Bem-morar em São Paulo, 1880-1910: Ramos de Azevedo e os modelos europeus

Autores

  • Maria Cristina Wolff de Carvallio Universidade de São Paulo; Faculdade de Arquitetura e Urbanismo

DOI:

https://doi.org/10.1590/S0101-47141996000100015

Palavras-chave:

São Paulo, arquitctura doméstica, História tia Arquitetura, Ramos de Azevedo

Resumo

A arquitetura doméstica tem um grande impulso no século XIX. Da Europa são difundidos, para todo mundo, os modelos conformados à nova ordem social e à industrialização. A residência se transforma numa preocupação central dos arquitetos. Desenvolvem-se novos conceitos para casa ideal para todas as camadas sociais: operários, classe média, burguesia. Este artigo retrata, em São Paulo, a introdução de padrões formais e princípios (de higiene, salubridade, conforto, ritos sociais e domésticos, as aparências). a partir da atividade de F. P. Ramos de Azevedo (1851-19201. Analisam-se os principais projetos que ele desenvolveu para a burguesia local.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Downloads

Publicado

1996-01-01

Edição

Seção

Estudos de Cultura Material

Como Citar

CARVALLIO, Maria Cristina Wolff de. Bem-morar em São Paulo, 1880-1910: Ramos de Azevedo e os modelos europeus . Anais do Museu Paulista: História e Cultura Material, São Paulo, v. 4, n. 1, p. 165–200, 1996. DOI: 10.1590/S0101-47141996000100015. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/anaismp/article/view/5340.. Acesso em: 17 jun. 2024.