekers: how an extraordinary cicle of fossilists discovered the dinosaurs and paved the way for Darwin. New York: Basic Books, 2001.

MENDES, Josué Camargo. Paleontologia básica. São Paulo: T.A. Queiroz, 1988.

PÁSSARO, Eloisa Magalhães; HESSEL, Maria Helena; NOGUEIRA NETO, José de Araújo. Principais acervos de paleontologia do Brasil. Anuário do Instituto de Geociências, Rio de Janeiro, v. 37, n. 2, p. 48-59, 2014. Disponível em: https://bit.ly/3GEU3Se. Acesso em: 29 abr. 2019.

RUDWICK, Martin J. S. The emergence of a visual language for geological science 1760—1840. History of Science, Thousand Oak, v. 14, n. 3, p. 149-195, 1976a.

RUDWICK, Martin J. S. The meaning of fossils: episodes in the history of paleontology. Chicago: Chicago University Press, 1976b.

SANTOS, Myrian Sepúlveda dos. Políticas da memória na criação dos museus brasileiros. Cadernos de Sociomuseologia, Lisboa, v. 19, n. 19, p. 115-137, 2002. Disponível em: https://bit.ly/3gaMAiP. Acesso em: 19 jul. 2019.

VALENTE, Maria Esther; CAZELLI, Sibele; ALVES, Fátima. Museus, ciência e educação: novos desafios. História, Ciências, Saúde – Manguinhos, Rio de Janeiro, v. 12, p. 183-203, 2005. Disponível em: https://bit.ly/2UaeZh2. Acesso em: 29 jul. 2019.

Downloads

Publicado

2022-05-02

Como Citar

Crociari, B. B., & Landim, . M. I. . (2022). A volta dos mortos vivos: apresentando a paleontologia em museus paulistas. Anais Do Museu Paulista: História E Cultura Material, 30, 1-26. https://doi.org/10.1590/1982-02672021v30e8

Edição

Seção

Museus