Uma oficina de novidades: a implantação de núcleos urbanos na capitania de São Paulo, 1765-1775

Autores

  • Maria Fernanda Derntl Universidade de Brasília; Faculdade de Arquitetura e Urbanismo; Departamento de Teoria e História da Arquitetura e do Urbanismo

DOI:

https://doi.org/10.1590/S0101-47142012000100005

Palavras-chave:

Urbanização, Política urbanizadora, Capitania de São Paulo, Século XVIII

Resumo

Este artigo acompanha algumas dinâmicas de implantação de núcleos urbanos na capitania de São Paulo durante a administração do governador e capitão-general Morgado de Mateus (1765-1775). Destacam-se momentos significativos do processo de formação de paisagens urbanas, desde o recrutamento de povoadores e a busca de sítios até a definição dos traçados. A intenção é mostrar que a Coroa portuguesa foi tentando organizar determinados modos de conduzir a expansão urbana, ao passo que experiências e circunstâncias locais constantemente exigiram arranjos novos e específicos. A análise fundamenta-se numa seleção da documentação oficial já publicada e também em correspondência, em boa parte inédita, proveniente de agentes locais encarregados de tarefas ligadas ao povoamento. Procura-se tratar da política urbanizadora daquele período como um processo desenvolvido num contexto de conflitos mais do que como produto de um projeto pré-delineado por autoridades metropolitanas ou alheio a realidades do lugar.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Downloads

Publicado

2012-06-01

Edição

Seção

Dossiê - Caminhos da história da urbanização no Brasil-colônia

Como Citar

DERNTL, Maria Fernanda. Uma oficina de novidades: a implantação de núcleos urbanos na capitania de São Paulo, 1765-1775 . Anais do Museu Paulista: História e Cultura Material, São Paulo, v. 20, n. 1, p. 109–131, 2012. DOI: 10.1590/S0101-47142012000100005. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/anaismp/article/view/39810.. Acesso em: 30 maio. 2024.