O urbanismo conveniente luso-brasileiro na formação de povoações em Minas Gerais no século XVIII

Autores

  • Rodrigo Almeida Bastos Universidade Federal de Santa Catarina; Departamento de Arquitetura

DOI:

https://doi.org/10.1590/S0101-47142012000100008

Palavras-chave:

Urbanismo colonial, Minas Gerais, Decoro, Conveniência

Resumo

A formação de povoações na capitania de Minas Gerais no século XVIII estava condicionada a preceitos de decoro, conveniência e adequação. Esses preceitos constituíam regras, doutrinas e costumes muito relevantes à arte luso-brasileira de edificar arquiteturas e cidades naquele tempo. A consideração histórica desses aspectos nos conduz à revisão crítica de uma série de compreensões consolidadas na historiografia, como, por exemplo, a de que essas povoações seriam espontâneas, irregulares e desordenadas. Pela importância com que se evidenciam nas povoações remanescentes, nos tratados artísticos e nos documentos coevos, tais aspectos nos levam a cogitar em uma verdadeira arte de povoar fundamentada nesses valores e costumes, arte a que denominamos urbanismo conveniente luso-brasileiro.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Downloads

Publicado

2012-06-01

Edição

Seção

Dossiê - Caminhos da história da urbanização no Brasil-colônia

Como Citar

BASTOS, Rodrigo Almeida. O urbanismo conveniente luso-brasileiro na formação de povoações em Minas Gerais no século XVIII . Anais do Museu Paulista: História e Cultura Material, São Paulo, v. 20, n. 1, p. 201–230, 2012. DOI: 10.1590/S0101-47142012000100008. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/anaismp/article/view/39813.. Acesso em: 19 jul. 2024.